Pela primeira vez, Pernambuco assiste a espetáculo de dança audiodescrito

Neste domingo (23), será apresentado pela primeira vez em Pernambuco um espetáculo de dança com audiodescrição. A apresentação de “Leve” será às 19h, no teatro Marco Camaroti, no Sesc de Santo Amaro. A coreografia é das bailarinas Maria Grelle e Renata Muniz. A audiodescrição – técnica de tradução de imagens – é de Andreza Nóbrega.

O espetáculo é uma das atrações do 4º Festival Palco Giratório Brasil, evento organizado pelo Sesc que reúne 35 montagens teatrais com variados estilos e linguagens. Além de “Leve”, mais três eventos contam com o recurso da audiodescrição: O Fio Mágico, Guerreiros da Bagunça e Um Rito de Mães. São disponibilizados por espetáculo 40 equipamentos individuais.

Todas as obras estão sendo audiodescritas por Andreza Nóbrega. Ela é atriz e mestranda em educação, pela Universidade Federal de Pernambuco. Segundo Andreza, a audiodescrição começa antes do espetáculo. São apresentadas informações como arquitetura do espaço, disposição de palco, cenário e histórico da obra. Ela explica que audiodescrever um espetáculo de dança é uma tarefa desafiadora, mais complexa do que uma peça de teatro, já que o seu roteiro só mantém diálogo com a música.

O recurso da audiodescrição não pode ser confundido com narração ou interpretação do audiodescritor. As informações acerca do movimento, maquiagem, figurino, entrada e saída de atores, piadas visuais, entre outras, devem dar ao seu destinatário a possibilidade de construir suas próprias imagens e juízo de valor. A experiência no Palco Giratório faz parte do projeto de pesquisa de mestrado de Andreza – que investiga a acessibilidade do teatro para crianças cegas. Seu orientador é o Professor Doutor Francisco Lima, coordenador do Centro de Estudos Inclusivos do Centro de Educação da UFPE e único formador de audiodescritores em Pernambuco.

Os ingressos do espetáculo de dança custam R$ 10 (inteira) e R$5 (meia). Nos próximos dias 26 e 29 de maio, serão encenadas, respectivamente, as peças Um Rito de Mães e Fio Mágico. Mais informações no site do Sesc.

DEFICIÊNCIA: Segundo o Censo 2000, do IBGE, há no país 16,6 milhões de pessoas com deficiência visual (9,8% da população), sendo 150 mil cegas. Só em Pernambuco, são 964 mil pessoas com alguma deficiência visual (12,1% da população). A acessibilidade comunicacional é um direito desses cidadãos garantido pela lei federal 10.098/99, que prevê a eliminação de barreiras na comunicação, além da adoção de alternativas técnicas que tornem acessíveis os sistemas de comunicação e sinalização. O decreto 5096/2004 – que regulamenta a lei 10.098 – prevê a obrigatoriedade da audiodescrição na televisão brasileira.

FONTE: Aqui Notícias (com informações de Nucleo da Diversidade)

Mais sobre audiodescrição
O Coletivo Lugar Comum e a Cia. Etc. se encontraram no Instituto de Cegos Antônio
Dentro ou fora do palco, o Festival de Dança de Joinville é um evento consolidado
acaba de sair a mais nova edição do programa ACESSIBILIDADE JÁ, programa produzido por Lenon


Mais sobre audiodescrição
O Coletivo Lugar Comum e a Cia. Etc. se encontraram no Instituto de Cegos Antônio
Dentro ou fora do palco, o Festival de Dança de Joinville é um evento consolidado
acaba de sair a mais nova edição do programa ACESSIBILIDADE JÁ, programa produzido por Lenon