Bonecos com deficiência

Você, Semelhante, compraria para este NATAL bonecos com deficiência para uma criança de suas relações? Será que a FELICIDADE encontra-se nos shoppings dentro de lindas embalagens para presentes?

Sou DEBORAH PRATES – advogada cega e usuária de cão-guia – residente no RJ. Faz 4 anos que fiquei DEFICIENTE e, desse marco para cá, constatei que a realidade não é colorida. Desde que meu cão-guia e eu colocamos os pés na calçada para um novo dia nos deparamos com todo tido de DISCRIMINAÇÃO e dificuldades inerentes a toda grande metrópole. Resido num condomínio faz 8 anos e passados 4 ouvi dos meus vizinhos: "A DRA. DEBORAH É ADVOGADA COMPETENTE, MAS É CEGA! POR ISSO TEM QUE SAIR DO CONSELHO CONSULTIVO E DAS AÇÕES DO CONDOMÍNIO." Chorar, lastimar e maldizer é sinônimo de PERDA DE TEMPO! Arregacei as mangas e parti para uma luta SUSTENTÁVEL em prol de um Planeta mais confortável para todos.

O que interessa para esse momento é um projeto de minha autoria de nome Bonecos com Deficiência. Seu objetivo é educar a sociedade – em geral – para que aprenda a recepcionar os DIFERENTES. São dois bonecos: Uma boneca CEGA – apresentada num kit contendo: 3 pares de óculos transados, 3 bengalas (sendo uma em forma de varinha de condão), um cão-guia com seus apetrechos e dois tapa olhos (para que tanto a criança, quanto quem esteja com ela na brincadeira possam simular a realidade do cego e experimentar o uso do tato). Outro boneco, um CADEIRANTE – apresentado num kit com sua cadeira de rodas e vestido de paraatleta, contendo toda a indumentária característica do esporte escolhido pelo fabricante que faça parte dos próximos jogos paraolímpicos, além de um bloco contendo todos os esportes adaptados. Sem dúvida uma forma lúdica de interagir com a criança (adulto do amanhã) em seu "mundinho de faz de conta".

Enviei o projeto para uma indústria de brinquedos do Brasil e fui barrada no marketing. Fizeram-me a pergunta: "QUEM COMPRARIA bonecos com deficiência? Entendi o olhar industrial e, através da mídia, estou divulgando essa ideia de modo a PERGUNTAR ao leitor: NESSE NATAL, VOCÊ COMPRARIA bonecos com deficiência PARA as CRIANÇAS DE SUAS RELAÇÕES ? Na verdade, o próprio Governo deveria assumir o ônus com esses BONECOS COM DEFICIÊNCIA, com o foco de MATERIAL PEDAGÓGICO.

Essa ideia, na prática, mitigaria o constrangimento, de parte a parte, de uma criança chegar na sala de aula (1º dia) e se deparar com coleguinhas DIFERENTES dando-lhes tratamento rotineiro.

BASTAM de surpresas! Nós, pessoas com deficiência, somos uma realidade, pelo que temos que entrar na brincadeira com as crianças. Então, conclamando a SOLIDARIEDADE dos leitores é que sugiro um exercício de cidadania, no sentido de que REFLITAM sobre o tema, respondam e repassem para o maior número de conhecidos possível a pergunta: SEMELHANTE, VOCÊ COMPRARIA NESSE NATAL PARA SEUS BAIXINHOS BONECOS COM DEFICIÊNCIA?

Homenageio a todos com o pensamento de Martin Luther King: "Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos."

FELIZ NATAL!
***
CONTATOS: RJ – (021) 2242-8222 E (CEL)8853-8336 e-mail: deborahprates@yahoo.com.br

Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série


Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série