Governo planeja o apagão da TV analógica

O Ministério das Comunicações informou na última sexta-feira que está concluindo a primeira versão do plano de transição da TV analógica para a digital, o chamado "apagão da TV analógica". O pré-projeto será encaminhado para a Secretaria de Telecomunicações (STE), vinculada ao órgão, e também para a Anatel.

A versão final deve ser apresentada até o fim deste ano. De acordo com cronograma do governo, o desligamento completo do sistema analógico está marcado para 2016 e "não será adiado", diz o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do MiniCom, Genildo Lins.

Em vídeo publicado no blog Conexão Minicom em março, Lins afirma que o plano provavelmente conterá "ajuda a radiodifusores que não tenham recursos para adquirirem equipamentos e um reforço na distribuição de equipamentos de transmissão para a população mais baixa".

A Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), vinculada ao governo japonês, auxilia o governo brasileiro a elaborar o documento. Para isso, realiza um estudo que avalia o andamento da implantação da TV digital e identifica as principais dificuldades enfrentadas pelas emissoras de TV. O objetivo é ajudar no desenvolvimento de ações para acelerar o processo.

Também buscando subsidiar o plano, representantes do MiniCom estiveram nos Estados Unidos, em abril, para ver de perto como foi a transição para o sistema digital no país. A intenção foi verificar a experiência norte-americana para tentar replicar algumas estratégias no Brasil. Uma delas é a escolha de uma cidade para testar a transição antes do restante do país. A eleita foi Wilmington, na Carolina do Norte.

De acordo com o ministério, a escolha de uma cidade-piloto para antecipar os testes deve ser incluída no plano brasileiro. O local ainda será definido, mas precisa reunir algumas características específicas, como o fato de todos os canais disponíveis para a população serem da própria cidade e não haver muita interferência do sinal. Outro aspecto importante para os testes é uma quantidade significativa de lares com receptor digital.

"Eles desligaram lá com antecedência, para verificar quais foram os impactos, o que iam precisar mudar. Fizeram a transição no microcosmo para aplicar todas as medidas corretivas antes de aplicar no macrocosmo", diz Genildo.

O secretário ressalta que a experiência americana é que mais deve influenciar o modelo brasileiro. Isso porque os Estados Unidos têm um perfil de radiodifusão mais próximo do Brasil do que o Japão, por exemplo, que também já concluiu a transição para o sistema digital.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Abert – com informações do Minicom

Mais sobre audiodescrição
Uma portaria do Ministério das Comunicações estabelece condições e detalha como será feito o desligamento
Acabo de ligar para a SKY para reclamar da ausência do canal de áudio de
A democratização do acesso à cultura demanda esforços para acessibilidade do conteúdo televisivo. Por isso,


Mais sobre audiodescrição
Uma portaria do Ministério das Comunicações estabelece condições e detalha como será feito o desligamento
Acabo de ligar para a SKY para reclamar da ausência do canal de áudio de
A democratização do acesso à cultura demanda esforços para acessibilidade do conteúdo televisivo. Por isso,