Deficientes reafirmam seus direitos de inclusão na mídia

Propostas para garantir o acesso dos deficientes à informação e à cultura chegam com grande aprovação no relatório final da I Conferência Nacional de Comunicação.

Diversas propostas que garantem a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e legendas, audiodescrição e braile tornando possível o acesso de surdos e cegos às informações por meio da televisão e do cinema foram reafirmadas na Confecom.

Estes direitos já são assegurados pelas leis brasileiras, contudo, não vêm sendo cumpridas desde a aprovação.

Também foi garantida a adoção nas escolas de softwares livres voltados para deficientes.

Outras medidas que garantem a participação dos deficientes em medidas de controle público como a implantação da figura do intérprete da Libras nas áreas de comunicação dos órgãos públicos visando facilitar o diálogo com os deficientes auditivos nos eventos públicos.

Fonte: PULSAR Brasil

Mais sobre audiodescrição
Sob a coordenação da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial,
A 21ª Semana da Pessoa com Deficiência do Estado do Rio Grande do Sul abordou
O Intervozes foi à Argentina para entender o que mudou por lá com a lei


Mais sobre audiodescrição
Sob a coordenação da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial,
A 21ª Semana da Pessoa com Deficiência do Estado do Rio Grande do Sul abordou
O Intervozes foi à Argentina para entender o que mudou por lá com a lei