Desfile de Modas para mulheres cegas

A Fundação Dorina Nowill para Cegos realizará nos dias 30/09 e 01/10, na Fecomércio e na Faculdade de Moda da FMU, respectivamente, em São Paulo, um desfile de modas para mulheres cegas: I Encontro Estilo Elegância e Equilíbrio. A proposta do evento é despertar o público para questões que envolvem estilo, elegância e moda contemplando também as necessidades das mulheres com deficiência visual e sensibilizar sobre a importância dos aspectos de auto-cuidado, vestuário, criação de estilos e suas adequações nas relações sociais.

Encontro Estilo Elegância e Equilíbrio: um desfile de modas para mulheres cegas

A realização de um desfile de modas para mulheres com deficiência visual vem concretizar um desejo antigo de Dorina Nowill, presidente emérita e vitalícia da Fundação, que é passar para as moças cegas a melhor maneira de se arrumar com independência no dia-a-dia. "O objetivo desse encontro, além de proporcionar noções sobre cuidados e dicas de como se vestir, maquiar e se produzir, também visa compartilhar conhecimento sobre o tema e desmistificar questões relativas à deficiência visual, ampliando a visão e conseqüente atuação de lojistas sobre o potencial de consumo da população com deficiência visual e criar a oportunidade de novos negócios pautados na responsabilidade social por intermédio de produtos acessíveis a todos", diz a coordenadora do evento e diretora executiva da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Ika Fleury.

O desfile de modas será realizado em dois dias. No primeiro dia, 30/09, profissionais especialistas em moda falarão sobre comportamento e etiqueta, como escolher os diversos tipos de roupas, independência e mercado consumidor. Já no segundo dia, 01/10, o público poderá participar de oficinas temáticas como moda, estilo e maquiagem e no final será apresentado um desfile de modas, que contará com a audiodescrição.

A audiodescrição, recurso que permite a pessoas cegas ou com baixa visão tomarem conhecimento de informações visuais, é parte fundamental nesse desfile de modas. Mulheres cegas são tão vaidosas quanto qualquer outra e da mesma forma querem saber as novidades do mundo da moda. Pela audiodescrição, elas poderão assistir e participar do desfile em igualdade de condições com as outras.

"Muitas vezes, a pessoa cega ou com deficiência visual ainda está presa a alguém que decida por ela. Para trabalhar essa questão, enfatizando o direito de escolha que também deve ser dado à pessoa com deficiência visual, o desfile de modas também contará com a participação de uma psicóloga", diz Ika, enfatizando que esse encontro trabalhará três pontos importantes. Despertar o interesse na mulher com deficiência visual de estar bem e arrumada em todos os aspectos, conscientizar os lojistas e incentivar o uso do recurso da audiodescrição em um desfile de modas.

O trabalho de conscientização não vai parar por aí. De acordo com Ika, alguns profissionais que participarão do desfile de modas continuarão por um tempo dando assessoria para as pessoas que freqüentam a Fundação. "Também pretendemos fazer um CD e futuramente um livro com essas orientações".

Participarão do desfile de modas Dorina de Gouvêa Nowill (presidente emérita e vitalícia da instituição homônima), Rosângela Lyra (diretora da Dior no Brasil), Roberto Issa (Estilista), Ana Rita de Paula (psicóloga), Milla Mathias (consultoria de estilo), Miguel Gianini (proprietário das Óticas Gianini), Romy Tutia, (coordenadora do curso de Moda da FMU), Geraldo Lima (estilista, proprietário da Urânio), Lívia Mota (audiodescritora).

O investimento é de R$60 com 40% de desconto para clientes e familiares da Fundação Dorina Nowill para Cegos e outras instituições que atuam em prol dos deficientes visuais.

Fonte: Revista Sentidos

Mais sobre audiodescrição
Nem parecia que era domingo. O dia 25 de maio começou cedo na Escola Pró-Arte
Quando tinha 18 anos Ersea Maria Alves fez um curso de manequim, mas nunca imaginou
Nesta terça, 20 de setembro, às 19h, aconteceu o desfile de premiação da terceira edição


Mais sobre audiodescrição
Nem parecia que era domingo. O dia 25 de maio começou cedo na Escola Pró-Arte
Quando tinha 18 anos Ersea Maria Alves fez um curso de manequim, mas nunca imaginou
Nesta terça, 20 de setembro, às 19h, aconteceu o desfile de premiação da terceira edição