Primeiras iniciativas para oferta da audiodescrição no Brasil

Revista do Instituto Benjamin Constant publicou artigo em que relata as primeiras iniciativas para oferta da audiodescrição no Brasil, um projeto do Centro Louis Braille da cidade de Campinas (SP).

O Centro Cultural "Louis Braille" de Campinas desenvolveu, no ano de 1999, o projeto "Vídeo-Narrado", que consistiu na exibição semanal de filmes de longa metragem em fitas de vídeo, a jovens e adultos cegos ou com visão subnormal, com o auxílio de uma narradora.

foto do Centro Louis Braille de Campinas: primeiras iniciativas da audiodescrição no Brasil

Esse trabalho foi desenvolvido com o objetivo de refletir sobre a atividade e suas relações com o processo de inclusão social de pessoas com deficiência visual.

Para tanto, foram entrevistados treze usuários da entidade, sendo sete homens e seis mulheres, com idades variadas entre 14 e 49 anos, dos quais 30% haviam concluído o ensino médio e um era membro da administração da entidade.

Com as respostas dos usuários, foi possível verificar que a apreciação da atividade atingiu 100% dos entrevistados, e que repercutiu positivamente em suas vidas, principalmente em relação à sua participação nos grupos sociais a que pertenciam.

Leia a íntegra deste artigo publicado na Revista do Instituto Benjamin Constant em 2002.

Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série


Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série