Nova geração de artistas com conteúdo e prática do chamado teatro acessível começa a ser formada pela Escola de Gente

Vinte e cinco jovens artistas com e sem deficiência foram selecionados(as), entre 75 inscritos(as), para a série de 11 Oficinas de Teatro e Inclusão iniciada em 16 de novembro, no Rio de Janeiro, com patrocínio da MRS Logística e apoio da Lei Rouanet. As Oficinas e outras atividades complementares comporão 96 horas de formação e serão ministradas pelo grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade e outros(as) especialistas.

O processo fornecerá insumos para a criação do espetáculo infanto-juvenil Um amigo diferente?, peça que será escrita por Diego Molina a partir de livro de Claudia Werneck, superintendente da Escola de Gente, que abriu a primeira aula parabenizando o grupo em nome da organização.

Impactos da primeira turma

Primeiro eu fiquei muito surpreso. Eu sabia que o trabalho do grupo tem o objetivo de lidar com a questão da acessibilidade, mas fiquei muito surpreso quando eu vi que tinha uma pessoa com deficiência, que é a Moira, que faz parte do nosso coletivo, e o Marcos Nauer, passou um exercício para a gente guiar o outro… O que ficou para mim do primeiro encontro foi a Moira, que tem deficiência visual, que fez exercício comigo e me guiou melhor do que eu, que não tenho deficiência visual. Isso me marcou e foi o que ficou do nosso primeiro encontro, do nosso primeiro dia.

O comentário de Ivan Velame, 24 anos, revela o espírito de provocação e aprendizado destas Oficinas de Teatro e Inclusão.

Claudia Werneck, fundadora da Escola de Gente e autora do livro Um Amigo Diferente?, lançado em 1995 pela WVA Editora e que irá inspirar o autor Diego Molina a escrever o espetáculo de mesmo nome, abriu a primeira Oficina de Teatro e Inclusão. A jornalista agradeceu aos(às) artistas que se inscreveram e, especialmente, àqueles(as) que foram selecionados(as), o interesse pelo diálogo entre a arte e a inclusão, causa que inspira o grupo Os Inclusos e os Sisos, projeto de arte e transformação social da Escola de Gente.

Ao final das Oficinas de Teatro e Inclusão, 10 jovens serão escolhidos(as) para integrar a equipe do espetáculo infanto-juvenil Um Amigo Diferente?,cuja montagem está prevista para o primeiro semestre de 2011.

Os(As) 10 jovens serão remunerados(as) como estagiários(as) durante os três meses de ensaios e os dois meses de realização da temporada do espetáculo.

Arte e Inclusão

As Oficinas de Teatro e Inclusão visam à formação de multiplicadores(as) do conceito de inclusão através do teatro e mesclam conteúdos de inclusão e de acessibilidade com outros, artísticos como interpretação, direção, dramaturgia, figurino, cenário etc. O grupo participou também de uma Oficina Inclusiva, metodologia que deu origem à Escola de Gente, com o objetivo de provocar reflexões sobre o quanto nos discriminamos sem desejar e sem perceber, também por meio da arte e da cultura. Essa metodologia foi premiada como Idéia Inovadora em Mobilização de Recursos do Prêmio Empreendedor Social Ashoka McKinsey 2002.

Jovens Reeditores(as)

As aulas estão sendo ministradas pelos(as) integrantes do grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, projeto de arte e transformação social da Escola de Gente e por profissionais convidados(as), como o diretor Moacir Chaves, a preparadora corporal Duda Maia, a dramaturga Julia Spadaccini, a atriz Suzana Saldanha e a Oficineira da Inclusão e conselheira nacional de juventude Danielle Basto, que faz parte da equipe técnica da Escola de Gente. Bruno Perlatto, um dos (as) fundadores(as) do grupo, juntamente com Talita Werneck, Marcos Nauer, Digo Molina e Natalia Simonete, também mediará a Oficina Inclusiva. Os atores Fábio Nunes e Victor Albuquerque, que começaram a fazer parte do grupo no ano de 2009 com o projeto Ninguém mais vai ser bonzinho – Circulação Nacional, compõem a equipe da oficina como auxiliares da coordenação.

Acessibilidade física

O Centro Cultural Carioca foi o local escolhido para a realização das oficinas por se localizar no centro da cidade do Rio de Janeiro e possuir acessibilidade para pessoas com deficiência. O objetivo era um local que permitisse a participação de pessoas com deficiência e facilitasse o acesso das pessoas que moram nas áreas mais distantes da cidade via transporte público. A Escola de Gente realizou uma demorada e minuciosa busca pela cidade, a qual revelou a carência de espaços culturais acessíveis em uma cidade tão representativa para a cultura no Brasil como o Rio de Janeiro.

Primeira aula

Na primeira aula, realizada no dia 16 de novembro, Claudia Werneck contou a sua experiência na criação do livro infanto-juvenil Um Amigo Diferente?. Os(As) 35 jovens artistas receberam gratuitamente um exemplar do livro, que também foi distribuído em formato acessível (MP3) para os(as) dois(duas) artistas com deficiência visual. Logo em seguida, o grupo realizou várias leituras dramatizadas do livro, como primeiro exercício de interpretação. Ainda na primeira aula, Diego Molina deu explicações sobre o projeto e suas fases de seleção, acompanhado de Marcos Nauer, coordenador das Oficinas, que ministrou exercícios de alongamento e aquecimento para a turma. Também foi realizada uma dinâmica que trabalhou os sentidos, onde os(as) alunos(as) ora ficavam de olhos abertos, ora de olhos fechados, com a solicitação de, ao mesmo tempo, guiarem uns/ umas aos(as) outros(as).

Dois depoimentos da primeira oficina

(…) Há muito tempo eu não fazia teatro e vi que todo mundo na oficina fazia ou já era até formado… Mas depois a gente conversou e eu falei com todo mundo, fiquei à vontade, achei legal. A Claudia Werneck falando, uma super lição de iniciativa. Gostei pra caramba! (Jair Sátiro, 18 anos).

Achei ótimo o espaço que tivemos para nos apresentar, ler os livros que estamos trabalhando. Teve a presença da Claudia e ela falou sobre o trabalho de vocês com inclusão e eu gostei ainda mais, foi legal. (Andreza Jorge, 19 anos)

Um Amigo Diferente?

O livro Um Amigo Diferente?, traduzido para o inglês e o espanhol com apoio da Save the Children Suecia no ano de 2000, foi escrito por Claudia Werneck e editado pela WVA Editora no ano de 1995. Traz um selo de recomendação dupla de Unesco e Unicef na capa. A obra conta a história de uma criança que diz ser diferente e leva à reflexão sobre as diferenças individuais de cada um, discorrendo sobre hemofilia, paralisia cerebral, ostomia, doença renal, etc.

A ideia de montar o espetáculo inspirado no livro surgiu da necessidade de despertar as crianças para as questões relacionadas à ética da diversidade na nossa sociedade usando como referência personagens contemporâneos, sem recorrer às fábulas antigas. A peça Um Amigo Diferente? será o primeiro espetáculo infanto-juvenil brasileiro a oferecer diversas medidas de acessibilidade na comunicação simultaneamente, como intérprete da Língua de Sinais Brasileira, a Libras, audiodescrição das cenas, legendas eletrônicas e programas impressos em braile.

Os Inclusos e os Sisos

Grupo de arte e Transformação Social criado no ano de 2003 pela Escola de Gente a partir de mobilização de Talita Werneck junto a então alunos(as) de Artes Cênicas Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), desperta plateias para a causa da inclusão através do teatro. Desde sua formação, já percorreu 14 estados de todas as regiões do Brasil, somando um público de mais de 30 mil pessoas. Atualmente onze jovens integram o grupo: Diego Molina, diretor artístico, Natália Simonete, coordenadora do projeto, Marcos Nauer, Bruno Perlatto, Talita Werneck, Fábio Nunes, Victor Albuquerque e as recém selecionadas Elisa Jungler, Louise Marie, Patrícia Vazquez e Carol Godinho.

Vídeos

Confira abaixo os vídeos que contam com a participação do grupo Os Inclusos e os Sisos.
Vídeo do grupo de teatro com as medidas de acessibilidade

Assista o vídeo do curta Vice-Versa, escolhido entre os 20 melhores filmes do Festival Claro Curtas!

Espetáculos do grupo

Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade

já criaram três espetáculos: as comédias Histórias do Final da Fila, Espetáculo de Esquetes e Ninguém mais vai ser bonzinho. Este último, criado em 2007, foi o primeiro espetáculo de teatro brasileiro a disponibilizar diversas medidas de acessibilidade simultaneamente, como intérprete de Libras, subtitulação eletrônica, audiodescrição das cenas e programas impressos em braile. Com o projeto Um Amigo Diferente?, a Escola de Gente repetirá esse pioneirismo só que com um espetáculo voltado para infância e juventude.
Em janeiro deste ano, a Escola de Gente lançou o Livro de Atividades Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, uma publicação de arte que conta a trajetória do grupo.

DATAS DAS OFICINAS

16 de novembro a 21 de dezembro
Todas as terças e quintas
Horário: 10h às 13h
Local: Rua do Teatro, 37 – Centro – Rio de Janeiro – RJ. Local com acessibilidade.

Fonte: Escola de Gente

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma