Pelo livre acesso ao projeto de lei do Ministério das Comunicações

Nota do Blog:

É muito importante as pessoas com deficiência também acompanharem as discussões a respeito do novo marco regulatório das telecomunicações no Brasil.

Nunca é demais lembrar que a legislação vigente nos garante recursos de acessibilidade como a audiodescrição, o closed caption e a interpretação em LIBRAS somente no sistema de televisão aberta, deixando de fora a televisão por assinatura. Além disso, conforme citado na manifestação que reproduzimos após esta nota, a regulação das produções cinematográficas sendo abarcada por esse novo marco regulatório, abre a possibilidade de incluirmos a acessibilidade também nesta área.

Não será fácil, os interesses de gigantescos grupos empresariais que dominam as telecomunicações no Brasil são enormes, por isso é muito importante não nos omitirmos nesta discussão.

Boletim Especial do Instituto Telecom – Nossa Opinião

Na sexta-feira, 21/01, a Momento Editorial divulgou na sua publicação semanal o que deve ser o documento base para discussão do novo marco regulatório das comunicações.

Bons Exemplos

Essa série de textos não vem apenas para apontar problemas. A luta do movimento das pessoas com deficiência e uma consciência social cada vez mais voltada para essa temática já tem produzido resultados importantes, e não tenho dúvidas em afirmar que esse é um caminho sem volta.

Primeiro cineasta cego do país

"O tempo é tão grande dentro de mim"… Essa é a primeira explanação do único cineasta cego do país João Júlio Antunes, ao relatar sua história para o Jornal O Grito.

ABERT tem primeira reunião formal com o Ministro das Comunicações

A Abert teve nesta terça, 25, pela primeira vez, uma reunião formal com o ministro das Comunicações Paulo Bernardo. Segundo relatos da reunião, a Abert mais falou do que ouviu, o que foi considerado pelos participantes como um aspecto positivo, pois deixou a impressão que o ministro está aberto a entender a realidade dos radiodifusores.

A associação, que representa empresas de rádio e TV, mostrou em uma rápida apresentação a estrutura do setor, as principais características do modelo brasileiro e algumas de suas preocupações. Mas questões polêmicas, como a possibilidade de que a Anatel assuma a fiscalização das outorgas de radiodifusão ou o debate sobre a Lei de Comunicação, não foram tratadas em profundidade.

O ministro teria apenas relatado que o governo ainda não tem uma posição fechada sobre a nova lei e que quando isso acontecer todos os setores, inclusive as emissoras, serão chamadas a conversar, mas não sinalizou prioridades nem cronogramas.

samuel i mazza e Mariana e Possebon

Nota do Blog:

E quanto aos recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência nos programas de televisão?

Certamente o ministro Paulo Bernardo e a ABERT têm outros assuntos a discutir, mas, para as pessoas com deficiência, que somam mais de 25 milhões de consumidores de informações e lazer proporcionados pela televisão, este é assunto prioritário.

Sr Ministro, não vamos admitir novos adiamentos no cronograma de implementação da audiodescrição nos programas de televisão!

Fonte: Tela Viva News

Ciclo de Palestras Sobre Audiodescrição

Ciclo de Palestras sobre a Audiodescrição no Brasil Objetivos: – Conscientizar os Institutos, ONGs e Centros das Universidades públicas e privadas da cidade de Campinas, que trabalham com habilitação, reabilitação, educação e inclusão social e cultural de pessoas com deficiência visual, sobre a situação da Audiodescrição no Brasil. – Fazer um alerta da premência de uma ação conjunta para a viabilização do recurso da Audiodescrição nas televisões públicas e privadas no Brasil. – Discutir as leis e propor uma metodologia de ação. – Exibição de curta metragem com audiodescrição. – Esclarecer sobre a importância da autonomia intelectual e do empenho da pessoa cega no processo de uma ação coletiva. – Apresentar os projetos de acessibilidade de pessoas cegas e surdas e Cursos de Formação de Audiodescritores que estão em andamento em Campinas, coordenados por Bell Machado. – Apresentar os projetos já concretizados de parcerias com a Prefeitura Municipal de Campinas, bem como com empresas privadas.

São Paulo: uma cidade para todos

A maior cidade da América Latina está completando hoje seus 457 anos. Com cerca de seus 19 milhões de habitantes, sendo 1,2 milhões de pessoas com deficiência, a cidade de São Paulo é a mais populosa do Brasil. Pensando nisso a coordenadora de acessibilidade da avape, Associação para Valorização da Pessoa com Deficiência, Cristiane Ecker, faz algumas sugestões de atrações culturais cuja infraestrutura garante acessibilidade e tecnologia assistiva para pessoas com e sem deficiência. Mas fica a pergunta: a maior cidade da América Latina seria uma cidade para todos?

Rede Globo censura o termo audiodescrição?

Nota do Blog: Alguns dias atrás, militantes na luta pela implementação da audiodescrição na programação das emissoras de televisão protestaram indignadas contra matéria veiculada no jornal "Bom Dia Brasil", da Rede Glogo:

Nosso Lar: consegui!

Baseado na obra de Chico Xavier, o longa "Nosso Lar" chega às lojas e locadoras