Logotipo do Blog da Audiodescrição: letras A e D. A letra D forma grafismo lembrando ondas sonoras se propagando

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Qual a grafia correta: audiodescrição, áudio-descrição, ou áudio descrição?

Os leitores deste blog já devem ter percebido que, em algumas postagens, a grafia empregada é audiodescrição, em outras lê-se áudio-descrição e, com menor frequência áudio descrição.

O emprego do hífen é um dos maiores motivos de dúvidas da lingua portuguesa, e uma das regras ortográficas com o maior número de exceções.

Por padrão, o Blog da Audiodescrição respeita a grafia empregada pelos autores dos artigos que publicamos, mas imagino que muitos leitores devem estar se perguntando: afinal, qual a grafia correta?

Em uma pesquisa rápida na Internet encontrei:

1. Ciber Dúvidas da Lingua Portuguêsa

A) Audiodescrição ou áudio-descrição

[Pergunta] Gostaria de saber como ficou a grafia de "audio-descrição" (com ou sem hífen?). Grato.
Cícero R. C. Omena :: Jornalista :: Maceió, Brasil.

[Resposta] Como dissemos em resposta anterior, "o elemento áudio não é hifenizado (nem acentuado graficamente) quando é o primeiro elemento de compostos". Assim, a grafia da palavra é audiodescrição, quer com o [*] Acordo Ortográfico de 1990 , quer com o [*] Acordo Ortográfico de 1945, que ainda vigora em Portugal.
Carlos Marinheiro : 12/05/2010.

B) Audiolivro ou áudio-livro

[Pergunta] Gostaria de saber qual a ortografia correcta da palavra "áudio-livro" / "audiolivro". Em vários meios de comunicação online encontrei "áudio-livro", mas também "audiolivro". Muito obrigada desde já pela vossa ajuda.
Bárbara Santos : Estudante : Estugarda, Alemanha.

[Resposta] Seguindo o modelo de videoconferência e audioconferência, forma-se audiolivro, sem hífen. Ou seja, o elemento áudio- não é hifenizado (nem acentuado graficamente) quando é o primeiro elemento de compostos.
Carlos Rocha : 10/12/2008

C) Guia Áudio, guia-áudio e audioguia

[Pergunta] Devemos usar "audioguia" ou "guia-áudio" (com ou sem hífen?), quando nos referimos ao aparelho electrónico em uma visita guiada, por exemplo, numa exposição? Obrigada.
Paula Zhau : Técnica Administrativa : Macau, Macau

[Resposta] As duas formas estão corretas:
Audioguia - assim como se escreve audiocassete e audiofrequência (cf. Para a [*]Mordebe), é possível formar audioguia, porque o elemento de origem latina áudio se liga a um substantivo sem hífen.
Guia Áudio ou Guia-Áudio - A palavra "áudio" é, além de substantivo, um adjetivo. Por conseguinte, pode fazer parte de uma expressão nominal que não exige hífen, da mesma maneira que não apomos um hífen à expressão "mar azul". No entanto, se os falantes considerarem a expressão em causa como uma designação distinta de um "guia (que é) áudio", isto é, se acharem que se trata de um composto que funciona como uma unidade lexical, então, é aconselhável o hífen. Observe-se, porém, que os critérios da hifenização com composto de substantivo e adjetivo não são claros: por um lado, temos feijão-verde, com hífen; por outro, caixa negra (de um avião), sem ele.
Carlos Rocha : 18/07/2008

D) A grafia de palavras compostas de acordo com o Acordo Ortográfico

[Pergunta] Gostava de saber como se escrevem as seguintes palavras de acordo com o novo acordo ortográfico:
não-linguística, espácio-temporal, para-linguística, sócio-cultural, público-alvo, áudio-descrição, estados-membros, áudio-verbal, não-verbal, dia-a-dia, espectador-alvo, norte-americano, hoje-em-dia, longa-metragem, mais-que-perfeito, palavra-chave.
Andreia Salazar : Estudante de mestrado : Vila Nova de Famalicão, Portugal

[Resposta] Eis a grafia das palavras que apresenta, segundo o novo Acordo Ortográfico:
não linguística, espácio-temporal, paralinguística, sociocultural, público-alvo, audiodescrição (nota: esta palavra não se encontra dicionarizada), estados-membros, audioverbal(nota: esta palavra não se encontra dicionarizada), não verbal, dia a dia, espectador-alvo/espetador-alvo, norte-americano, hoje em dia (nota: esta sequência não corresponde a uma palavra composta), longa-metragem, mais-que-perfeito, palavra-chave.
Sandra Duarte Tavares : 03/10/2011

2. Academia Brasileira de Letras.

A) Vocabulário Ortográfico da Lingua Portuguesa (VOLP).

áudio (s.m.); audioamplificador (s.m.); audioamplificar (v); audiofone (s.m.); audiofônico (adj.); audiofrequência (s.f.); audiograma (s.m.); audiologia (s.f.); audiológico (adj.); audiologista (s.2g.); audiólogo (s.m.); audiometria (s.f.); audiométrico (adj.); audiômetro (s.m.); audioscopia (s.f.); audioscópico (adj.); audioscópio (s.m.); audiotransformador (adj.); audiovisual (adj.2g.); audiovisualização (s.f.); audiovisualizador (adj.); audiovisualizante (adj.2g.); audiovisualizar (v.)

B) Novo acordo ortográfico de 2009

Quanto ao hífen:

Em compostos:
- Emprega -se o hífen nos vocábulos onomatopaicos formados por elementos repetidos, com ou sem alternância vocálica ou consonântica, como blá -blá -blá, lenga -lenga, tique -taque, trouxe -mouxe, etc.
- Não se emprega o hífen nos compostos por justaposição com termo de ligação, como pé de moleque, folha de flandres, tomara que caia, quarto e sala, exceto nos compostos que designam espécies botânicas e zoológicas, como ipê -do -cerrado, bem -te -vi, porco -da -índia, etc.

Nas formações com prefixos ou radicais:

Emprega -se o hífen:
- Quando o primeiro elemento termina por vogal ou consoante igual à que inicia o segundo elemento, como anti-inflamatório, micro-ondas, auto-observação; ad-digital, sub-base.
- Quando não houve perda do som da vogal final do primeiro elemento, e o elemento seguinte começa por h, podem ser usadas duas formas gráficas distintas, como bi-hebdomadário e biebdomadário, zoo-hematina e zooematina.
- Quando o primeiro elemento termina por m e o segundo elemento começa por vogal, h, m ou n, como circum-hospitalar, circum-murado, circum-navegação.
- Quando o segundo elemento começa por h, como adeno-hipófise, anti-herói, mega -hertz.

Não se emprega o hífen:
- Nas formações com os prefixos co-, re-, pre- e pro-, mesmo nos encontros de vogais iguais ou quando o segundo elemento começa por h, como coautor, coocupante, coabitar, coerdeiro; reabilitar, reescrever; preexistência; proativo.
- Nas formações em que o primeiro elemento termina por vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo estas consoantes duplicar -se, como em antissocial, minissaia, suprarrenal.
Observação: Não estão consignadas nesta 5a edição do VOLP as formações com as palavras não e quase com função prefixal, como não agressão, não fumante, quase nada etc., por não serem os elementos de tais formações separados por hífen.

3. Manual de Redação da PUC RS

As palavras compostas com áudio como primeiro elemento não são hifenizadas.

Como se pode perceber pelas citações acima, parece ser uma regra, não modificada explicitamente pelo novo acordo ortográfico de 2009, que as palavras compostas que têm "áudio" como primeiro elemento perdem o acento e não são hifenizadas.

A exceção, uma das muitas da lingua portuguesa, é o caso em que se considera que "áudio descrição" é um léxico diferente de "áudio-descrição", ou seja, constitui uma outra palavra com sentido próprio, diferente de quando as palavras áudio e descrição estão separadas. Este é o argumento daqueles que defendem o uso do hífen, como neste artigo.

No entanto, o novo acordo ortográfico criou exceção da exceção, ao indicar que palavras já consagradas sem o hífen mantenham a grafia, como girassol, por exemplo (sm (girar+sol) Planta composta ornamental, de sementes oleaginosas (Helianthus annuus), cujas flores se voltam para o sol).

Nenhuma outra palavra está tão intimamente vinculada a "audiodescrição" do que a palavra "audiovisual", que tem sua grafia plenamente consagrada sem o hífen. Sendo a audiodescrição um recurso de acessibilidade que permite melhor compreensão de produtos audiovisuais por pessoas com deficiência, ficam as perguntas: seria conveniente criar uma discrepância escrevendo audiovisual e áudio-descrição(?); ao fazer isso, não estaríamos obrigando as pessoas com deficiência, usuárias da audiodescrição, a dar mais uma de tantas explicações sobre um recurso ainda pouco conhecido da sociedade em geral(?); será que o fato da descrição de imagens para pessoas com deficiência possuir técnicas específicas e diferentes da descrição de imagens para quem enxerga seria motivo tão relevante a ponto de justificar a diferenciação ortográfica(?). Além disso, a discussão não se resume em que "áudio descrição" e "áudio-descrição" possuem significados diferentes, deixando de considerar a terceira hipótese: "audiodescrição".

Nossa preferência está indicada no próprio nome do blog, mas certamente continuaremos respeitando a preferência dos autores de artigos que ajudamos a divulgar.

Fonte: Blog da Audiodescrição

7 comentários:

Francisco Lima disse...

Paulo, áudio, em áudio-descrição não é prefixo, portanto sendo a grafia recomendada para esses casos a da áudio-descrição. Para que fosse prefixo se haveria de ter na palavra descrição um radical, isto é, descrição teria de ser radical da palavra. Como áudio-descrição é um substantivo composto em que cada termo mantém seu sentido, porém tornando-se em um léxico com sntido especializado, a grafia deve ser a com traço de união.
Já a respeito de colocar as pessoas com deficiência explicando sobre mais esse ponto da áudio-descrição... bem pessoas bem informadas, sejam cegas ou não, podem falar do que entendem, ter opiniões dos assuntos que lhes dizem respeito etc. O que não podemos é dar a ideia que são pobres coitados que agora terão de explicar mais isso ou aquilo. É um deserviço sustentar a ideia de coitado aos indivíduos com deficiência. no mais, o que importa é que as pessoas com deficiência possam ter voz, sendo, verdadeiramente representadas por aqueles que elas titulam como seus representantes, não por alguns iluminados que querem dar às pessoas com deficiência ares de coitadinhas, como esse post deixa transparecer.
Aqui falo como Francisco, embora seja um indivíduo cego; e não falo pelas pessoas com deficiência visual, só por ser uma delas.
não podemos sustentar nossas posições gramaticais ou outras, com base na perpetuação de barreiras atitudinais.
Francisco Lima

Leo Rossi disse...

ehehe.. to contigo! Audiodescrição todo junto, apesar de todo junto ser separado!
ehehee...

Elton Vergara Nunes disse...

Na Portaria 310, de 2006, a palavra estava escrita com hífen. Entretanto, de acordo com as atuais regras ortográficas, na Portaria 188, de 2010, "audiodescrição" está sem hífen. Suponho que assim deva aparecer em documentos oficiais.

Flávia Oliveira disse...

Adorei o post! Muito útil!
Só para acrescentar no item audiodescrição, fiz a mesma pergunta para a Academia Brasileira de Letras e a resposta foi: audiodescrição. Aí não tem como discordar mesmo.

Um abraço!

Flávia Oliveira Machado

Rosa da Rosa disse...

... que este recurso seja cada vez mais divulgado, conhecido e utilizado. Abraços!

Patrícia Braille disse...

Que maravilha de explicação! Sempre simpatizei com a grafia "tudo junto" [mesmo sabendo que não se decide isso por simpatia]. Parabéns!

Rod disse...

Essa é uma discussão sem sentido, na minha humilde opinião. Se o novo acordo ortográfico, que deveria regulamentar, não o fez por dar margem a duas formas corretas [que dependem não de ortografia, mas de interpretação], será que se deveria perder tempo precioso em tentar padronizar o "impadronizável", ou seja, a interpretação de cada indivíduo, único e imcomparável?

Além disso, eu tambem me senti desconfortavel com o trecho que dizia algo sobre o cego ter de explicar mais outra coisa sobre a técnica. Está cheio de gente aí que enxerga muito bem e fala errado, ou não sabe explicar qualquer coisa que seja sobre a língua portuguesa. O cego, então, explica os porquês se souber ou quiser, e isso de modo algum o deixaria mais ou menos cego, nem mais ou menos inteligente.

Entendo que existem pessoas com deficiência que gostam de ser tratados como vítimas. Porém, tenho certeza de que esses são a minoria, gatos-pingados [que recebe hífen porque se torna uma palavra diferente das originais]. Portanto, imagino ser mais prioritário usar o tempo e o espaço para discussões produtivas, e não essas "abobrinhas" que apenas dividem opinião invés de unir as pessoas.

Grato pelo espaço e pelo excelente trabalho do blog. Até mais ver...

Postar um comentário

Olá, obrigado por deixar seu comentário. Ele estará disponível no blog após liberação do moderador.