Folha e Vez da Voz lançam mídia inclusiva

Filme sobre o Prêmio Empreendedor Social 2010 traz Libras, audiodescrição e legendas, para permitir acesso a todos os visitantes da página, com ou sem deficiências.

Para quem vê, a imagem. Para quem não enxerga, a audiodescrição. Para quem ouve, o som. Para quem não escuta, mas lê, a legenda. Para quem não escuta e usa a língua de sinais, a Libras (Língua Brasileira de Sinais). Para qualquer cidadão brasileiro, a informação.

Assim a finalista do Prêmio Empreendedor Social 2009 Cláudia Cotes define o resultado da primeira mídia inclusiva lançada pela Folha hoje, 3 de dezembro, no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

Há exatos seis anos, a fonoaudióloga viu seu irmão, que tinha síndrome de Down, morrer após décadas de luta contra a exclusão social.

Transformou a perda em inspiração para criar a Vez da Voz, organização que promove a inclusão de pessoas com deficiência por meio da comunicação.

Entre seus projetos, destaca-se o Telelibras, primeiro telejornal inclusivo e gratuito da internet, no qual trabalham e se misturam em situação de igualdade deficientes (cadeirantes, cegos, surdos, pessoas com síndrome de Down) e não deficientes.

O FILME

O vídeo, que apresenta os melhores momentos da cerimônia de entrega do Prêmio Empreendedor Social 2010, foi reeditado pela Vez da Voz em formato inclusivo, com legenda, tradução em Libras e ao lado, de forma inédita, audiodescrição detalhada sobre tudo o que acontece no evento, para deficientes visuais.

Na festa, que aconteceu no último dia 25, no Masp (Museu de Arte de São Paulo), cerca de 200 convidados, entre executivos, acadêmicos, representantes de órgãos públicos e jornalistas, aplaudiram em pé os vencedores dos prêmios Empreendedor Social e Empreendedor Social de Futuro, Roberto Kikawa, 40, e Wagner Gomes, 28, respectivamente.

Bastante emocionado, Kikawa não conteve o choro ao receber o troféu do casal Claudio e Suzana Padua, ganhadores do ano passado.

"Não somos mais quem éramos ontem", disse Kikawa ao discursar, parafraseando o ativista norte-americano Martin Luther King.

Mentor do Projeto Cies (Centro de Integração de Educação e Saúde), o médico paulistano criou a maior carreta de saúde móvel do mundo, que leva atendimento de qualidade e alta tecnologia a populações carentes.

A vitória de Kikawa foi anunciada pelo mestre de cerimônia e colunista da Folha, Pasquale Cipro Neto, logo após o economista cearense Wagner Gomes, da Adel (Agência de Desenvolvimento Econômico Local), ter subido ao palco ovacionado pela plateia.

"É uma honra ter saído de tão longe, de Pentecoste, no interior do Ceará, para receber esse prêmio, como prova de que é possível, sim, atingir o desenvolvimento no sertão", comemorou Gomes.

FINALISTAS

Kikawa e Gomes conquistaram os prêmios ao concorrer com outros 264 candidatos, dos quais apenas dez chegaram à fase final.

Os demais finalistas do Empreendedor Social homenageados foram Axel Grael, do Projeto Grael (RJ), Carlos Eduardo Zuma, do Instituto Noos (RJ), José Junior, do AfroReggae (RJ), Márcia Rolon, do Instituto Homem Pantaneiro/Moinho Cultural Sul-Americano (MS) e Sueli de Lima, da Casa da Arte de Educar (RJ). Do Empreendedor Social de Futuro, foram certificados Karina Rehavia, da Ninui (RJ), Marcelo Feijó de Mello, do Instituto Prove (SP), e Ricardo Cardim, da Associação Amigos das Árvores (SP).

Nos próximos dias, entrarão no ar os vídeos sobre os dez projetos finalistas.

APOIADORES

O Prêmio Empreendedor Social é realizado pela Folha e pela Fundação Schwab, com patrocínio da Caixa e da Ernst & Young Terco. Com apoio estratégico da consultoria sitawi, o concurso tem como apoiadores a Artemisia Modelo de Negócios Sociais, a Ashoka Empreendedores Sociais, o Ceats-FIA (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor da Fundação Instituto de Administração), a Folha.com, o Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), o Iats (Instituto de Administração para o Terceiro Setor), o Instituto Ethos de Responsabilidade Social, a P&B Comunicação, a Sator, o The Hub Brasil e o UOL.

CÁSSIO AOQUI

EDITOR-ASSISTENTE DE EMPREGOS E CARREIRAS

Fonte: Folha de São Paulo

Mais sobre audiodescrição
Cerca de 60 pessoas acompanharam a exibição do filme ‘Colegas’ na tarde de quarta-feira (7),
Meu nome é Estefany, moro em Belém, tenho 10 anos, sou cega e adorei ir
O portal Mundo Cegal e a Organização Nacional de Cegos do Brasil - ONCB, convidam


Mais sobre audiodescrição
Cerca de 60 pessoas acompanharam a exibição do filme ‘Colegas’ na tarde de quarta-feira (7),
Meu nome é Estefany, moro em Belém, tenho 10 anos, sou cega e adorei ir
O portal Mundo Cegal e a Organização Nacional de Cegos do Brasil - ONCB, convidam