Alunos da pós-graduação da Unesp representam o Brasil na Suiça e apresentam trabalhos sobre audiodescrição

Flávia Oliveira Machado e Alan César Belo Angeluci, estudantes do curso de Pós-graduação em TV Digital da FAAC (Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação) da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), campus de Bauru, foram selecionados para representar o país no Youth Fórum do ITU Telecom World 2009. O evento é realizado pela União Internacional das Telecomunicações (UIT), em inglês ITU, agência especializada da Organização das Nações Unidas, que aconteceu entre os dias 5 e 9 de outubro em Genebra, na Suíça.

Os estudantes, ambos graduados em jornalismo pela Unesp, serão os únicos representantes do Brasil, com idade entre 18 e 23 anos, a terem todas as despesas pagas pela organização. Eles foram selecionados pelos artigos que escreveram, nos quais propõem formas de utilização das tecnologias de informação e comunicação para a inclusão digital.

Em seu artigo, Alan discute algumas possibilidades de uso da TV Digital para a inclusão social e a necessidade de políticas públicas para esse setor. "É a partir do apoio a pesquisas e ao desenvolvimento na área de hardware, middleware, softwares, e também de conteúdos audiovisuais digitais, que se pode tornar possível uma maior democratização da comunicação e da informação no Brasil. Isso reduziria os desequilíbrios nas trocas nacionais e internacionais de informação e incentivaria o desenvolvimento da TV, do rádio e do cinema digitais, assim como o de celulares, videojogos em rede e computadores mediados por internet, contribuindo para a convergência entre essas diversas plataformas. Além disso, tem o potencial de provocar mudanças sociais importantes, a partir do momento em que se fornece, por exemplo, cursos educativos ou acesso a serviços governamentais", explica Alan.

Já o artigo de Flávia, denominado "Acessibilidade na TV Digital: inclusão social através da audiodescrição para espectadores com deficiência visual", aborda o uso de um canal de áudio que transmita descrições de cenários, figurinos, movimentação de personagens, entre outros, para auxiliar deficientes visuais na compreensão de espetáculos audiovisuais e textos. "Ter a oportunidade de apresentar um trabalho sobre a acessibilidade para a TV digital brasileira me motivou ainda mais para desenvolver meu estudo", relata a estudante de 23 anos.

Durante o Fórum haverá exposições, centros de negócios, discussões e espaços temáticos sobre tecnologias de informação e comunicação. "Será uma oportunidade para mostrar à comunidade mundial que o mestrado em Televisão Digital da Unesp de Bauru tem produzido pesquisas avançadas e de interesse público", relata Alan.

Flávia e Alan se reunirão com estudantes do mundo todo e deverão debater as tecnologias e como usá-las como contribuição para o desenvolvimento. "Espero aprender muito sobre o que está sendo desenvolvido em termos de tecnologia de informação e comunicação, tanto por parte da indústria quanto dos governos, em relação às políticas de comunicação. Creio que haverá uma troca de experiências muito interessante entre os jovens dos diversos países participantes".

Fonte: Vida Universitária

Mais sobre audiodescrição
O cinema, como arte audiovisual, se comunica por meio de uma linguagem. No que se
A Editora Catarse lançou o Manual de audiodescrição para produtos jornalísticos laboratoriais impressos, de Daiana
Este artigo, intitulado Problematização da Acessibilidade Comunicativa para Pessoas com Deficiência, promove a problematização inicial


Mais sobre audiodescrição
O cinema, como arte audiovisual, se comunica por meio de uma linguagem. No que se
A Editora Catarse lançou o Manual de audiodescrição para produtos jornalísticos laboratoriais impressos, de Daiana
Este artigo, intitulado Problematização da Acessibilidade Comunicativa para Pessoas com Deficiência, promove a problematização inicial