Acessibilidade na telona

Não é de hoje que se fala em inclusão para deficientes visuais e pessoas com mobilidade reduzida. Assim como lugares e serviços das cidades devem se adaptar ao trânsito diário desses cidadãos, a oferta de lazer também deve ser pensada e estendida para eles. Mas e a acessibilidade na telona?

Algumas salas de cinemas já contam com rampas, poltronas para acompanhante e espaços para os cadeirantes.

Para o deficiente visual, uma atividade cultural deve oferecer oportunidade de conhecer todas as informações visuais que não são descritas em áudio, principalmente em uma exibição de filme cinematográfico.

O recurso da audiodescrição permite que o espectador receba informação do ambiente, das expressões faciais e corporais, dos efeitos especiais e dos créditos, por exemplo, ao mesmo tempo em que estes aparecem na telona.

O áudio da descrição é usufruído por meio de fones de ouvido e geralmente acontece nos espaços entre os diálogos e nas pausas, não se sobrepondo ao conteúdo sonoro relevante. Um profissional especializado descreve as principais informações visuais, inclusive no caso de filmes estrangeiros legendados, quando o audiodescritor também faz a leitura dos diálogos.

34ª Mostra de Cinema

Arcádia Lost

Pela primeira vez, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que está na sua 34ª edição, oferecerá recursos de acessibilidade na telona do CineSesc, em quatro sessões regulares, na capital paulista, com 50 pontos de fones de ouvido disponíveis. Um recurso que não costuma ser oferecido em grandes festivais de cinema do mundo.

A iniciativa é fruto da parceria entre os organizadores da mostra e a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo.

Por meio de fones de ouvido, os espectadores com deficiência visual acompanham a descrição das informações visuais dos filmes. Ao mesmo tempo, outros espectadores assistem normalmente à sessão sem interferência.

Para Marcos Belizário, secretário Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, a Mostra Inclusiva visa popularizar as ferramentas especiais para o público da Mostra de São Paulo.

Programação

Dia 1º (segunda-feira) – 15h20

"Arcadia Lost" (2009), de Phedon Papamichael (90 minutos) – Grécia – 14 anos.

Dia 2 (terça-feira) – 16h00

"Programa AXN" (seleção de curta-metragens), vários diretores (148 minutos) – Diversos países – 18 anos.

Dia 3 (quarta-feira) – 15h30

"O paraíso elétrico", de Michael Busch (208 minutos) – Alemanha – Livre.

Dia 4 (quinta-feira) – 16h00

"Um homem que grita", de Mahamat Saleh Haroun (92 minutos) – França, Bélgica e Chade – 12 anos.

Serviço

Mostra inclusiva- de 1 a 4 de novembro com Acessibilidade na Telona

ineSesc – Rua Augusta, 2.075, Jardim Paulista – Tel.: (11) 3087-0500
Ingressos: R$ 7,00 (meia) e R$ 14,00 (inteira). Vendas antecipadas pela internet.

Fonte: com informações do TERRA e ARCA Universal

Mais sobre audiodescrição
Pelas redes sociais, cegos e surdos reclamam contra decisão da Ancine. As pessoas cegas ou
Jamais esquecerei opresente que ganhei do Papai Noel em 2016. Era 25 de dezembro, à
Pelo segundo ano consecutivo, o espetáculo de Natal apresentado no Palácio Avenida, em Curitiba, contou


Mais sobre audiodescrição
Pelas redes sociais, cegos e surdos reclamam contra decisão da Ancine. As pessoas cegas ou
Jamais esquecerei opresente que ganhei do Papai Noel em 2016. Era 25 de dezembro, à
Pelo segundo ano consecutivo, o espetáculo de Natal apresentado no Palácio Avenida, em Curitiba, contou