Olhe Para Trás Com Raiva: estréia hoje no Teatro VIVO, com acessibilidade

A peça é em grande parte autobiográfica, baseada em momentos da vida em comum de Osborne (1929-1995), com sua esposa Pamela Lane. Encenada em 1956 pela English Stage Company, no Royal Court Theatre, "Olhe Para Trás com Raiva" representa a renovação do teatro inglês na década de 1950, assinalando a ruptura de repertórios e montagens convencionais do teatro londrino da época.

Neste drama, as atitudes do protagonista traduzem a rebeldia, desencadeada por uma latente raiva, peculiar da geração pós-guerra na Inglaterra, momentos em que jovens dotados de talento e cheios de projetos têm frustradas suas possibilidades artísticas e sociais.

Na peça, a revolta contra o conservadorismo de uma sociedade altamente hierarquizada, com desigualdades sociais, intolerância, preconceitos, dissimulações são discutidas por meio do agressivo e brilhante Jimmy Porter. Para Ulysses, diretor do espetáculo, Jimmy é uma espécie de Hamlet. Igual ao príncipe da Dinamarca, ele sabe que deve agir, mas nada faz.

A sua compreensão do mundo é um convite para a nossa imediata identificação com ele, que nos atrai por ter pensamentos de qualidade e prazeirosos ao mesmo tempo.

Jimmy contracena com duas jovens pertencentes a famílias da alta burguesia. A primeira é a sua esposa Allison, vivida pela atriz Karen Coelho. Ela tem como confidente a amiga Helena Charles (Maria Manoella), que se torna sua amante ao longo da história. Retratadas com uma força transgressora, e em um tom pouco comum nas artes cênicas até a metade do século XX, as relações entre os sexos condensam.

Mergulhados em um poço sem fim de contradições e buscas, sem conseguirem respostas consistentes para seus conflitos, os personagens levam ao palco questões sérias. Mas como são jovens há humor, um humor desesperado. Eles são dramáticos, porém a aventura humana é cheia de ironias, de falsas percepções, mentiras sinceras dentro de situações dramáticas, pontua Ulysses.

A inteligência dos personagens, o jogo cênico estruturado com perfeição, a verve do autor e, evidentemente, o fato de ser um clássico do teatro contemporâneo, prometem levar boas reflexões e envolvimento da plateia. Comportamentos e sensações que justificam as delícias da sexta arte.

Direção: Ulysses Cruz

Autor: John Osborne

Elenco: Sérgio Abreu, Karen Coelho, Thiago Mendonça e Maria Manoella

Gênero: Drama

Classificação: Maiores de 14 anos

Local: Teatro Vivo (São Paulo) – Av. Dr. Chucri Zaidan , 860, Morumbi – São Paulo – SP

Temporada: 11 de junho a 8 de agosto

Horários: Sexta-feira às 21h30 , sábado às 21h e domingo às 19h

Duração: Aproximadamente 105 minutos

Preço: R$ 40,00 a R$ 50,00

Informações Adicionais: Cliente Vivo tem 50% de desconto com direito a 1 acompanhante (Basta apresentar o celular Vivo, ou conta de consumo).

Acessibilidade: Pessoas com deficiência visual/auditiva: Audiodescrição/Interpretação LIBRAS

Reservas (11) 7420-1520

Reservas para pessoas com deficiência: livia@terra.com.br

Sinopse: Do original Look Back in Anger, texto do dramaturgo, roteirista e ator inglês John Osborne, transformou-se em Olhe para Trás com Raiva a partir da tradução de Antonio Guimarães e Angela Ramalho e da adaptação de arcos Daud.

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma