Bola Na Rede

Entre a introdução oficial do futebol no país, em 1894, e a criação, em 2008, de um espaço inteiramente dedicado ao esporte mais amado pelos brasileiros, 114 anos se passaram. o Museu do Futebol, Localizado no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – o Pacaembu, em São paulo – conta essa história com recursos tecnológicos de ponta.

  • 32 milhões de reais foi o valor investido na criação do museu.
  • 1.176.873 pessoas visitaram o local desde a sua inauguração, em setembro de 2008, até o final de novembro de 2011.
  • 6.900m2 é a área ocupada pelo museu, dividido em 16 salas. Há ainda um auditório para eventos com 180 lugares, um bar e uma loja de artigos esportivos.
  • 13 meses foi o tempo consumido na construção do museu, administrado pelo Instituto da Arte do Futebol Brasileiro, organização social de cultura sem fins lucrativos. A obra envolveu 680 profissionais.
  • 1.442 fotos relacionadas ao universo do futebol e seis horas de vídeos estão em exposição.
  • 80 funcionários trabalham para o museu funcionar, desde a limpeza até os guias educativos.
  • 78 câmeras com infravermelho, que permitem a captação de imagem, mesmo em ambiente escuro, integram a segurança. Há ainda cinco gravadores digitais para armazenamento das imagens e dez portas controladas por alarmes.

IDENTIDADE

Painéis eletrônicos

A Image Press é responsável pelas soluções em comunicação visual de 14 das 16 salas do museu. "Trabalhamos em conjunto com a arquitetura e a museografia para tirar as ideias do papel", diz o gerente de Projeto e Produção, Maciel Arantes. O processo envolveu a prototipagem de peças, a confecção de estruturas em aço e madeira, o enquadramento de mais de 1.400 imagens, a automatização e a instalação de painéis eletrônicos. Na Sala das Copas, foram produzidas oito estruturas em chapas de aço que sustentam as 392 caixas de backlight.

ACESSO DEMOCRÁTICO

Mulher com venda nos olhos tateando uma das obras expostas

"Adaptamos o museu ao público", diz a museóloga Amanda Tojal, da Arte e Inclusão, empresa que atua com acessibilidade e ações educativas desde 2003 e que presta consultoria ao Museu do Futebol. "As exposições são concebidas pensando na acessibilidade, com roteiros especiais. Os cegos contam com piso podotátil e audioguia. Algumas salas ganharam imagens em 3D que podem ser tocadas, como os displays na Sala das Copas. Para os surdos, foram preparados vídeos com legendas em closed-caption", diz.

EXPERIÊNCIA INTERATIVA

Instalação multimídia - Chute a Gol

Uma das principais atrações, a instalação multimídia "Chute a Gol" permite ao visitante cobrar um pênalti diante de um goleiro virtual, conferindo a potência de seu chute. A obra é da Base 7, empresa que desenvolve projetos interativos para museus e empreendimentos culturais. "A interatividade é uma tendência, mas precisa ser aplicada com os devidos cuidados para não reduzir o conteúdo das obras", explica o sócio-diretor Ricardo Ribenboim.

ONDE O POVO ESTÁ

Pessoas visitando uma das salas do museu

A Arquiprom, empresa que projeta e monta exposições, atuou com o museu em dois momentos: na exposição "Ora, Bolas" (foto), com imagens de pessoas praticando futebol ao redor do mundo, e na ação "Olhar com Outro Olhar", que transpôs fotos para cinco suportes (braile, relevo, alto-contraste, maquete-tátil e audiodescrição). "O museu apresenta o tema, o conceito e o conteúdo. Nós desenvolvemos o projeto de exposição e montagem", conta a sócia e diretora Silvia Landa.

TORCIDA E COMEMORAÇÃO

Mesinhas do bar e televisores na parede

Com nove funcionários, faturamento mensal de R$ 120 mil e capacidade para 250 pessoas, o bar O Torcedor, franquia do Bar Brahma, tem 38 televisores para os aficionados do futebol. Em dias de maior lotação, o consumo supera três barris de chope, com 540 copos tirados. Craques como Neymar (Santos) e Lucas (São Paulo) já passaram por lá. O bar também realiza eventos fechados. "No final de ano, fazemos de dois a três por semana", diz o gerente, Eduardo Araújo Pereira.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Mais sobre audiodescrição
Quem disse que arte e tecnologia não podem andar de mãos dadas? Para provar que
Os visitantes com deficiência visual que comparecerem ao Museu Pelé, em Santos (SP), contam agora
Os programas de acesso de um dos maiores e mais importantes museus do mundo –


Mais sobre audiodescrição
Quem disse que arte e tecnologia não podem andar de mãos dadas? Para provar que
Os visitantes com deficiência visual que comparecerem ao Museu Pelé, em Santos (SP), contam agora
Os programas de acesso de um dos maiores e mais importantes museus do mundo –