Sugestões da Programadora Brasil para o mês de dezembro

O mês de dezembro é marcado por datas comemorativas importantes e de confraternização. Confira a seguir as sugestões de programação.

Dia da Família, 08

A primeira sociedade organizada no mundo é a família. Base de todas as outras sociedades, inicia-se com o matrimônio e é teoricamente formada pelos pais e filhos. Programar filmes é uma boa pedida para este dia. Seguem as sugestões:

O Programa 3

apresenta o filme amores. Vieira é um escritor da TV Globo prestes a perder o emprego, enquanto se degladia com sua filha Cíntia, tentando controlar sua excessiva liberdade. Telma, maior amiga de Vieira, é casada com Pedro. Não quiseram ter filhos, mas agora, com Telma na casa dos trinta, estão querendo e não estão conseguindo, o que está pondo o casamento em perigo. Luiza, irmã de Telma, é uma atriz fracassada que ganha a vida contando piadas em bares. Apaixona-se loucamente pelo pintor Rafael, mas descobre que ele é bissexual. As histórias se entrelaçam e os problemas se complicam: Cíntia engravida de Pedro e Luiza descobre que Rafael é soropositivo.

Inspirado na série de TV que encantou gerações, Castelo Rá-Tim-Bum, o filme, do diretor Cao Hamburger, conta a história de Nino, um menino de 300 anos que mora em um castelo suntuoso e mágico com seus tios feiticeiros. Nino se acha diferente das outras crianças, e por isso sonha em ter amigos e poder brincar como uma criança normal. Mas quando descobre que sua família está em perigo, sai em busca de ajuda para salvar o Castelo. O filme é parte do Programa 111.

O documentário Estado de seca de Adriana Cursino (Programa 122) conta a história de João e sua família. João ocupou uma escola pública abandonada numa região conhecida como Vale da Seca, entre os vales do Jequitinhonha e São Francisco, Minas Gerais, Brasil. Lá vive com sua mulher e quatro filhos. A câmera acompanha, durante cinco dias, sem interferir diretamente, o movimento da família de João: o recadastramento no programa social do Governo Federal (Bolsa Família), as crianças na escola, o plantio dos alimentos, a coleta de água no rio e o cuidado com os animais. João revela a peculiaridade de sua visão de mundo.

O Programa 209 "Relações familiares" é todo dedicado ao assunto deste dia. Ao escolher a família como seu foco primário de atenção, os sete curtas-metragens que compõem este programa voltam seu olhar para aspectos distintos deste que é o núcleo fundador da nossa sociedade. A família, com sua capacidade de resumir os principais conflitos e realizações do ser humano, serve de espelho para todos nós. Não por acaso, assistindo a estes filmes, que ganharam prêmios e participaram de diversos festivais nacionais e internacionais, podemos ver projetadas ali nossas próprias relações com pais, avós, irmãos, tios, filhos, maridos e esposas. Realizados entre 1988 e 2009, eles nos permitem ainda traçar um painel tanto dos modelos de organização e relações afetivas e familiares ao longo deste período, como também ver variações de modelos narrativos e de produção pelos quais o cinema passou nos últimos anos. Faz parte deste Programa os filmes: Café com leite de Daniel Ribeiro, Depois das nove de Allan Ribeiro, História familiar de Tata Amaral, Laurita de Roney Freitas, O Bolo de José Roberto Torero, Perto de casa de Sérgio Borges, Tempo de ira de Gisella de Mello.

Dia do Cego, 13, A Programadora Brasil tem como uma de suas prioridades a acessibilidade. Aproveitando essa data, o catálogo da Programadora conta com 20 programas que possuem os recursos de Audiodescrição e Closed Caption. Seguem algumas sugestões.

Programa 106 "Os anos JK – uma trajetória política". Grande sucesso de público, Os anos JK — uma trajetória política alcançou a impressionante marca de 800 mil espectadores e se tornou um dos documentários brasileiros de maior público de todos os tempos. Dirigido por Silvio Tendler, tem uma narrativa clássica e se vale de entrevistas, fotos, sons e imagens de arquivo para acompanhar a trajetória de Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1975), desde a sua juventude na pequena Diamantina dos anos 1930, passando pela Presidência da República, entre 1956 e 1961, e chegando aos anos de exílio e à morte em um acidente de automóvel.

Programa 108 traz os filmes Boleiros, era uma vez o futebol de Ugo Giorgetti e Uma história de futebol de Paulo Machline. O primeiro, um longa-metragem que trata de causos” saborosos, fruto das memórias de gente que nasce e vive do esporte. Mas nem todas as narrativas são felizes nesta obra de forte apelo popular. Afinal de contas, racismo, trambiques, amores, fracassos e ilusões fazem parte de todos os tipos de enredo – e o futebol, é claro, não é exceção. Já o segundo, um curta-metragem é uma ficção sobre as lembranças de um garoto que jogou um dia com aquele que seria, pouco tempo depois, o rei Pelé.

Programa 113 traz o filme O corintiano de Milton Amaral. Mais do que um filme sobre futebol,O corintiano é um filme sobre paixões arrebatadoras. O longa-metragem mostra como o futebol é a razão de viver de Manuel. Logo no início, ele ganha um burro preto-e-branco em uma rifa, e então começam as rixas com os vizinhos, os filhos e a mulher. Ninguém escapa do fanatismo de Manuel, especialmente os vizinhos de ascendência italiana — todos eles palmeirenses.

Programa 116 apresenta o filme O dragão da maldade contra o santo guerreiro de Glauber Rocha. O matador de cangaceiros Antonio das Mortes vai à cidade de Jardim das Piranhas, contratado para matar um bando de jagunços chefiados por Coirana, que se diz herdeiro de Lampião.

Eu me lembro (Programa 118) é o longa-metragem de estréia do diretor Edgard Navarro que narra a biografia ficcional de Guiga, rapaz de uma tradicional família de Salvador. As memórias do protagonista, naturalistas e profundamente pessoais, revelam retratos fidedignos de idiossincrasias e maneirismos de nossa cultura. Narradas em um período que engloba as décadas de 1950 a 1970, as descobertas, conflitos e perdas do jovem traçam um panorama histórico da sociedade brasileira naqueles dias.

O longa-metragem Vida de menina (Programa 131), de Helena Solberg, é uma adaptação dos diários de Helena Morley, pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant. Sob a perspectiva dessa menina de 13 anos, o filme exibe um panorama intimista da vida cultural e familiar da cidade de Diamantina em seu período de decadência econômica nos fins do século XIX.

Programa 200 "Comédias contemporâneas 2", apresenta um painel diversificado de curtas-metragens que utilizam o humor para discutir situações filosóficas, culturais ou comportamentais. O humor pode surgir do gesto e do ritmo, Mr. Abrakadabra!, de José Araripe, da força dos diálogos e dos atores, Lápide, de Paulo Morelli, da sensação de absurdo das situações, Tepê, de José Eduardo Belmonte, do choque de comportamentos, Célia e Rosita, de Gisella de Mello, e Maridos, amantes e pisantes, de Angelo Defanti, da paródia metalingüística, Os filmes que não fiz, de Gilberto Scarpa, ou da inversão de expectativas Negócio da China, de João Vargas Penna, o essencial é que o riso impulsione o pensamento, ativando a percepção e a sensibilidade do espectador, chamando-o para o jogo e fazendo da gargalhada um convite à beleza e ao questionamento.

24 · Dia do Órfão.

É um dia para refletirmos sobre esse tema tão delicado. Segue as sugestões:

Biela, de 17 anos, é órfã de mãe e mora com o pai — simplório, rico, maníaco e rústico — numa fazenda de café e muito gado, onde os costumes sociais ainda remontam ao século 19. Com a morte do pai, Conrado, seu primo e tutor, leva a jovem para viver com sua família em uma pequena cidade. Constança, esposa de Conrado, busca integrar Biela à vida social de acordo com as posses da família e, para tanto, encomenda vestidos elegantes e a ensina a se portar como uma jovem educada e refinada. Entretanto, Biela só se sente bem na cozinha ao lado dos empregados, com quem passa a conviver definitivamente após uma grande desilusão amorosa. Essa é a estória do filme Uma vida em segredo de Suzana Amaral ( Programa 187).

O profeta das cores de Leopoldo Nunes (programa 62), traz a história de Antonio da Silva Nascimento. Institucionalizado desde os 3 meses de idade, Antonio passou sua vida em orfanatos, reformatórios, prisões e manicômios, ganhando a liberdade aos 42 anos de idade, após uma reclusão de 17 anos no Manicômio Judiciário de Franco da Rocha. Nas ruas, morando sob pontes e catando papelão, Antonio descobre a pintura. Intitula-se o Profeta das Cores e logo torna-se unanimidade de público e crítica, exorcizando a consciência histórica da civilização em seus golpes coloridos contra telas e muros.

O filme A hora da estrela de Suzana Amaral ( Programa 14) fala sobre Macabéa, uma jovem órfã, só no mundo, aos 19 anos. Analfabeta, ingênua e virgem, vem do nordeste tentar a vida em São Paulo. O filme mostra a história do encontro patético deste ser humano com as artimanhas da cidade grande. Macabéa é tão desastrada que o tempo todo ela dói por dentro. Não sabe, como os outros, que esta dor tem de ser dissimulada por baixo das máscaras sociais. Toma aspirinas para ver se passa. Veste então as máscaras, mas não lhe caem bem.

Dia da Lembrança, 26.

A lembrança é um processo pelo qual a pessoa revive, parcial ou totalmente, as ideias, as impressões e os conhecimentos adquiridos no passado, ou seja, é a capacidade psíquica de recordar o que se viveu. Recordar também é viver. A seguir sugestões para este dia.

A Partida de Sandra Ribeiro conta a estória de um velho ilhado na cidade grande vê o mundo da janela de seu apartamento. Viajando na lembrança, volta ao interior de Pernambuco quando, ainda jovem, sonhava em partir. Para isso, era preciso romper com a avó, sua raiz nesse fim de mundo. Esse filme é parte do Programa 149 "Maioridade".

Programa 56 "Diferenças" traz o filme Reminiscência de Eduardo Nunes. Reminiscência: lembrança do que a alma contemplou em uma vida anterior, quando, ao lado dos deuses, tinha a visão direta das idéias.

O Programa 23 "Bola na tela", apresenta o curta-metragem Os Fiéis de Danilo Solferini. Três amigos contam as aventuras vividas durante uma famosa partida de futebol. Falam de lembranças, a euforia e a sensação de viverem um momento histórico.

Agora, é só programar as sessões! Lembre-se de registrar os agendamentos de sessões na área do associado (www.programadorabrasil.org.br/associado). Se tiver dificuldades, entre em contato com o atendimento da Programadora Brasil ( atendimento@programadorabrasil.org.br).

As sessões programadas são divulgadas no site www.programadorabrasil.org.br/exibicao.

Além disso, ainda há a oportunidade de enviar fotos das ações audiovisuais realizadas com os títulos do catálogo da Programadora Brasil junto com os relatórios das sessões, detalhando o perfil das atividades, espectadores e curiosidades. Acreditamos que o trabalho de cada associado é fundamental para, juntos, construirmos um circuito de exibição não-comercial voltado para a cinematografia brasileira de diferentes épocas, formatos e gêneros.

Compartilhando seus agendamentos e estratégias, o seu ponto de exibição poderá ser mostrado como exemplo e estimular a troca de experiências entre todos os associados da nossa rede. Contamos com a sua ajuda para consolidar plenamente os fins da Programadora Brasil: formar platéias, fomentar o pensamento crítico em torno da produção nacional e, principalmente, contribuir para a formação intelectual, social e cultural dos brasileiros.

Fonte: Programadora Brasil

Mais sobre audiodescrição
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Na próxima sexta-feira (29/07), a Filmes Que Voam lançará gratuitamente em seu portal o filme


Mais sobre audiodescrição
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Na próxima sexta-feira (29/07), a Filmes Que Voam lançará gratuitamente em seu portal o filme