Audiodescrição no Museu de Arte Contemporânea do Recife

Latas e papeis "decoram" o Instituto de Arte Contemporânea. Tomam o espaço as exposições "Caixas Pretas sobre Cubo Branco" e "Almanaque do Tempo Comum".

Caixas pretas…” é a nova mostra do coletivo pernambucano de arte Amplexo

Instaurar mundos. Estabelecer conexões que permitam a transformação de um objeto qualquer em um objeto artístico. Fundir, enfim, o estático e o espacial da instalação, com o dinâmico e o temporal da performance. Eis, brevemente, noções do conceito de "instauração", leitmotiv criativo do coletivo pernambucano de arte Amplexo, cuja nova exposição foi inaugurada dia 10 de agosto, às 19h, no Instituto de Arte Contemporânea (Iac).

Intitulada "Caixas Pretas sobre Cubo Branco", a exposição mais recente do grupo reedita, em tamanho expandido (agora são cerca de 80 artistas convidados), experiência anterior, realizada em 2008, na Itália. Na ocasião, os integrantes do coletivo foram levados a realizar, individualmente, "interferências" em pequenas caixas de metal.

Para a exposição do Iac foram convidados artistas brasileiros, italianos, alemães e argentinos. Cada realizador recebeu cinco latinhas de metal, onde deveriam ocultar pequenas obras de arte. "A proposta foi bastante simples: a partir de um elemento comum que foi distribuído para todos os artistas, cada um fez o seu trabalho. Os participantes tiveram total liberdade para montar e interferir nas latinhas e a única exigência foi que as usassem", aponta André Aquino, um dos organizadores da exposição e integrante do grupo Amplexo.

Segundo Aquino, a mostra deve circular ainda por outras cidades. "Como trabalhamos em rede já temos convites para que a exposição migre para outro local como Brasília e Londres", afirma. "Na exposição, acrescenta o artista, optamos pelas latas por causa das dimensões. "São fáceis de enviar e receber".

"Caixas Pretas sobre Cubos Brancos" faz referência ao trabalho do suíço Hebert Distel, que incorporou o papel de curador ao convidar artistas de todo mundo para exibição de obras em miniaturas em um "Museu de Gavetas". Mas enquanto Distel fez uso de questões associadas ao curador e seus conceitos, a exposição do Iac discute especificamente questões ligadas ao espaço expositivo. Pode-se pensar cada obra como uma "caixa preta", como arquivos individuais (anti-espetacular, portanto), opondo-se à caixa preta teatral e à super exposição que enseja.

A mostra disponibilizará o recurso de áudio-descrição para deficientes visuais mediante agendamento. O atendimento aos deficientes visuais foi desenvolvido pelo professor Francisco Lima, coordenador do Centro de Estudos Inclusivos da UFPE.

Serviço

Exposição Caixas Pretas sobre Cubo Branco.

Instituto de Arte Contemporânea – Iac – Rua Benfica, 157, Recife – PE . Visitação: 8h às 12h e 14h às 17h, até 01/09/2010

Fonte: Folha de Pernambuco

Mais sobre audiodescrição
Pai da Aviação e Patrono da Força Aérea Brasileira, Alberto Santos Dumont tem sua vida
Fotografias que ficaram guardadas por anos e objetos pessoais do fotógrafo amador Alberto de Sampaio
Além da Pele: A Beleza da Alma e da Família é uma exposição composta por


Mais sobre audiodescrição
Pai da Aviação e Patrono da Força Aérea Brasileira, Alberto Santos Dumont tem sua vida
Fotografias que ficaram guardadas por anos e objetos pessoais do fotógrafo amador Alberto de Sampaio
Além da Pele: A Beleza da Alma e da Família é uma exposição composta por