TV FOLHA: Cinema de SP tem sessão para cegos

Cinema de SP tem sessão para cegos; veja como funciona INARA CHAYAMITI
DE SÃO PAULO
A audiodescrição de filmes ainda tem pouco espaço nas salas brasileiras de cinema. Na 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, encerrada nesta quinta-feira (4), quatro filmes contaram com a narração especial. Na exibição de Mahamat Saleh Haroun, o espectador Cássio Machado Gregório, funcionário público, saiu mais cedo do trabalho para "ver", pela primeira vez, um filme por meio dos fones de ouvido. Após a sessão, descreveu o serviço como uma "emoção maior" do que o próprio enredo do filme. Veja a entrevista no vídeo. Na audiodescrição, o narrador descreve as informações visuais do filme. No caso de uma produção estrangeira, outro profissional traduz os diálogos. A iniciativa, inédita na Mostra, surgiu de uma parceria entre o Cinesesc e a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida. Segundo Simone Yunes, coordenadora de programação do CineSesc, o cinema deverá estender o serviço para todos os filmes em 2011. Ela ainda afirmou que a audiodescrição estará presente nos longas exibidos na próxima edição do Festival Sesc Melhores Filmes, que acontece também no ano que vem. Ative o vídeo no plug-in abaixo, ou clique neste link acessível para usuários de leitores de telas: Fonte: TV Folha

Mais sobre audiodescrição
Prazo para que salas comerciais de cinema ofereçam recursos de acessibilidade visual e auditiva foi
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A audiodescrição é um recurso de acessibilidade, um instrumento poderoso de inclusão social, cultural e


Mais sobre audiodescrição
Prazo para que salas comerciais de cinema ofereçam recursos de acessibilidade visual e auditiva foi
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A audiodescrição é um recurso de acessibilidade, um instrumento poderoso de inclusão social, cultural e