Ensaio Sobre Audiodescrição

Fazer um cego assistir a um filme, a pouco tempo, ao menos aqui no Brasil, era algo absurdo de se imaginar. Mas com o recurso da Audiodescrição, absurdo é não acreditar na possibilidade de avanços significativos para o desenvolvimento humano.

Com o auxílio de pessoas capacitadas, desde 1989 a audiodescrição é realizada.

Audiodescrição é o simples fato de descrever através do som, de falas, o que acontece em uma cena, sejam de filme, teatro ou qualquer outra possível de descrever. Criada para dar acesso aos cegos à interação visual, a audiodescrição, com muito esforço mas também muitas dificuldades, vem lutando para se estabelecer firmemente.

Depois de uma série de estudos que começaram a ser feitos a partir de 1975 pelo norte-americano Gregory Frazier, obteve-se resultados favoráveis que foram sendo comprovados em algumas experiências. Tudo isso teve inicio em alguns filmes do Festival de Cannes. Rapidamente, a técnica se estendeu por alguns países da Europa, principalmente no Reino Unido, que primeiro experimentou inserir a audiodescrição na televisão. Essa experiência ficou conhecida como Descriptive Video Service.

O simples fato de sabermos que alguém se importa com quem não tem capacidade de participar de algo que, para nós, os videntes, é tão comum, ir ao cinema, teatro, ver televisão, faz-nos lembrar que nem tudo no mundo é ganância e falsidade.

Esperemos que no futuro, junto com essa tecnologia que não para de crescer à cada dia mais e mais, esses tipos de problemas sejam solucionados. Basta torcer para isso tudo ter incentivo e patrocínio de nosso governo e também de algumas grandes empresas, além de pessoas com vontade de ajudar e não apenas lucrar em cima disso, que, todos nós sabemos, existem aos montes nesse mundo.

por Fábio Goulart

Fonte: Blog Diz Aí



Mais sobre audiodescrição