Retratos da Fragilidade Humana

A tragédia humana e o esfacelamento dos valores da sociedade apresentados na televisão, plastificados pela estética do colorido, que retratam a fragilidade humana. Talvez o espetáculo Mi muñequita, que será apresentado hoje, às 21h, e amanhã, às 20h, dentro do Palco Giratório, no Teatro Barreto Júnior, possa ser definido assim.

O enredo é cortante: uma menina, que atira na mãe, que matou o pai, que matou o irmão, porque ele abusou sexualmente da sobrinha. La Nena, precisa se libertar da violência dessa família desajustada – formada por La Madre, El Padre e El Tío – para crescer. A boneca preferida – La Huerfanita – vai ajudá-la nessa tarefa; e El Presentador é o mestre de cerimônias.

O espetáculo, baseado no texto de Gabriel Calderón, foi montado pela produtora Ponte Cultural, de Santa Catarina.

Outra atração do Palco Giratório, que se apresenta somente hoje, às 19h, no Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro), é Encantrago – Ver de rosa um Ser tão, que esteve aqui em 2009, no Festival Recife do Teatro Nacional. A montagem é baseada nos contos A menina de lá, A hora e a vez de Augusto Matraga e o romance Grande Sertão: Veredas, todos de Guimarães Rosa.

No sábado e domingo, a Cia Tato Criação Cênica, com sede em Curitiba, propõe um olhar diferenciado. Que tal contar uma história utilizando apenas as mãos? É isso que faz o grupo que irá apresentar o espetáculo E se#, voltado ao público infanto-juvenil, amanhã, às 16h30, no Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela). A peça mostra o cotidiano de personagens que se encontram ou desencontram na rua de um centro urbano. Já Tropeço (sábado e domingo, às 20h, também no Capiba) indicado para o público maior de 14 anos, traz duas velhas que vivem o desafio da velhice, mas com poesia e sutileza.

No Teatro Hermilo Borba Filho, a atração, também para a infância, é Os meninos verdes (domingo, às 16h30), do Voar Teatro de Bonecos, de Brasília. O espetáculo traz as pequenas criaturas verdes do jardim de Dona Cora. Ainda no domingo, fecha a programação a coreografia Leve (Marco Camarotti, às 19h), das bailarinas Maria Agrelli e Renata Muniz. O espetáculo disponibilizará o recurso de audiodescrição. Ingressos: R$ 10 e R$ 5.

Fonte: Diário de Pernambuco

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma