Abel Passos dá dicas de como adquirir um televisor com acesso à audiodescrição

Relato bem interessante de um deficiente visual sobre a audiodescrição na TV aberta no Brasil. Há várias dicas de ordem técnica, principalmente sobre como escolher o melhor aparelho que facilite seu acesso à audiodescrição. Vale a pena ler!

Olá, pessoal!

Resolvi escrever este relato, pois além de ser útil a muitos deficientes visuais que possam ter interesse no assunto, também poderá evitar transtornos a quem deseja usufruir dos novos recursos que já estão disponíveis para nós.

Há alguns meses escutei no Jornal Nacional, veiculado pela Rede Globo do Brasil, uma notícia afirmando que a partir daquela data os filmes veiculados nos programas Tela quente e Temperatura máxima teriam audiodescrição. A reportagem informava que tal recurso só estaria disponível através do sinal digital e seu acesso se daria pela tecla SAP.

No dia 26 de dezembro de 2011 saí à procura de um televisor que suportasse tais funções e me encaminhei para um dos melhores shopping de Belo Horizonte. A minha batalha foi infrutífera. Em todas as lojas que procurava um televisor com conversor digital e tecla SAP a resposta era unânime: Não existe tecla SAP em televisores digitais. A minha esposa chegou a perguntar se havia alguma outra tecla que substituiria esta função e os representantes de fabricantes como LG, Samsung e Sony foram tachativos: Não existe. Voltei frustrado para casa, mas disposto a descobrir como acessar este recurso.

Depois de muito pesquisar na internet e ligando para serviços de atendimento ao consumidor de alguns fabricantes descobri o mistério. Na verdade a tecla SAP realmente não existe em televisores digitais. Existe agora uma nova tecla chamada MTS ou Multichannel Television Sound. Esta tecla substitui a tecla SAP com vantagens, pois é um recurso que permite o acesso a vários canais de som pelo televisor. Desta forma, ao assistirmos a um filme dublado podemos optar pelo áudio dublado, áudio original ou dublado com audiodescrição. A tecla SAP refere-se a um segundo canal de áudio, ou seja, permite alternar entre o áudio dublado ou áudio original do filme. Desta forma, não posso afirmar com absoluta certeza que um televisor com esta tecla possa acessar o áudio dublado do filme que possui audiodescrição.

Então, no dia 30 de janeiro de 2012, parti novamente em busca de um televisor que possuísse esta função no controle remoto, pois em alguns televisores esta função está no menu do aparelho, o que dificulta o nosso acesso. Finalmente encontrei um modelo adequado às minhas necessidades. Um televisor Samsung LCD de 32 polegadas, com conversor digital integrado e a tecla MTS no controle remoto.

Cheguei em casa e, com a ajuda de um amigo o televisor foi montado e fiquei aguardando o horário da Tela quente, programa da Globo que passaria um filme com audiodescrição. Quando o filme começou eu e minha esposa já estávamos sonolentos, mas a oportunidade de assistir a um filme com audiodescrição nos deixou bastante animados e acabamos por assistir todo ele.

Bom, a novela do acesso ao novo recurso terminou com um final feliz e, por isto, além do meu relato, vou colocar aqui algumas dicas que possam orientar vocês na compra de um aparelho que atendam às necessidades exigidas para usufruir deste maravilhoso recurso:

1- Não importa se o televisor é LCD, LED ou 3D. Também não importa se ele terá 22, 32, 42 ou 55 polegadas. O essencial é que ele possua o conversor digital integrado.

2- Levem um olho amigo com vocês para não correrem o risco de comprarem um televisor que possua este recurso no menu. Exijam um modelo que possua a tecla MTS no controle remoto. Isto vai facilitar muito o acesso a este recurso. Ah, mas pode ser que em alguns aparelhos a "bendita&quot tecla que nos dá acesso direto a audiodescrição pode se chamar: "Audio".

3- Não adianta testar na loja. Os programas veiculados pelas redes televisivas que possuem audiodescrição só passam em horários específicos. Desta forma, testar esta função na loja poderá ser perda de tempo. Além disto, esta função só está disponível para a tv aberta, ou seja, provavelmente não funcionará se dentro da loja os televisores estiverem apresentando imagens de circuito interno. Caso vocês conheçam outros programas veiculados por outras emissoras que sejam transmitidos durante o horário comercial poderão ir à loja e pedir para testar os aparelhos no canal e horários específicos. Vale lembrar que o mesmo programa da emissora, caso seja transmitido via tv a cabo ou por assinatura, pode não possuir a audiodescrição devido à transmissão não ser por via aérea, ou seja, não estará recebendo o sinal direto da emissora.

4- Como acessar a função? No meu televisor Samsung bastou ir pressionando a tecla MTS até ouvir a dublagem com audiodescrição. Para colocar o áudio do filme que assisti com dublagem e audiodescrição pressionei a tecla MTS por duas vezes. Na primeira o filme ficou com o áudio original que era em inglês. Na segunda vez surgiu a dublagem com audiodescrição.

5- Se o seu televisor estiver reproduzindo a dublagem com audiodescrição é possível que, durante os comerciais, alguns deles fiquem mudos. Isto acontece porque o áudio daquela propaganda está sendo transmitido apenas pela primeira faixa de áudio que é a da dublagem sem audiodescrição. Se pressionar a tecla MTS e retornar à primeira faixa de áudio tudo volta ao normal.

6- A programação transmitida pelas emissoras no formato digital é feita via UHF e não via VHF. Desta forma, talvez seja necessário adiquirir uma antena que possa captar os sinais UHF com qualidade. Na minha casa uma antena interna foi suficiente. Mas tudo dependerá da região em que você se encontre. Em alguns locais o sinal digital pode ainda não existir ou ser muito fraco. Neste último caso, talvez uma antena externa resolva o problema.

7- No formato digital, a tv não apresenta sons com ruídos ou imagens com sombras. Se o sinal digital estiver fraco, o que acontecerá é um congelamento da imagem e cortes no áudio. No meu televisor, quando sintonizei os canais, ele automaticamente selecionou o sinal digital para as emissoras que transmitiam sua programação neste formato, mas também captou o sinal analógico das emissoras que ainda transmitem sua programação neste padrão. Assim, as emissoras que ainda não possuem transmissão no formato digital brasileiro podem apresentar imagens duplas ou com sombras, chuviscos ou mesmo ruídos no áudio. Se estiver assistindo um canal de TV com estas características, pode ter certeza de que não está assistindo a programação de uma emissora no formato digital.

Bom, acho que isto é tudo que tenho a dizer sobre o assunto. Espero que todos que estejam na espectativa de assistirem a programação da TV com audiodescrição possam encontrar aqui informações suficientes para adquirirem seus televisores sem receio, aproveitando o que a tecnologia assistiva disponibiliza para nós.

Sei que existe uma legislação a respeito do assunto, mas como desconheço a lei não vou me pronunciar a respeito. Me parece que até 2014 todas as redes que transmitem sua programação via aérea deverão ter pelo menos 20% de sua programação com audiodescrição. Não estou certo da data nem do percentual, mas isto eu deixo a cargo de quem se interessar.

Uma coisa posso lhes afirmar com certeza: poder assistir a um filme com audiodescrição é uma autonomia que não tem preço. Aconselho a todos os deficientes visuais a adiquirirem suas TVs no formato digital para aproveitarem tudo de bom que está sendo colocado ao nosso dispor.

E caso eu tenha colocado aqui alguma informação errônea, por favor, não receiem em me corrigir.

Abraços,

Abel

Fonte: ACERGS

Nota do Blog:

Abel, muito bom saber que você e sua esposa também foram infectados pelo "bichinho da audiodescrição". Sinto lhes dizer, mas não tem cura, ainda bem… (risos).

Muito bom seu relato, que certamente servirá de orientação para muitas pessoas cegas que também estão interessadas em acompanhar os programas que estão sendo exibidos com audiodescrição na TV, mas permita-nos corrigir e complementar algumas de suas informações:

1- Siim, existe um decreto presidencial que estabeleceu o ano de 2016 para que todas as emissoras de televisão aberta passem a transmitir sua programação exclusivamente pelo sistema digital. Em seu relato, você disse que seria em 2014.

2. Existe uma portaria do Ministério das Comunicações (Portaria 310, alterada pela Portaria 188), que estabeleceu um cronograma de implementação da audiodescrição na TV. De acordo com o estabelecido, teremos 20 horas de programação por semana com audiodescrição daqui a 10 anos. Em seu relato você disse que seria 20% da programação.

3. A tecla SAP realmente não existe nos televisores digitais, ela só existe nos televisores analógicos, que não nos permitem acessar a audiodescrição.

4- Realmente, em algumas cidades e alguns canais, o televisor fica mudo durante parte dos comerciais. Normalmente você consegue ouvir o áudio dos comerciais nacionais, ficando mudo apenas durante os comerciais veiculados exclusivamente na sua região. Isso aconteceu inclusive em São Paulo nas primeiras semanas de transmissão de programas com audiodescrição. Entramos em contato com o departamento de engenharia das emissoras que estavam apresentando esse problema e tudo ficou resolvido. Mas será necessário muita paciência: os canais de atendimento das emissoras de televisão não estão preparados para atender solicitações específicas como essa, principalmente em se tratando de um recurso ainda muito novo. Insista, insista e insista, até que o serviço de atendimento da emissora resolva encaminhar sua solicitação para o departamento de engenharia.

Mais sobre audiodescrição
Jamais esquecerei opresente que ganhei do Papai Noel em 2016. Era 25 de dezembro, à
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar


Mais sobre audiodescrição
Jamais esquecerei opresente que ganhei do Papai Noel em 2016. Era 25 de dezembro, à
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar