Governo premia práticas inclusivas em São Paulo

Foram escolhidas dez finalistas que ganharam prêmio de Menção Honrosa. Na ocasião, 20 instituições receberam reconhecimento público por atuação na área da inclusão das pessoas com deficiência. Prêmio homenageou também 20 instituições que atuam na área da inclusão.

O Governador e a Secretária, Drª Linamara, recebem homenagem da finalista de Cubatão na entrega do Prêmio de Melhores Práticas Inclusivas

Aconteceu na noite de 15 de dezembro a entrega do Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Ações Inclusivas para as Pessoas Com Deficiência – Edição 2010. A iniciativa é da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência que recebeu cerca de 300 registros no Observatório dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Foram escolhidas dez finalistas que receberam prêmio de Menção Honrosa. Dessas, quatro também receberam um troféu por destaque pela promoção da inclusão social de pessoas com deficiência.

Na ocasião, 20 instituições receberam reconhecimento público por atuação na área da inclusão das pessoas com deficiência (veja abaixo lista dos premiados e homenageados).

Uma grande festa, com auditório lotado e a presença do governador Alberto Goldman e a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre outras autoridades, marcaram a entrega do Prêmio.

O objetivo do Prêmio é estimular a implementação de práticas inclusivas e aprimorar a gestão de políticas públicas nos municípios paulistas. O segmento das pessoas com deficiência soma mais de 5 milhões no Estado de São Paulo.

Foram selecionadas as 10 melhores práticas inclusivas, segundo critérios estabelecidos no Regulamento do Prêmio. Os vencedores tiveram suas práticas divulgadas em publicação distribuída ao final da Cerimônia de Entrega do Prêmio e reconhecimento público nos websites da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Cepam.

A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, na abertura, destacou que a festa é uma materialização do desejo de transformar a inclusão social em uma grande meta do Estado de São Paulo. "O Governo Estado de São Paulo entende que é preciso dar destaque as ações que nascem no seio da própria sociedade. A trajetória da história, da luta dos direitos da pessoa com deficiência passa pela organização das próprias pessoas com deficiência, mas passa também pelo fortalecimento das próprias entidades que souberam dar qualidade de vida a reabilitação, e buscar formas de valorizar o trabalho. São Paulo tem e muito com o que se orgulhar, e estas marcas que hoje são celebradas certamente têm um significado de um governo extremamente alinhado com as causas da população. É a contextualização clara de que é preciso governar para todos os cidadãos, com ou sem deficiência".

A Secretária destacou, ainda, que o Governo do Estado de São Paulo está ajudando a construir um marco indiscutível no que diz respeito à tolerância e defesa dos direitos de todos os humanos. "Hoje é um dia de festa para a Secretaria, é uma boa forma de encerrar um período de uma gestão, uma boa forma de homenagear o Governo do Estado de São Paulo pelas suas iniciativas. Eu me alio aos senhores para juntos homenagearmos o Estado de São Paulo com cada uma dessas ações, que serão lembradas e nominadas com grande interesse e importância para todos os gestores públicos, com significado que as políticas públicas estão se efetivando, estão encontrando o principal ator que é a pessoa com deficiência. A partir dos bons exemplos, da nomeação das boas práticas, nós vamos contaminar positivamente todos os municípios e vamos levar para todos os municípios do Estado de São Paulo, todos os munícipes, todos os cidadãos com deficiência, este conceito claro que é possível sim garantir direitos e cidadania e traduzir isto em trabalho e produção, ajudando construir as riquezas do nosso Estado".

O governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman destacou que não há nada mais de felicidade no ser humano do que ver o outro ser humano feliz. "Não é riqueza, não é poder, não é nada disso, a coisa que mais nos traz felicidade e ver que nós podemos ajudar o outro ser humano a ser tão igual como qualquer ser humano e ter os mesmos direitos de todos".

Confira abaixo os ganhadores do Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Ações Inclusivas para as Pessoas Com Deficiência – Edição 2010

GRANDES FINALISTAS

CUBATÃO (ASSOCIAÇÃO CASA DA ESPERANÇA) – Não Governamentaldestaque
LENÇÓIS PAULISTA (ADEFILP) – Não Governamental – destaque
ITATIBA – Governamental – destaque
SOCORRO – Governamental – destaque
DRACENA
FRANCA
HORTOLÂNDIA
NOVO HORIZONTE
SÃO PAULO
TATUÍ

CUBATÃO (DESTAQUE Não governamental)
Associação Casa da Esperança de Cubatão Dr. Leão de Moura

Categoria: Não Governamental

Promover a cidadania e garantir os direitos da pessoa com deficiência e de sua família de maneira plena são os objetivos da Associação Casa da Esperança de Cubatão Dr. Leão de Moura. Fundada em 21 de março de 1980, por iniciativa de rotarianos da Baixada Santista, a associação está sediada no Município de Cubatão, que compõe a Região Administrativa da Baixada Santista. Cientes do crescente número de crianças e adolescentes com deficiência no município, os rotarianos e as autoridades locais se propuseram a criar uma instituição para assistir, tratar e reabilitar esse contingente populacional, que até então era atendido no Município de Santos. Em função da forte articulação e parcerias com os setores público e privado, a associação tornou-se referência no município como o único centro de reabilitação a prestar atendimento sem despesa para os familiares. O atendimento da Casa da Esperança, direcionado aos moradores de Cubatão e de toda a Baixada Santista, é totalmente gratuito e dirigido a crianças e adolescentes de 0 a 18 anos de idade com deficiências física, intelectual, sensorial e múltiplas, e alto índice de vulnerabilidade social.

DRACENA
Categoria: Governamental

Ver, Ouvir e Movimentar

Iniciado em junho de 2009, o projeto Ver, Ouvir e Movimentar foi inspirado no êxito do nadador dracenense Alexandre da Silva Fernandes, que se tornou paraplégico após um acidente, mas conseguiu melhorar sua condição física e superar limitações com a prática do esporte. Acompanhado pelo professor Júlio César Monteiro, proprietário de uma academia local, o jovem tornou-se atleta paraolímpico, fez parte da Seleção Brasileira e conquistou medalhas e títulos no Brasil e no exterior. O projeto integra o conjunto de ações da Educação Especial na Rede Municipal de Dracena e consiste em oferecer aulas de natação para alunos com surdez, deficiência visual, física ou intelectual, objetivando a inclusão social por meio do esporte e também descobrir novos talentos para participarem de competições e jogos paraolímpicos. Ainda visa proporcionar mais qualidade de vida nos aspectos social, cognitivo, emocional e motor. A proposta, em Dracena, é proporcionar aos alunos com deficiência todas as condições necessárias para o exercício da cidadania e o efetivo direito de acesso a bens, produtos e serviços. Além da natação, as atividades extras oferecidas a todos os alunos são: acompanhamento escolar (português e matemática), informática, música, dança, capoeira, inglês, meio ambiente, artes, atividades esportivas (judô, xadrez, vôlei, basquete, futebol de salão e campo).

FRANCA
Categoria: Governamental

Prevenção à Saúde Auditiva

Reduzir os danos causados pela perda da audição e promover a inclusão das pessoas com deficiência são os objetivos desse projeto realizado pela Secretaria de Saúde do Município de Franca. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 278 milhões de pessoas no mundo são afetadas com a perda auditiva bilateral moderada ou de pior grau. No entanto, apenas uma em cada 40 pessoas com deficiência auditiva tem acesso à intervenção apropriada. O projeto Prevenção à Saúde Auditiva promove a triagem auditiva neonatal universal como estratégia para identificar, alcançar o diagnóstico e a intervenção na vida de crianças com deficiência auditiva. Atender e reabilitar: esse é o direcionamento dos esforços da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Franca.

HORTOLÂNDIA
Categoria: Governamental

Setor de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência

O resultado mais significativo do Setor de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência no Município de Hortolândia, situado na Região Metropolitana de Campinas, consiste na articulação entre as secretarias municipais. A execução de uma política transversal motivou as secretarias a trabalharem de forma intersetorial e integrada. Iniciativa da prefeitura, a ação refere-se à criação de uma instância municipal para prestar atendimento e atenção aos direitos das pessoas com deficiência, um eixo da Divisão de Políticas Antidiscriminatórias, vinculada à Secretaria de Governo Municipal, e composta por quatro linhas: juventude, pessoas com deficiência, igualdade racial e mulheres. O papel do setor é garantir que as pessoas com deficiência tenham seus direitos assegurados por meio da efetiva articulação entre as secretarias municipais. A atuação com o segmento teve início em 2005, durante o orçamento participativo. Em 2006, nas assembleias dedicadas ao processo orçamentário, decidiu-se reservar um dia para levantar as necessidades das pessoas com deficiência. Em seguida, foi realizado o primeiro fórum para discutir as demandas.

ITATIBA (DESTAQUE governamental)
Categoria: Governamental

Programa de Educação Inclusiva, Educando e Aprendendo na Diversidade

Intensificar e disseminar o conhecimento a respeito da educação inclusiva são os objetivos do programa de Educação Inclusiva, Educando e Aprendendo na Diversidade, iniciado em 2005. Itatiba, que significa "muita pedra", na língua Tupi, pertence à Região Administrativa de Campinas, compondo a Região de Governo de Jundiaí. A Secretaria Municipal da Educação criou, em 2008, o Núcleo de Apoio Psicossocial e Educacional (Nape), da qual o Programa faz parte e cuja proposta é desenvolver um trabalho multidisciplinar para aprimorar sua atuação, além de implementar ações preventivas que visam melhorar as condições de aprendizagem dos alunos com e sem deficiência da rede. O Nape passou a oferecer suporte técnico, para garantir um ambiente adequado de aprendizagem, e também orientações e assessoria aos diferentes segmentos das unidades escolares. Por meio do atendimento às famílias, facilitou as interações e intervenções no processo educativo, buscando, juntamente com a equipe escolar, um processo de ensino contextualizado, significativo e de qualidade, sempre respeitando as particularidades de cada aluno.

LENÇÓIS PAULISTA (DESTAQUE – não governamental)
Categoria: Não Governamental

Transformando Material Reciclável em Moeda Social

Iniciativa inédita na cidade, o projeto Transformando Material Reciclável em Moeda Social, da Associação dos Deficientes de Lençóis Paulista (Adefilp), tem alcançado resultados significativos nos aspectos social e ambiental da cidade, localizada na região centro-oeste do Estado de São Paulo. Envolver parcela maior da população local de baixa renda – especialmente as pessoas com deficiência – para efetiva inclusão social por meio da geração de renda, bem como atender à necessidade de reaproveitamento e reciclagem de materiais são os objetivos buscados e alcançados com o projeto. A associação obteve da prefeitura a concessão, por 30 anos, de área para instalar o projeto e, a partir de parcerias com a iniciativa privada, erigiu o galpão, local até hoje utilizado para o trabalho, desenvolvido por pessoas com e sem deficiência. Oportunizar a independência econômica e a autonomia, favorecer o desenvolvimento pessoal, e promover o convívio social, são os pilares da iniciativa da ADEFILP.

NOVO HORIZONTE
Categoria: Não Governamental

Natação Adaptada Mostrando a Eficiência do Deficiente

A preocupação com o acesso à prática esportiva e ao lazer das pessoas com deficiência moradoras do Município de Novo Horizonte, que integra a região de São José do Rio Preto/SP, motivou a criação do projeto Natação Adaptada. A iniciativa do Clube Esportivo e Recreativo Santa Isabel do município teve início em 2005, após Michailo Kurycz, garoto portador de distrofia muscular progressiva, necessitar da prática de exercícios de reabilitação. Os professores de natação buscaram, assim, preparar-se para atender as pessoas com deficiência e, desde então, a capacitação dos profissionais de educação física tem estruturado a articulação com a equipe multidisciplinar de profissionais das áreas de fisioterapia, nutrição e psicologia. Fazer do esporte uma ferramenta eficiente de inclusão social, valorização pessoal, promoção de saúde e qualidade de vida é o princípio mantido pelo projeto.

SÃO PAULO
Categoria: Não Governamental

Liberdade Reabilitação e Recreação para Pessoas com Deficiência

O desejo de promover a reabilitação e oferecer atividades recreativas e de lazer para as pessoas com deficiência no Município de São Paulo, motivou alguns profissionais das áreas da saúde e educação a criarem o projeto Liberdade Reabilitação e Recreação para Deficientes, do Instituto Liberdade. Sediado no Município de São Paulo, capital do Estado, o instituto tem por objetivo melhorar as condições físicas e a autonomia no cotidiano de crianças, jovens e adultos com todos os tipos de deficiência, por meio de atividades lúdicas, como brincadeiras, festas, passeios e acampamentos. A proposta é mostrar que as pessoas, enquanto se divertem, usufruem dos benefícios de serviços de reabilitação, como fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, pedagogia, terapia ocupacional, atividade Fundação Prefeito Faria Lima – Cepam Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência física adaptada, equoterapia, pet-terapia, dançaterapia e natação adaptada.

SOCORRO (DESTAQUE-governamental)
Categoria: Governamental

Socorro Acessível

Garantir os direitos das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida e trabalhar com a inclusão em todas as atividades turísticas municipais promovendo o desenvolvimento local, são os objetivos do projeto Socorro Acessível. Estância turística, o município paulista de Socorro está situado na Serra da Mantiqueira, no Circuito das Águas Paulista, a 132 quilômetros da capital. Criado em 2007, o Socorro Acessível é um projeto desenvolvido pelo Departamento de Turismo e Cultura da prefeitura do Município de Socorro . Promove ações de acessibilidade urbana e de adaptação de atividades turísticas; contribui para a melhoria da qualidade de vida da população local; e amplia o acesso de turistas com deficiência ou mobilidade reduzida, quer sejam idosos, crianças, gestantes, obesos, entre outros. É uma das estratégias para promover o desenvolvimento local e a inclusão social.

TATUÍ
Categoria: Não Governamental

Curso de Musicografia Braile

O Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí, é um centro de excelência de ensino de música, canto, educação musical, luteria (fabricação de instrumentos) e artes cênicas. Desde 1970, proporciona a inclusão de pessoas com deficiência e é gerido pela Associação de Amigos do Conservatório de Tatuí, qualificada como organização social na área de cultura, pelo governo do Estado de São Paulo. Em 2007, criou o Curso de Musicografia Braile, no próprio município, com o objetivo de contribuir para a inclusão de pessoas com deficiência visual, dando-lhes suporte específico no que se refere à escrita e à leitura musical no sistema braile. As atividades envolvem sinais musicográficos, teoria musical, harmonia e percepção auditiva. Os interessados se inscrevem, são entrevistados e têm avaliadas suas habilidades musicais. Atualmente, são sete alunos, de ambos os sexos, cegos, com deficiência visual, física e múltipla, provenientes dos Municípios de Capão Bonito, Cesário Lange, Guareí, Sorocaba e Tatuí. Por meio da musicografia em braile, os alunos aprendem a ler as partituras e, dessa forma, podem se desenvolver artística e profissionalmente. O curso conta com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, que fornece suporte institucional e jurídico, espaço físico, recursos financeiros, humanos e materiais, e do Ministério da Cultura, que disponibiliza recursos financeiros.

20 INSTITUIÇÕES HOMENAGEADAS

AACD: A Associação de Assistência a Criança Deficientes trabalha há 60 anos pelo atendimento de pessoas com deficiência física. É uma instituição privada, sem fins lucrativos, que promove a prevenção, habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência, especialmente crianças, adolescentes e jovens. A cada ano amplia sua possibilidade de atendimento com os recursos angariados no Teletom, que propicia também maior visibilidade às pessoas com deficiência.

ADEVA – Associação de Deficientes Visuais e Amigos:
A Adeva é uma organização da sociedade civil de interesse público, apartidária, sem fins lucrativos, atuante em São Paulo e em cidades próximas. Conta com associados com e sem deficiência visual. Tem a missão de promover a inclusão da pessoa com deficiência visual na sociedade por meio de uma educação global integrada e de sua capacitação, reciclagem profissional e inserção no mercado de trabalho, preparando-o para o pleno exercício da cidadania. Iniciou suas atividades em 1978, com ampliação de livros, cartilhas e apostilas para alunos da rede pública de ensino do estado de São Paulo, e da gravação, em fita magnética, de material técnico e didático. Hoje é voltada para a capacitação e colocação profissional de profissionais com deficiência visual no mercado de trabalho.

AEDREHC – Associação para a Educação, Esporte, Cultura e Profissionalização da Divisão de Reabilitação do Hospital das Clínicas:
A AEDREHC surgiu em 1993, com o objetivo de fomentar o esporte para a pessoa com deficiência física. Filiada à – Confederação Brasileira de Desporto em Cadeira de Rodas – CBBC e à Federação Paulista de Basquete sobre Rodas, o time da AEDREHC garante lugar de destaque nos torneios e competições. A trajetória de sucesso da AEDREHC é possível graças à garra dos atletas e ao apoio incondicional do Instituto de Medicina de Reabilitação do Hospital das Clínicas, IMREA e de parcerias como o Clube Atlético Ypiranga e a Nossa Caixa, incorporada agora ao Banco do Brasil.

AHIMSA: A AHIMSA realiza atendimento educacional para crianças, jovens e adultos com deficiência múltipla sensorial e surdocegueira, visando a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade, oferecendo qualidade de vida a essas pessoas. Mantém o Programa GAI – Grupo de Atendimento Infantil (Intervenção Precoce e Educação Infantil) e oferece cursos, assessorias técnicas, estágios supervisionados, pesquisas e recursos nas áreas de Surdocegueira e Deficiência Múltipla Sensorial, sempre com foco na inclusão social.

AME – Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais:

A AME foi fundada em 1990 e é declarada de Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal. Sua Missão é a defesa dos direitos, a promoção da assistência e emancipação das pessoas com deficiência, bem como apoiar ações que favoreçam a construção de um ambiente social inclusivo. Em 20 anos de existência alcançou a marca de 11 mil atendimentos clínicos ao ano e 1.400 pessoas com deficiência inseridas no mercado de trabalho. Mais de 100 pessoas compõem o seu quadro de colaboradores e sua atividade principal é voltada ao desenvolvimento humano e a inclusão sob todos os aspectos. Oferece atendimento clínico a pessoas com e sem deficiência, apoio a familiares reabilitação e capacitação profissional, além de inserção no mercado de trabalho.

APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Paulo:
A APAE de São Paulo foi fundada em 1961, por iniciativa de um pequeno grupo de pais de pessoas com deficiência intelectual. No início das atividades, os próprios pais e voluntários visitavam postos de saúde e cadastravam pessoas que possuíam familiares com deficiência intelectual buscando atender o maior número possível de crianças. Em 2010, a APAE de São Paulo completou 49 anos de história, marcados pelo pioneirismo na prevenção, investimento em tecnologia e pesquisas, e na inclusão da pessoa com deficiência intelectual na sociedade.

IMREA – Instituto de Medicina Física e Reabilitação:
O Instituto de Medicina Física e Reabilitação é uma unidade integrante do Hospital das Clínicas, inaugurada em 1975. Inicialmente denominada Divisão de Reabilitação Profissional de Vergueiro (DRPV), atendia pessoas com deficiência em fase produtiva e visava a capacitação profissional e a reinserção no mercado de trabalho. Em 1994, sua denominação foi alterada para Divisão de Medicina de Reabilitação – DMR e em 2008 conquistou o status de Instituto contribuindo para fazer história e representa um divisor de águas na área da reabilitação, estudos, pesquisa e tecnologia voltados à inclusão social das pessoas com deficiência.

AVAPE: A Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência é uma organização filantrópica de assistência social que atua no atendimento e na defesa de direitos promovendo a inclusão, a reabilitação e a capacitação de pessoas com todo tipo de deficiência. A Associação foi fundada em 1982 na região do ABC e é considerada modelo de gestão. Tem como missão promover as competências das pessoas com deficiência visando sua autonomia, segurança e dignidade para o exercício da cidadania. Oferece um trabalho completo que engloba o atendimento clínico, o desenvolvimento de competências para o convívio social, a reabilitação e capacitação profissional, além da inserção no mercado de trabalho.

Centro Cultural São Paulo: Cada vez mais o Centro Cultural São Paulo vem se tornando acessível para o público com deficiência. A primeira grande mudança dentro do espaço foi a Biblioteca Louis Braille que passou a fazer parte da Praça das Bibliotecas, o que permite o convívio das pessoas com deficiência visual com as outras pessoas. Outras adaptações foram providenciadas para que as pessoas com deficiência interajam não só com os demais usuários, mas também com as atividades ali promovidas. Além disso, o prédio foi adaptado com piso tátil para orientar as pessoas com deficiência visual ou com baixa visão.

Escola Helen Keller para Surdos: A Escola Municipal Especial de Ensino Fundamental Helen Keller completou neste ano 50 anos de existência. Trabalha com educandos que apresentam surdez e possuem múltiplas deficiências associadas ao problema. A escola hoje atende 140 alunos, que variam de crianças com menos de um ano de idade até alunos de 60 anos. Do total, 49 têm outra deficiência além da surdez. É oferecido atendimento desde a intervenção comunicativa até a oitava série do Ensino Fundamental.

Espaço da Cidadania:

O Espaço da Cidadania foi inaugurado em 2001 com o objetivo de estimular o debate sobre políticas públicas voltadas para a igualdade de oportunidades. Fruto de parceria inicial entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região e o dirigente sindical Carlos Aparício Clemente, o Espaço da Cidadania foi rapidamente ampliando seu campo de atuação nas questões relacionadas à inclusão social das pessoas com deficiência. Vem reunindo esforços para o levantamento de informações sobre deficiência e trabalho sob a ótica do cumprimento da Lei de Cotas e estimulando as instituições para promoverem ações afirmativas sobre a colocação profissional de pessoas com deficiência, mobilizando a sociedade e trazendo visibilidade ao tema da inclusão social.

Fundação Dorina Nowill para Cegos: A Fundação tem se dedicado há mais de 60 anos a inclusão de pessoas com deficiência visual, por meio de educação e cultura. Trabalha na produção de livros em Braille, livros e revistas falados e algumas obras acadêmicas em formato digital acessível. A Fundação também oferece gratuitamente o Programa de Atendimento Especializado ao deficiente visual e sua família.

Instituto HSBC: O Instituto teve início em 1997 e desde então, procura analisar as questões ambientais e sociais do país e elabora projetos para redução da pobreza e dos impactos sociais pelo desenvolvimento das comunidades. Um desses projetos é o de Capacitação Profissional para Pessoas com Deficiência, que incentiva a inclusão social de pessoa com deficiência física, incentivando a educação e a qualificação profissional e a criação de uma sociedade mais justa e com oportunidades iguais para todos.

Instituto Rodrigo Mendes:

O Instituto Rodrigo Mendes é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a construção de uma sociedade inclusiva por meio da arte. Além de cursos, oficinas e exposições, desenvolve programas de formação e geração de renda. Tem como visão ser reconhecida como um centro de referência em arte e educação inclusiva. O Instituto nasceu Associação Rodrigo Mendes, em 1994, com o objetivo de oferecer oportunidades de desenvolvimento artístico para pessoas com algum tipo de deficiência. A partir da idéia de inclusão social que pressupõe a convivência plena entre todos os segmentos sociais, passou a atender qualquer pessoa interessada em arte, independentemente de suas origens sociais, culturais ou de suas características físicas. Instituto Rodrigo Mendes faz inclusão social pela arte.

Instituto Vivo: O Instituto que leva o nome de uma das maiores empresas de telefonia celular investe e apóia projetos que promovem a conexão e formação de redes de pessoas que buscam a inclusão social das pessoas com e sem deficiência em todo o país. O projeto busca principalmente a contribuição para a geração de oportunidades de trabalho para esse público. Vem apresentando e apoiando peças teatrais com audiodescrição, recurso que relata cenas silenciosas e permite pleno acesso aos espectadores com deficiência visual.

Lar Escola São Francisco:

A Instituição acredita sempre no poder de superação de seus pacientes e presta atendimentos com excelência terapêutica para reabilitação e inclusão. Registra a marca de 10 mil atendimentos por mês, 158 profissionais técnicos, 1.250 produtos ortopédicos e 120 alunos em aulas especiais. Centro de Reabilitação Médica que atende pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida, de qualquer idade. Predominantemente, são pessoas de baixa renda, indicadas pelo SUS – Sistema Único de Saúde, com diagnóstico de deficiência de origem ortopédica, neurológica, reumatológica ou geriátrica, temporária ou permanente. Todo o seu trabalho é voltado para a inclusão social das pessoas com deficiência.

Laramara: Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual, organização da sociedade civil que apóia a inclusão educacional e social da pessoa com deficiência visual. Mantém um espaço, em parceria com a família, escola e comunidade, para a promoção do processo de aprendizagem e desenvolvimento da pessoa com deficiência visual. As ações da Laramara incluem avaliação oftalmológica especializada, avaliação das necessidades educacionais especiais referentes à deficiência visual e atendimento específico de crianças e jovens vindos de todo o Brasil. É referência em mobilidade e autonomia das pessoas com deficiência visual.

Oficina dos Menestréis:

Em 2003, o ator e diretor Deto Montenegro adaptou o treinamento de Teatro Musical, em um curso beneficente, específico e experimental, a um grupo de 20 cadeirantes. Para ele seria um desafio pessoal adaptar o treinamento para pessoas com deficiência física mais especificamente, cadeirantes e posteriormente pessoas cegas. As aulas foram ministradas no Teatro Dias Gomes (sede da Oficina dos Menestréis). O primeiro espetáculo do Projeto Mix Menestréis estreou em Dezembro de 2003, com grande sucesso de público e crítica "Noturno Cadeirante", que juntamente a uma equipe artística de atores e banda musical resultou na criação da Cia Mix Menestréis, que desde então desenvolve um trabalho em que a inclusão social pela a arte é o foco principal.

Pinacoteca: A Pinacoteca do Estado de São Paulo é uma das atrações culturais acessíveis da cidade de São Paulo, com rampas de acesso, elevadores, banheiros adaptados e telefones acessíveis aos cadeirantes. Além disso, a Pinacoteca ainda conta com um Programa Educativo para Públicos Especiais (PEPE) que visa garantir acessibilidade de todos os visitantes – com ou sem deficiência. Algumas das ações do Programa são Visitas Orientadas, acompanhadas de profissionais para que os visitantes com deficiência visual possam tocar nas obras de arte. Também oferece cartazes impressos a tinta e em Braille e Recursos de Apoio Multissensoriais e Lúdicos.

Serasa Experian:

o Programa Serasa Experian de Empregabilidade de Pessoas com Deficiência foi criado em 2001. Configura-se como experiência-modelo de qualificação profissional e contratação dessas pessoas. A Serasa Experian enxerga a empregabilidade de pessoas com deficiência pelo foco da lógica empresarial, segundo a qual o mundo corporativo requer, em todos os níveis do trabalho, profissionais competentes, que atinjam metas e, portanto, alcancem resultados.

Fonte: Secretaria de Estado da Pessoa com Deficiência

Mais sobre audiodescrição
Com o objetivo de acompanhar a implementação e validar as tecnologias de provimento dos recursos
A poucos dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quando o Brasil espera receber
O Conselho Diretor da Anatel aprovou hoje um Regulamento Geral de Acessibilidade em Serviços de


Mais sobre audiodescrição
Com o objetivo de acompanhar a implementação e validar as tecnologias de provimento dos recursos
A poucos dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quando o Brasil espera receber
O Conselho Diretor da Anatel aprovou hoje um Regulamento Geral de Acessibilidade em Serviços de