Deficientes Visuais Conferem Espetáculo do Natal Luz Com Equipamentos Especiais

A platéia especial conferiu pela primeira vez uma peça de teatro e aprovou a idéia.

Gramado – O espetáculo Arca de Noel foi conferido por um público especial na tarde de domingo, no Palácio dos Festivais, em Gramado.

Deficientes visuais da Associação dos Cegos do Rio Grande do Sul conferiram o espetáculo, com o auxílio de fones, onde ouviam a narração do cenário, do movimento e do gestual dos atores. No final, todos puderam tocar e conversar com os personagens da atração. A iniciativa é inédita no Natal Luz, que segue até 11 de janeiro.

A platéia especial conferiu pela primeira vez uma peça de teatro e aprovou a idéia. "Achei maravilhosa a trilha musical”, disse Ana Gouveia, 69 anos. "Gostei muito da vaca e do pato Antenor”, elogiou Elis Regina Machado, 35.

A realização foi possível por meio da audiodescrição, técnica que utiliza traduções simultâneas para narrar o cenário, os movimentos e o gestual dos atores, para que os espectadores deficientes visuais tenham uma melhor compreensão da peça encenada. Para isso, a sala de cinema recebeu uma cabine especial.

Para Clóvis Kawski, 40, a experiência foi emocionante. Depois de conferir a apresentação, eles puderam tocar e conversar com os personagens. "Preenchemos um espaço que faltava ao sentirmos esse espetáculo", declarou.

A Arca de Noel é uma produção de marionetes e bonecos eletrônicos gigantes, que conta a história de uma pequena comunidade rural que foi convidada para se apresentar no Natal Luz.

As apresentações ocorrem sempre às sextas-feiras, sábados e domingos, às 17 horas, no Palácio dos Festivais, com ingressos entre 15 e 30 reais.

Fonte: Jornal NH

Mais sobre audiodescrição
João, Sabrina e Maristela nunca viajaram de avião. Além desse traço em comum, eles são
Inclusão. Esta é a palavra-chave num novo segmento de roteiros rodoviários que a Fresp (Federação
Cerca de 45 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência, o que corresponde à


Mais sobre audiodescrição
João, Sabrina e Maristela nunca viajaram de avião. Além desse traço em comum, eles são
Inclusão. Esta é a palavra-chave num novo segmento de roteiros rodoviários que a Fresp (Federação
Cerca de 45 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência, o que corresponde à