Companhia de Atores estreia novo espetáculo com elenco multicultural

Lisboa, 28 abr (Lusa) – A Companhia de Atores estreia hoje, no Teatro A Barraca, em Lisboa, uma peça com um elenco multicultural, que aborda as perspetivas das várias gerações de imigrantes em Portugal.

"Nosso Senhor da Purificação – uma prece urbana", que abriu o FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, na terça-feira, viaja "desde a saída dos pais da sua terra natal, com os desejos e todas as perspetivas de futuro" até à "geração atual e a vontade de vencer, de seguir para um futuro melhor", resume o encenador António Terra.

Com música, interpretação e dança, o novo espetáculo da Companhia de Atores junta jovens artistas de vários bairros do concelho de Oeiras e com origens em quase todos os países do mundo lusófono, do Brasil a África e Timor, que não se conheciam e se tornaram "numa grande família", explicou António Terra à Lusa.

A língua portuguesa domina, mas também lá estão os crioulos, de Cabo Verde e da Guiné-Bissau. Os artistas são jovens com vidas complicadas, mas também com uma alegria "contagiante", que "esbanja talento", descreve o fundador e diretor da Companhia de Atores.

Esta peça é já a terceira que resulta do projeto "AMPLIARTE", com o qual a Companhia de Atores desenvolve, desde 2008, projetos de intervenção artística na área social, reunindo um núcleo de profissionais do espetáculo que vai aos bairros do concelho de Oeiras, faz parcerias com associações locais e desenvolve trabalho com jovens e crianças.

Agora estão há um mês no Bairro dos Navegadores, em Talaíde, Porto Salvo (concelho de Oeiras), e vão ficar pelo menos até março do próximo ano, num projeto de "mudança de comportamentos para uma educação positiva".

A arte – acredita António Terra – tem uma "função social", de "comunicar, transformar, tocar as pessoas". "O papel da arte é fundamental desde o jardim de infância. Quanto mais cedo a gente sensibilizar os seres humanos e colocar essa poesia na vida, mais cedo também vamos ter adultos com muito mais sensibilidade para o futuro", considera.

"Não sei distinguir o que é vida e o que é arte, para mim é tudo a mesma coisa", partilha, descrevendo a nova peça como "um espetáculo que purifica" e que pretende transmitir uma "visão positiva".

O que mudou na vida dos jovens que integram o espetáculo "foi uma visão de futuro, uma perspetiva", que lhes mostrou que não têm necessariamente de seguir o mesmo caminho da mãe, "mulher a dias", nem de optar por um emprego "tábua de salvação" no McDonald’s. "Qual é o sonho de cada um? Se tem um sonho, vamos lutar por ele e dentro disso acreditar, ter disciplina e determinação, investir no seu futuro, na sua formação", defende António Terra, sublinhando que é "um processo que vai acontecendo lentamente".

"Nosso Senhor da Purificação – uma prece urbana" está em cena entre hoje e sábado, às 21:00, e no domingo, às 18:00, no Teatro A Barraca.

Como todos os espetáculos da Companhia de Atores, pode ser assistida por pessoas com deficiência visual, através do sistema de audiodescrição, que narra o que vai acontecendo em palco.

Fonte: Agência Lusa

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma