encontro de pessoas com deficiência visual Em são Paulo

Em sua quarta edição, o evento reuniu mais de 300 pessoas, que aprovaram o serviço de audiodescrição disponibilizado pela SBB.

Pelo quarto ano consecutivo, o Museu da Bíblia sediou o Encontro de Deficientes Visuais e instituições que trabalham com este público.

Promovido pela Sociedade Bíblica do Brasil, o evento foi realizado no dia 23 de outubro, reunindo mais de 300 visitantes para um encontro de confraternização. A iniciativa integra o programa A Bíblia para Pessoas com Deficiência Visual, mantido há mais de 15 anos pela SBB.

A programação teve início com a palestra A Bíblia como Instrumento de Inclusão Social, proferida pelo secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, Erní Seibert. Depois de dar as boas-vindas, Seibert destacou que uma das riquezas da humanidade são as diferenças. "A Bíblia é um livro de inclusão social. No texto bíblico aprendemos os princípios que tornam possível a inclusão: o amor, o perdão e a tolerância. É por isso que a SBB utiliza a Bíblia como livro que promove a inclusão. Inclusão significa conviver com a diferença, como é o exemplo de Cristo", ressaltou o secretário.

Os organizadores convidaram os participantes que ainda não se cadastraram a integrar o programa A Bíblia para Pessoas com Deficiência Visual. A SBB produz, desde 2002, a Bíblia Sagrada completa em braile, na língua portuguesa, cujos exemplares são distribuídos gratuitamente a mais de 2,5 mil pessoas cadastradas, juntamente com o material em áudio. Além disso, a entidade desenvolve outros projetos que focam as pessoas com deficiências. "No próximo ano, já devemos ter a primeira porção bíblica em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), contemplando, com isso, um grande contingente de pessoas com deficiência auditiva", anunciou Seibert.

Os participantes do encontro assistiram ao filme Coração do Pai, baseado na parábola do filho pródigo. A audiodescrição ficou a cargo da doutora em linguística, Lívia Motta. "Este é um recurso que amplia a informação para pessoas com deficiência em espetáculos e eventos variados. É uma forma de transformar o visual em verbal, contribuindo para a inclusão deste público", observou Lívia, que atuou voluntariamente no evento e é a responsável pela preparação dos audiodescritores da primeira peça brasileira com audiodescrição no Brasil.

Na cerimônia, foram revelados os vencedores do concurso literário A História de Mary Jones – O início do movimento das Sociedades Bíblicas. Organizado pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o concurso de contos e poesias foi criado com o objetivo de destacar a vida da jovem que inspirou a criação das Sociedades Bíblicas, o começo deste movimento e o seu impacto na vida das pessoas, estimulando a criatividade de autores com deficiência visual ou não, e incentivando a leitura e a escrita em tinta e em braile.

Os ganhadores foram representados por Diego de Lima Ribeiro, segundo colocado na categoria Contos – autores com até 16 anos de idade; e Juliana de Araújo, vencedora da categoria Contos – autores com idade superior a 17 anos – e terceira colocada na categoria Poesias, que receberam seus troféus e medalhas das mãos de representantes da SBB. Os demais ganhadores, moradores de outras cidades e estados, receberão a premiação em suas casas.

Um momento de grande animação foi a premiação das ONGs com mais representantes. O primeiro lugar ficou para a entidade Amigos pra Valer, seguida da Fundação Dorina Nowill e da Associação de Deficientes Visuais Evangélicos do Brasil (ADEVEB). Para finalizar, os participantes fizeram uma visita à área de exposição do Museu da Bíblia.

Confira abaixo a relação completa dos vencedores do Concurso literário A História de Mary Jones – O início do movimento das Sociedades Bíblicas:

Contos – Autores com até 16 anos,11 meses e 29 dias

1º. Vinícius de Oliveira – Caxias do Sul (RS)

2º. Diego de Lima Ribeiro – Franca (SP)

3º. Jaqueline Cândido Pantis – Araruna (PB)

Contos – Autores com idade superior a 17 anos

1º. Ana Cláudia Lucena de Azevedo – Parnamirim (RN)

2º. Juliana de Araújo – Osasco (SP)

3º. Elenara Predebon Fernandes da Silva – Porto Alegre (RS)

Poesias – Autores com até 16 anos, 11 meses e 29 dias

1º. Rafael Mesquita Azevedo de Souza – Uberlândia (MG)

2º. Paula Hellmann Claudinno – Dourados (MS)

3º. Leonardo Samuel Idalencio – Caxias do Sul (RS)

Poesias – Autores com idade superior a 17 anos

1º. Rosana Aparecida Marques Roma Takachi – Esteio (RS)

2º. Juvenal Alves Correia – Senador Canedo (GO)

3º. Juliana de Araújo – Osasco (SP).

A SBB e o MuBi – A Sociedade Bíblica do Brasil é uma organização sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, assistencial, educativa e cultural. Sua finalidade é traduzir, produzir e distribuir a Bíblia Sagrada, um verdadeiro manual para a vida, que promove o desenvolvimento espiritual, cultural e social do ser humano, provocando, assim, a transformação daquele que com ela entra em contato. Para cumprir a missão de distribuir, de forma relevante, a Bíblia a todas as pessoas, desenvolve programas de assistência social e espiritual em todo o País. Fundada em 1948, construiu sua trajetória com base na missão de "promover a difusão da Bíblia e sua mensagem como instrumento de transformação espiritual, de fortalecimento dos valores éticos e morais e de incentivo ao desenvolvimento humano, nos aspectos espiritual, educacional, cultural e social, em âmbito nacional".

A SBB oferece o texto bíblico em diferentes formatos, buscando atender às necessidades específicas dos mais variados públicos. Em seu trabalho social, a SBB procura levar as Escrituras especialmente para as populações em situação de risco social, espalhadas por todo País. Entre os públicos contemplados pelas ações da organização estão os ribeirinhos da Amazônia, detentos, enfermos hospitalizados, pessoas com deficiência visual e estudantes. Para 2010, a SBB prepara-se para levar a Palavra de Deus a outro público especial: o das pessoas com deficiência auditiva, por meio da produção do texto bíblico em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Barueri, na Grande São Paulo, a SBB inaugurou, no final de 2003, o Museu da Bíblia, o primeiro do Brasil e um dos maiores do mundo em sua especialidade, devido à variedade de espaços e de documentos expostos. O objetivo do MuBi é promover o conhecimento da Bíblia, enfatizando seus aspectos culturais, éticos e religiosos. Tem entrada gratuita e assegura total acessibilidade a portadores de deficiências. Seguindo o conceito de arquitetura inclusiva, o projeto aboliu escadas e incluiu rampas de acesso aos ambientes. Os móveis são adequados para usuários de cadeiras de rodas e também foram providenciadas legendas em braile e painéis interativos, garantindo atrações específicas para deficientes visuais.

Fonte: Rede Metodista de Comunicação

Mais sobre audiodescrição
Neste ano o Auto da Paixão ampliou ainda mais o seu projeto de inclusão, proporcionando
A partir desta quarta-feira (16) começam as apresentações da 18ª Paixão de Cristo do Recife,
Quem passa pelo estádio Aldeião, em Gravataí (RS), aos finais de semana, já pode notar


Mais sobre audiodescrição
Neste ano o Auto da Paixão ampliou ainda mais o seu projeto de inclusão, proporcionando
A partir desta quarta-feira (16) começam as apresentações da 18ª Paixão de Cristo do Recife,
Quem passa pelo estádio Aldeião, em Gravataí (RS), aos finais de semana, já pode notar