Proibido Proibir: em cartaz com audiodescrição e legendas no CCBB

Premiado como melhor filme em festivais de cinema na Europa e América Latina, Proibido Proibir, com Caio Blat, Maria Flor e Alexandre Rodrigues será exibido nos dias 12 e 13 de março (em São Paulo) e 19 e 20 de março (no Rio de Janeiro) pelo Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) como parte da programação do Cinema Nacional Legendado e Audiodescrito (CNLA), projeto que possibilita que pessoas com baixa visão, audição parcial, cegas ou surdas compreendam uma produção cinematográfica.

Cartaz do filme Proibido Proibir

O projeto idealizado pela Associação de Reabilitação e Pesquisa Fonoaudiológica (Arpef), ocorre – em parceria com o CCBB – desde 2008 em São Paulo e no Rio de Janeiro desde 2004, porém é a primeira vez que terá uma programação mensal por um ano, de novembro de 2010 a dezembro de 2011. O primeiro filme da série será Proibido Proibir.

O Centro Cultural Banco do Brasil, por meio do CNLA, dará continuidade a esse trabalho de inclusão sócio-cultural propiciando uma variedade de gêneros e títulos à pessoas de todas as idades que tenham alguma deficiência nos sentidos da visão ou da audição, possibilitando o acesso a esse tipo de arte, o cinema.

Filmes nacionais de diversos gêneros como, comédia, drama, animação e ação estarão disponíveis numa sala de cinema acessível, que oferecerá fones sem fio para que os deficientes visuais possam receber a audiodescrição e de legendas para os deficientes auditivos possam acompanhar plenamente o filme.

Contemplada por 14 filmes nacionais, alguns sucesso de público e crítica, entre eles Proibido Proibir, a programação do Cinema Nacional Legendado e Audiodescrito vai ao encontro de um dos principais objetivos do Centro Cultural Banco do Brasil, levar cultura, independentemente de sua forma, à população brasileira. Possuindo uma grande interdisciplinaridade dos temas e formas artísticas expostas, o CCBB foi criado visando formar novas platéias, democratizar o acesso à cultura e contribuir para sua promoção, divulgação e incentivo.

"A dinâmica proposta para o CNLA 2010 / 2011 terá algumas ações diferenciadas. Uma delas será a disponibilização de transporte, gratuito, para levar membros e convidados de algumas instituições até o Centro Cultural. Outra, e talvez mais interessante, está por conta das atividades que serão realizadas após cada filme. Ou por meio de um debate, ou palestra de alguma personalidade, ou workshops, etc, depois de finalizada as sessões de sábado, os espectadores poderão discorrer e trocar idéias sobre diversos temas, sempre condizentes ao filme assistido" revela Marcelo Mendonça, diretor da unidade paulista do Centro Cultural Banco do Brasil.

Os sistemas que possibilitam esse entendimento, àqueles que não podem ouvir e enxergar são, respectivamente, o sistema de legendagem (closed caption) e o da audiodescrição. A legendagem no padrão closed caption consiste em, além da descrição das falas dos atores, transcrever sons não literais importantes para compreensão do filme. Músicas, risos, aplausos, passos, chuva, entre outros, são alguns dos sons que podem ajudar na percepção da cena assistida. A Audiodescrição baseia-se em descrever e transmitir, da forma mais completa e clara possível, no mesmo momento em que a cena está acontecendo, toda e qualquer informação relevante que está sendo passada e que, por não fazer parte de nenhum diálogo, só seria compreendida visualmente. Ou seja, repassa informações do que está sendo representado. Por exemplo, mudança repentina de cenário e/ou tempo, expressões faciais ou ações relevantes onde não existe fala dos atores. "O que percebemos é que os cegos vão pouco ao cinema, porque se sentem inibidos por precisarem que um acompanhante não cego descreva oralmente as cenas, atrapalhando os outros espectadores. Por isso, para não incomodar os outros, muitas vezes ele e o acompanhante ficam num local afastado da tela, o que compromete a descrição das imagens" conta Helena Dale, curadora do CNLA.

MARÇO 2011 (SP: 19 e 20/03) e (RJ: 26 e 27/03)

"É Proibido Proibir"
Direção: Jorge Durán
Atores: Caio Blat, Maria Flor, Alexandre Rodrigues e Edyr Duqui
Duração: 100 min
Ano: 2007
Gênero: Drama
Estúdio: El Desierto Filmes Ltda / Ceneca Produciones & A Produções
Distribuidora: Riofilme
Classificação: 16 anos
Sinopse: Paulo (Caio Blat) é um estudante de medicina que divide uma quitinete com Leon (Alexandre Rodrigues), seu melhor amigo e estudante de sociologia. Leon namora Letícia (Maria Flor), mas ela e Paulo se apaixonam. O trio tenta ajudar Rosalina (Edyr Duqui), uma paciente terminal que está no Hospital Universitário, a rever os filhos, que não a visitam há bastante tempo. Ao tentar salvar Cacauzinho (Adriano de Jesus), um dos filhos de Rosalina, Leon é ferido em um tiroteio. Letícia consegue resgatá-lo, mas para que Leon sobreviva, Paulo terá que operá-lo em sua própria casa.

Mais sobre audiodescrição
O Cine às Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível realiza sua segunda edição nos dias
Um festival que pretende devolver aos mágicos as “luzes da ribalta”, promovendo um encontro entre
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo


Mais sobre audiodescrição
O Cine às Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível realiza sua segunda edição nos dias
Um festival que pretende devolver aos mágicos as “luzes da ribalta”, promovendo um encontro entre
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo