III Curso de áudio-descrição Imagens que falam

“Formar áudio-descritores de eventos visuais para inclusão comunicacional, social e cultural de pessoas com deficiência – este é o objetivo do 3º curso de audiodescrição ministrado pelo Centro de Estudos Inclusivos da Universidade Federal de Pernambuco.

Logo UFPE

Logo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).
Descrição: Numa moldura trapezóide de base curva, cuja linha de cima revela a extremidade superior de três tochas flamejantes, encontra-se a silhueta estilizada de um leão de perfil. Rugindo, ele ergue verticalmente uma tocha acesa. Tangenciando a parte inferior da moldura há uma fita ondulada, trazendo a epígrafe "VIRTUS IMPAVIDA". Na parte inferior da fita, percebem-se as extremidades das tochas.

Logo CEI

Logo do Centro de Estudos Inclusivos (CEI/UFPE).
Descrição: No centro de um círculo amarelo, vê-se uma lâmpada acesa. Margeando desde o lado esquerdo do círculo, as palavras Centro de Estudos Inclusivos entram gradativamente em direção à lâmpada, aproximando-se-lhe pelo lado direito.

Logo do curso Imagens que Falam

Logo do Curso de Tradução Visual "Imagens que Falam".
Descrição: No Centro de uma estrela preta de cinco pontas vê-se um retângulo branco, cujos lados direito e esquerdo são abaulados. Ao centro do retângulo as letras A e D são inscritas em maiúsculas à direita da letra D, veem-se ondas formadas por três linhas curvas.

Idealizador: Dr. Francisco José de Lima (Centro de Estudos Inclusivos – CEI/UFPE)

Organizadores:
Dr. Francisco José de Lima
Dra. Rosângela A. F. Lima

III CURSO DE ÁUDIO-DESCRIÇÃO: IMAGENS QUE FALAM

Data de início: 16 de Setembro de 2010 (quinta-feira)

Duração: Quarenta e seis horas (46 horas), no período de setembro a dezembro de 2010.

Local: Centro de Estudos Inclusivos (CEI), sala 103. Centro de Educação UFPE.

OBJETIVO GERAL
– Formar áudio-descritores de eventos visuais para inclusão comunicacional, social e cultural de pessoas com deficiência.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
– Dar a conhecer o que é Áudio-descrição, apresentar sua história, suas bases legais para a implantação, bem como as diretrizes para sua aplicação cotidiana;
– Divulgar sua aplicabilidade e sua potencialidade na cultura, na educação, no trabalho e no lazer, como recurso de acessibilidade comunicacional para as pessoas com deficiência, principalmente para as pessoas cegas ou com baixa visão;
– Formar áudio-descritores capazes de traduzir eventos visuais fílmicos, teatrais, educacionais, culturais e outros, sejam de natureza estática ou dinâmica.

APRESENTAÇÃO

Visando a responder às exigências legais e buscando suprir as lacunas deixadas pelas barreiras comunicacionais enfrentadas pelas pessoas com deficiência visual, o "III Curso de Áudio-descrição: Imagens que Falam" é o resultado da primeira ação concreta em prol do desenvolvimento da áudio-descrição no estado de Pernambuco.

Portanto, a construção deste terceiro curso para o ensino, discussão e divulgação da áudio-descrição no Estado é resultado do aprimoramento do curso de tradução visual com ênfase na Áudio-descrição, ministrado em 2008 e 2009.

No presente curso, os participantes entrarão em contato não só com os conhecimentos voltados à descrição de filmes, peças teatrais, conteúdos televisivos e outros, mas também com os constructos que permitirão a descrição de figuras, fotos e outras configurações bidimensionais, eventualmente encontradas em apresentações como slides ou transparências, em seminários, congressos e afins, ou, tão somente, em sala de aula, nos livros didáticos dos alunos e nos sites que lhes servem de lócus de aprendizagem.

Neste curso, ainda, os estudantes entrarão em contato com trabalhos com áudio-descrição, partilharão suas experiências no exercício de produzir roteiros e locuções áudio-descritivas para diversas mídias.

Nas 46 horas de estudo teórico e de prática a respeito da áudio-descrição, os participantes aprenderão que esta técnica consiste na identificação e elocução de elementos visuais essenciais à compreensão e apreciação das imagens presentes nas obras teatrais, cinematográficas, televisivas, literárias, jornalísticas, científicas, artístico-culturais, entre outras, destinadas, principalmente, às pessoas com deficiência visual, com dislexia, pessoas analfabetas, ou que não saibam o idioma em que um filme ou programa está sendo exibido.

O foco deste curso consiste em oferecer ao áudio-descritor ferramentas para tornar o mundo das imagens acessível àqueles que não as podem ver, tornando tais imagens significativas, portanto, igualmente relevantes para as pessoas com deficiência visual, tanto quanto para os indivíduos que enxergam.

O conceito que esteia o curso é o de que na áudio-descrição, as imagens devem falar aos sujeitos que não as vêem (com a mesma magnitude e beleza), por meio da voz ou da escrita do áudio-descritor, de maneira vívida, objetiva, específica e sem a interpretação inferencial daquele tradutor visual.

A áudio-descrição faz parte do campo da tradução e é produzida segundo diretrizes técnicas pré-estabelecidas, dentre as quais a da oferta de narração dos elementos visualmente observados, nos intervalos/pausas entre as falas dos personagens, ou de maneira metódica, também quando se tratar de elementos visuais estáticos como pinturas, esculturas desenhos e outros.

Como uma importante ação de responsabilidade social, a áudio-descrição se adequa às exigências legais como a Lei 10.098/2000 e ao Decreto 5.296/2004, bem como à Portaria 188/2010 do Ministério das Comunicações, entre outros dispositivos legais que visam à acessibilidade comunicacional às pessoas com deficiência visual, tanto na cultura, no lazer quanto na educação e no trabalho, por exemplo, num treinamento/capacitação oferecido aos empregados de uma empresa.

Os Áudio-descritores formados pelo "Curso de Tradução Visual com Ênfase na Áudio-descrição Imagens que Falam" serão preparados para produzir roteiros de áudio-descrição para gravação em cinema, teatro ou televisão, bem como para fazer áudio-descrição simultânea nesses ambientes e outros, como em museus, mostras de arte, congressos, conferências etc.

A QUEM SE DESTINA

Profissionais e estudantes de comunicação, profissionais e estudantes das áreas de artes em geral e das áreas de cênicas e plásticas; Diretores e Produtores culturais; Autores de livros; Promotores de eventos culturais e educacionais, bem como todos os que se interessem por teatro, cinema, fotografia e televisão; Profissionais de turismo e museus; Profissionais e estudantes das áreas de RH, Psicologia, Engenharia e Arquitetura, que se interessem pela acessibilidade da pessoa com deficiência; Professores e alunos de Letras com ênfase em tradução; Educadores em geral e pessoas com deficiência visual.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Os interessados deverão enviar por e-mail (ceitrabalhos@gmail.com) carta de intenção dizendo das razões/interesse em fazer o curso de áudio-descrição. A carta de intenções deverá ser enviada por e-mail até às 12 (doze) horas do dia oito de setembro de 2010. Os candidatos deverão, também, comparecer ao Centro de Estudos Inclusivos – Sala 103 do Centro de Educação da UFPE – para um teste em áudio-descrição, nos dias 09 ou 10 de setembro de 2010 no período entre 14 e 17:30.

INVESTIMENTO
* 150 reais, em uma só parcela, destinados à compra de materiais e equipamentos a serem usados pelo curso.
*Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone do CEI/UFPE (81) 3453.5066.

Fonte: Francisco J. Lima

Mais sobre audiodescrição
A Universidade Estadual do Ceará (UECE) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferecem cursos
O Itaú Cultural promove em dezembro a segunda edição do "Entre Arte e Acesso", evento
Objetivos: o curso de audiodescrição Da Imagem Estática a Palavra Falada tem por objetivo fornecer


Mais sobre audiodescrição
A Universidade Estadual do Ceará (UECE) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferecem cursos
O Itaú Cultural promove em dezembro a segunda edição do "Entre Arte e Acesso", evento
Objetivos: o curso de audiodescrição Da Imagem Estática a Palavra Falada tem por objetivo fornecer