Inarte: Encontros Internacionais Inclusão pela Arte

A primeira edição do Inarte – Encontros Internacionais Inclusão pela Arte, que decorreu entre os dias 12 e 19 de Dezembro no São Luiz contou com a presença de cerca de 1200 pessoas, entre as quais artistas, programadores, teóricos, técnicos, convidados como oradores e moderadores, profissionais das áreas da inclusão social pela arte e público em geral interessado neste tema.

Teatro Para Todos: Uma trupe que coloca sua arte a serviço da inclusão

Uma trupe que coloca a sua arte a serviço da inclusão e da transformação social. Assim pode ser definido o grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, que aborda em seus espetáculos questões relacionadas às múltiplas formas de discriminação e ao cotidiano de pessoas com deficiência.

Oficina ensina produção de vídeo a deficientes visuais

Já imaginou assistir a um vídeo feito por alguém que não vê? A ideia pode parecer estranha, mas para os membros do Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte (IERC-RN) produzir vídeos já se tornou uma prática diária, dentro das atividades oferecidas pela instituição. Dos oito participantes que integram o núcleo de audiovisual da instituição, cegos e pessoas com baixa visão mostram, a cada novo produto, muito trabalho e boas ideias.

A biblioteca como um espaço de sociabilização

Na tarde de terça-feira (14-09), Silvania Macedo prepara mais uma aula para seus alunos. Ela é professora de História, formada em Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Católica de Salvador e, desde a perda da visão na adolescência, tem utilizado o setor braille da Biblioteca Pública do Estado da Bahia. Silvania tem auxílio de pessoas que fazem um trabalho voluntário de leitura para deficientes visuais, (os ledores), como Elza Araújo – Voluntária há quatro anos.

O Depois faz sucesso em Portugal

Imagine que está a acompanhar um jogo de futebol através do relato. Imagine que essa experiência não acontece no contexto do futebol, mas num espetáculo de dança contemporânea. Não há texto. Não existem personagens. Não há uma história ou narrativa linear a ser contada.