O protesto do Geraldo Magela

Sacanagem! Eu estava outro dia zapeando a TV, quando eu me deparo no canal Multishow: Programa "Papo Calcinha".

4 moçoilinhas falando sobre sexo, até aí tudo bem! Gentem! Eu fui pra o espelho e não vi. Estava bege com tudo que eu ouvi. Eu ealmente estou velho, não imaginava que chegaria a essa liberalidade toda em tão pouco tempo. E as meninas falam com propriedade! Falam abertamente do desempenho sexual como se estivessem falando como tinham feito uma pizza no final de semana.

Mas isso não foi nada perto do que veio depois.  Começaram a passar um filme de sacanagem! Aliás, dupla sacanagem!

Porque o filme só tinha imagem, só imagem, nem uma gemedinha! É uma sacanagem o que fazem com nós cegos!

Mas isso não vai ficar assim! Eu já estou começando a organizar um manifesto junto a nossa cegolândia. Temos que ter nosso direito, até esquerdo respeitado.

Exigimos a áudio descrição, uma voz de uma mulher bem gostosa falando tudo que está acontecendo no filme, todos os detalhes, gemidos, gritos, tudo! Vamos sair as ruas, vamos gritar palavras de ordem. Toda turma do farol apagado gritando em uma só voz:

QUEREMOS PUTARIA, QUEREMOS PUTARIA! CEGOS, UNIDOS, JAMAIS SERÃO VENCIDOS!

Você que enxerga também pode participar desse manifesto, você também vai ser beneficiado com a áudio descrição. Já pensou? Vai poder gravar em um cd e ouvir no carro! Afinal, o trânsito que já está uma putaria, só vai receber mais um reforço! E tenho dito.>

Fonte: O Blog do Ceguinho

Mais sobre audiodescrição
Nós, pessoas com deficiência e representantes das entidades da sociedade civil que atuam na defesa
Carta Aberta em Defesa da Audiodescrição CONSIDERANDO que a Constituição de 1988 estabeleceu a obrigação
Nós, os participantes do foro regional “América acessível: Informação e Comunicação para TODOS”, realizado em


Mais sobre audiodescrição
Nós, pessoas com deficiência e representantes das entidades da sociedade civil que atuam na defesa
Carta Aberta em Defesa da Audiodescrição CONSIDERANDO que a Constituição de 1988 estabeleceu a obrigação
Nós, os participantes do foro regional “América acessível: Informação e Comunicação para TODOS”, realizado em