Leia, Antes Que O Mundo Acabe

A sala de exibição do Santander Cultural ontem às 17 horas esteve lotada. O ânimo de todos: vamos assistir aquele filme, Antes Que O Mundo Acabe”.

Foi uma exibição especial, de um filme que se tornou especial, por conta de um trabalho especial.

Com efeito, a audiodescritora Letícia Schwartz procurou a produtora Ana Luíza Azevedo, sugeriu a insersão da audiodescrição no filme, a produtora aceitou a idéia e o trabalho foi realizado. Eis porque o filme se tornou ESPECIAL.

A platéia que lotou o Santander Cultural, de certa forma, também era ESPECIAL, vez que constituída majoritariamente por pessoas com deficiência visual ou auditiva. Além da audiodescrição, havia legenda, que beneficiava os deficientes auditivos que soubessem ler.

Ao noticiar a realização exitosa do evento, quero cumprimentar as três partes do processo:

A Letícia Schwartz, pelo brilhante e eficiente trabalho de audiodescrição;

a produtora Ana Luíza Azevedo, não só pelo conteúdo do filme, mas, no caso, principalmente por ter aceito a insersão da audiodescrição, o que veio a beneficiar o próprio filme, mas, principalmente aos assistentes cegos.

De parabéns, também, estes e os deficientes auditivos, que, graças ao trabalho da Letícia e às legendas, tiveram condições de usufruir integralmente o filme apresentado, apesar de o mesmo constar de muitos recursos visuais.

Considerando aqui os cegos, devo dizer que, sem a audiodescrição, muitas e muitas cenas do filme e mesmo seu enredo teria o entendimento bastante prejudicado.

Mas, nesta minha apreciação, os cegos estão de parabéns, não só por terem se beneficiado do trabalho das profissionais já referidas, mas principalmente por terem prestigiado de maneira muito bonita esse trabalho, lotando as dependências do Santander.

Essa acorrência em massa, seguramente foi registrada positivamente por Ana Luíza e Letícia, pois demonstrou que o trabalho valeu a pena, que deve continuar.

Aliás, ontem foi anunciado que será lançado e distribuído em dvd, já com audiodescrição, ANTES QUE O MUNDO ACABE.

FRANCIMAR TORRES MAIA – o Cearucho.

Mais sobre audiodescrição
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar
Um mundo sem imagem, mas não sem poesia! Estou sentado, sozinho, na sala escura. Uma


Mais sobre audiodescrição
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar
Um mundo sem imagem, mas não sem poesia! Estou sentado, sozinho, na sala escura. Uma