Mil Palavras, o mais novo blog sobre audiodescrição, audiolivros, e muito mais!

Somos feitos do que vivemos. Nossas experiências nos constroem, nos formam e nos transformam. Cada filme que assistimos, cada livro que lemos, cada música que ouvimos contam um pouco da nossa própria história. Os diferentes estímulos e as ilimitadas combinações possíveis fazem a diversidade do ser humano.

Logotipo da Mil Palavras.  O nome da empresa é escrito com letras pretas que parecem rabiscadas ou entalhadas. Abaixo do nome, a palavra audiodescrição em letras menores de cor lilás. Acima do nome, do lado direito, há um balão de fala, como aqueles das histórias em quadrinhos. Uma mancha lilás preenche e ultrapassa os limites do balão.

Para muitas pessoas, no entanto, a liberdade de escolha é um tanto restrita. Estão, por motivos diversos, privadas de uma série de experiências. São limitações sociais, econômicas, educacionais. Limitações físicas. E limitações sensoriais.

Imagine comer sem sentir o gosto. Imagine tocar e não sentir a textura.

Imagine o que acontece com pessoas com deficiência auditiva ou visual em um mundo de som e imagem, de música e cores, de ruídos e luzes. Pessoas surdas que não dão risada da versão da Vanusa para o Hino Nacional. Pessoas cegas que não sabem o que se passa nos filmes mudos do Chaplin e que não reconhecem o assassino no final silencioso de um filme de suspense.

Recursos como a audiodescrição, a legendagem e a interpretação em LIBRAS permitem ampliar essa oferta através da tradução de imagens e sons em palavras.

Palavras. Simples assim.

Uma pessoa nunca estará plenamente incluída na sociedade enquanto não tiver acesso à cultura, à arte, ao lazer e ao entretenimento. A acessibilidade cultural chega em busca da igualdade de condições, da liberdade de escolha e do desenvolvimento pleno do ser humano.

Afinal, nem sempre uma imagem vale mais que mil palavras.

Contatos: 51 3023 2700 – milpalavras@milpalavras.net.br
Porto Alegre – Rio Grande do Sul

Fonte: Mil Palavras

Mais sobre audiodescrição
Era o último dia da Campus Party. Cega, Sarah Marques foi convidada por um grupo
A estudante do curso de Comunicação Social - habilitação em Jornalismo da Universidade de Santa
Preconceito, falta de informação, desinteresse, desconhecimento, descaso e abandono. Neste sábado, 21, quando celebramos o


Mais sobre audiodescrição
Era o último dia da Campus Party. Cega, Sarah Marques foi convidada por um grupo
A estudante do curso de Comunicação Social - habilitação em Jornalismo da Universidade de Santa
Preconceito, falta de informação, desinteresse, desconhecimento, descaso e abandono. Neste sábado, 21, quando celebramos o