Unesp inclui audiodescrição nos materiais de cursos a distância

Alunos dos cursos de pós-graduação do projeto Unesp/Redefor já receberão material com audiodescrição a partir de outubro.

Desde o início de julho entrou em vigor a portaria do MiniCom nº 188/2010 que obriga as emissoras de televisão brasileiras, com sinal digital, a transmitirem ao menos duas horas semanais de programação com audiodescrição. Esse recurso deve beneficiar cerca de 16 milhões de deficientes visuais.

Na educação, a Unesp (Universidade Estadual Paulista) passa a incorporar a audiodescrição como ferramenta pedagógica nos cursos a distância, a partir de outubro deste ano.

Transformar o visual em verbal é a principal função da audiodescrição – um instrumento de mediação, que utiliza recursos da tradução para descrever imagens em palavras, misturando a narração com a descrição. Na educação, a audiodescrição contribui para a inclusão escolar, permitindo aos alunos o acesso ao conteúdo imagético e ampliando seu entendimento e suas oportunidades de conhecimento.

Para as próximas turmas dos cursos de especialização a distância, oferecidos pela Unesp no âmbito do programa Rede São Paulo de Formação Docente (Redefor) serão produzidos materiais pedagógicos utilizando o recurso de audiodescrição. O objetivo é a capacitação dos professores da rede pública de ensino para a inclusão escolar.

"É preciso que se pense a formação contínua dos educadores contemplando os princípios da educação inclusiva. Com a especialização espera-se que haja o aprofundamento nas áreas de conhecimento em que o professor atua para que resulte em melhor ensino", afirma o professor Klaus Schlünzen Junior, coordenador do Núcleo de Educação a Distância (NEaD) da Unesp, responsável pela gestão de mídias dos cursos do programa Unesp/Redefor, voltados para educadores do Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

A audiodescrição fará parte da segunda turma dos cursos de especialização em Língua Inglesa, Arte, Filosofia, Geografia e Química e da primeira turma de sete novos cursos de Especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, sendo um voltado para professores de sala comum e outros seis para professores do Serviço de Apoio Pedagógico Especializado (SAPE), nas áreas de: Deficiência Intelectual; Deficiência Física; Deficiência Auditiva; Deficiência Visual; TGD – Transtorno Global de Desenvolvimento; Altas Habilidades/superdotação.

Professores, pesquisadores e profissionais participam de curso de audiodescrição

O Centro de Inclusão Digital, Escolar e Social (CPIDES), da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), câmpus de Presidente Prudente, promoveu de 30 de junho a 02 de julho, o curso de introdução à Audiodescrição, ministrado pela professora Lívia Maria de Mello Motta, doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, que atua na área de formação de professores para a escola inclusiva e inclusão cultural das pessoas com deficiência visual, com foco na formação de audiodescritores.

"Hoje temos a demanda de acessibilidade, a audiodescrição é uma iniciativa importante e que vai ampliar ainda mais o processo da inclusão", enfatizou Danielle Santos, participante do curso e doutoranda da FCT.

Participaram do curso 26 pessoas, entre pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação, professores orientadores e profissionais da Reitoria e do NEaD. O curso teve recurso do Programa de Educação Especial (Proesp) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), com certificado de extensão da Pró-reitoria de Extensão Universitária (Proex) da Unesp.

Pamela Gouveia

Fonte: NEaD – Núcleo de Educação a Distância da UNESP



Mais sobre audiodescrição