A deficiência na TV

No último dia 18, a televisão brasileira completou 61 anos de existência. Na ocasião, em 1950, o empresário Assis Chateubriand inaugurava a TV Tupi de São Paulo, a primeira emissora do país. A data nos permite fazer uma pequena análise sobre como a deficiência vem sendo retratada na telinha durante essas décadas, principalmente nos últimos tempos.

Foto de uma televisão antiga

Já tratamos algumas vezes aqui no Guia Inclusivo as abordagens errôneas feitas em algumas telenovelas, onde personagens que sofriam graves acidentes se tornavam cadeirantes e, poucos capítulos depois, voltavam a andar normalmente. Outras polêmicas envolvendo tais abordagens já puderam ser vistas em outros segmentos da TV, como no jornalismo e na publicidade.

Em um passado não muito distante, o ponto de vista adotado por tais produtos era o de que uma pessoa com deficiência era uma pessoa infeliz e incapaz. Mas esta realidade aparentemente começou a mudar e algumas telenovelas colaboraram para isso, especialmente nas obras do autor Manoel Carlos.

Duas novelas escritas por ele são apontadas como responsáveis pela popularização do tema, sendo tratado de forma mais correta em relação a outras obras que, de alguma forma, trataram sobre o tema. Vamos falar sobre elas a seguir.

No decorrer da novela “História de Amor” (1995), o personagem Assunção, interpretado pelo ator Nuno Leal Maia, fica paraplégico e permanece nesta condição até o fim da trama. Assim, a obra deu espaço para que fosse mostrada a importância da prática esportiva para deficientes físicos, entre outras coisas.

Mas foi com a novela “Viver a Vida” (2009) que o tema ganhou ainda mais popularidade na mídia e na sociedade. A história da jovem Luciana, que fica tetraplégica após sofrer um acidente de ônibus, fez com que os assuntos ligados à deficiência se tornassem mais recorrentes. Mas a televisão não se resume apenas às novelas. É importante ressaltar que, nos últimos tempos, surgiram na TV programas que falam do universo das pessoas com deficiência.

É o caso do programa “Sentidos”, que trata dos temas oferecendo recursos que agregam pessoas com os mais diferentes tipos de deficiência, como a utilização da LIBRAS e da audiodescrição.

Há muitos assuntos para serem tratados e que dizem respeito à televisão, mas, por uma questão de tempo e espaço, alguns deles serão deixados de fora deste texto.

No aniversário da primeira transmissão de televisão no Brasil, deseja-se que temas ligados à deficiência continuem ganhando espaço na televisão e que a abordagem deles seja sempre correta, pois, a televisão é uma das mídias campeãs no quesito “alcance” e, quanto mais corretas as informações veiculadas, mas informada fica a sociedade.

por:Rodrigo Almeida

Fonte: Guia Inclusivo – Com informações do site Teledramaturgia

Mais sobre audiodescrição
Para responder a pergunta como se produz audiodescrição na televisão, te convido a percorrer uma
Já teve curiosidade de saber como são feitos os recursos de acessibilidade hoje presentes em
Tendo como moderador Edson Moura, a seção das 15h30 da sala 17 do Congresso da


Mais sobre audiodescrição
Para responder a pergunta como se produz audiodescrição na televisão, te convido a percorrer uma
Já teve curiosidade de saber como são feitos os recursos de acessibilidade hoje presentes em
Tendo como moderador Edson Moura, a seção das 15h30 da sala 17 do Congresso da