ESPORTE, Um direito de todos

Copa 2014, Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016 – competições mundiais podem ser a oportunidade para o Brasil ter cidades acessíveis

Rei morto, rei posto. Fim de Copa e já é tempo de pensar na próxima. Este ano, o evento futebolístico de maior apelo midiático aconteceu pela primeira vez no continente africano, na África do Sul, com a vitória da Espanha sobre a Holanda em 11 de julho. Dentre as 32 seleções participantes, a brasileira era a única que lutava pelo hexacampeonato. Não “levou” e seu desempenho recebeu afetos e desafetos. Afinal, em matéria de futebol jamais se chega a consenso.

A próxima Copa do Mundo Fifa acontece em 2014 no Brasil, sediada em doze de suas capitais: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

E, em 2016, o país realiza mais duas competições mundiais: os Jogos Olímpicos e os Paraolímpicos, no Rio de Janeiro, Todos esses eventos trarão, sem dúvida, ganhos ao país e aos brasileiros. Esperamos também para as pessoas com deficiência, em questão de lazer, cultura e prática esportiva, bem como empregabilidade, informação, acessibilidade e tecnologia inclusiva.

Nas próximas edições do Conviva, esta seção vai ser ocupada com notícias, informações de interesse geral e dados históricos relevantes sobre a prática esportiva por pessoas com deficiência.

Fica aqui, como primeira sugestão, copiarmos o que deu certo na África do Sul. Pela primeira vez na história das Copas do Mundo, seis estádios receberam um sistema de áudio que permitiu às pessoas com deficiência visual, instaladas em lugares especiais nas arquibancadas, acompanhar os jogos. Utilizando programas de audiodescrição, quatro narradores descreviam em detalhes as partidas, a cor dos uniformes, a posição da bola no campo até as expressões dos atletas. Do total de 64 partidas, 44 puderam ser acompanhadas com audiodescrição.

Modalidades paraolímpicas

O esporte paraolímpico é possível de ser praticado mesmo por quem pensa não ter “dom” para isso. Na última edição dos Jogos Paraolímpicos, na China, em 2008, aproximadamente 5.000 atletas de mais de 100 países competiram em mais de 20 modalidades esportivas.

Os atletas paraolímpicos brasileiros fizeram em Pequim a melhor campanha brasileira na história dos Jogos. O país terminou em 9º lugar geral no quadro de medalhas, com 16 de ouro, 14 de prata e 17 de bronze. Os Jogos Paraolímpicos de 2016 acontecem de 7 a 18 de setembro e espera-se a participação de mais de 4.000 atletas, disputando provas em 20 modalidades.

As modalidades paraolímpicas são: atletismo (provas de campo: arremessos, lançamentos e saltos; e provas de pista: corridas de velocidade e fundo), basquetebol em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, esgrima, futebol de cinco, futebol de sete, goalball (modalidade paraolímpica desenvolvida exclusivamente para pessoas com deficiência visual), halterofilismo, hipismo, judô, natação, remo, rúgbi em cadeira de rodas, tênis em cadeira de rodas, tênis de mesa, tiro, tiro com arco, vela e voleibol.

Por David Farias – presidente da CBDC

Fonte: Jornal CONVIVA, editado pela ADEVA

Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos


Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos