Polo Astronômico planeja ações de acessibilidade e implementa atividade piloto

O mês de agosto representou um momento marcante para o curso "Fundamentos Teóricos e Metodológicos para o Ensino-Aprendizagem em Astronomia: Formação de Educadores" realizado pelo Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho.

Promovido pelo Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, pela primeira vez o projeto – que já contou com a presença de aproximadamente 400 professores de Foz do Iguaçu e região – teve a participação de uma integrante com deficiência auditiva.

Ao lado de professores da Secretaria Municipal de Educação de Medianeira, a professora da Unioeste, Andrea Carolina Bernal Mazacotte, que é surda, foi convidada a participar do curso. "Com a presença do intérprete de Libras (Roberto Mazacotte) adquiri muito conhecimento. Aproveitei também para fazer perguntas para entender o conteúdo e imaginar como ensiná-lo para os surdos", destacou.

Para melhor atendê-la, a equipe do Polo Astronômico realizou algumas adaptações no conteúdo e na didática utilizada, numa ação que representa apenas o início do projeto de acessibilidade que deve ser implantado aos poucos no Polo Astronômico e por todo o PTI. "A acessibilidade faz parte dos objetivos de um centro de Ciência. Devemos ter a consciência de que o conhecimento científico deve ser repassado a todos e sem excluir ninguém", destacou a pedagoga e bolsista do Polo Astronômico, Ana Maria Pereira.

Por meio destes processos, o Polo Astronômico irá buscar formas de comunicação e compreensão dos temas em Astronomia, adaptando os espaços com equipamentos e tecnologia assistiva para propiciar acessibilidade aos visitantes. O projeto terá o auxílio de outros especialistas na área de disseminação de ciência que visam a acessibilidade.

Essas atividades estão alinhadas com outras adaptações previstas para todo o polo astronômico a exemplo de sinalização adequada, piso tátil, placas em braile e com pictogramas, avisos sonoros e luminosos, além de adaptações no corrimão das escadas. As aulas do curso também terão mudanças, com a revisão e inserção de atividades experimentais táteis, audiodescrição e vídeo em Libras. A professora Andrea informou que já iniciou a elaboração de uma apostila para que outras pessoas com as mesmas necessidades possam participar de cursos dessa natureza.

Fonte: PTI – Comunicação

Mais sobre audiodescrição
Alunos do curso de Especialização em Audiodescrição, promovido pelo Núcleo de Pesquisa em Inclusão, Movimento
Nos últimos meses me dediquei exclusivamente aos cursos de formação de professores, tendo atuado, simultaneamente,
Para apresentar o tema audiodescrição aos estudantes que participam de um projeto de iniciação científica


Mais sobre audiodescrição
Alunos do curso de Especialização em Audiodescrição, promovido pelo Núcleo de Pesquisa em Inclusão, Movimento
Nos últimos meses me dediquei exclusivamente aos cursos de formação de professores, tendo atuado, simultaneamente,
Para apresentar o tema audiodescrição aos estudantes que participam de um projeto de iniciação científica