Curso de introdução a áudio-descrição Imagens que Falam, em SP

IRIS - Instituto de Responsabilidade e Inclusão Social

O IRIS – Instituto de Responsabilidade e Inclusão Social promove curso de Tradução Visual com Ênfase na áudio-descrição: "Imagens que falam". A carga horária do curso será de 40 horas, sendo 20 horas na modalidade presencial e 20 horas a distância. Duas turmas.

Apresentação

No curso "Imagens que falam" os participantes entrarão em contato não só com os conhecimentos voltados à descrição de filmes, peças teatrais, conteúdos televisivos e outros, mas também com os constructos que permitem a descrição de figuras, fotos e outras configurações bidimensionais, eventualmente encontradas em apresentações como slides ou transparências, em seminários, congressos e afins, ou, tão somente em sala de aula, nos livros didáticos dos alunos.

Neste curso, os participantes aprenderão que a áudio-descrição consiste na identificação e elocução de elementos visuais essenciais à compreensão e apreciação das imagens presentes nas obras teatrais, cinematográficas, televisivas, literárias, jornalísticas, científicas, artístico-culturais, entre outras, destinadas, principalmente, às pessoas com deficiência visual, com dislexia, pessoas analfabetas, ou que não conheçam o idioma em que um filme ou programa está sendo exibido.

O foco do curso de introdução a áudio-descrição "Imagens que Falam" é oferecer ao áudio-descritor ferramentas para tornar o mundo das imagens acessível àqueles que não as podem ver, tornando tais imagens significativas, portanto, igualmente relevantes para as pessoas com deficiência visual, tanto quanto para os indivíduos que enxergam.

O conceito que sustenta o curso é o de que na áudio-descrição, as imagens devem falar aos sujeitos que não as veem (com a mesma magnitude e beleza), por meio da voz ou da escrita do áudio-descritor.

A áudio-descrição faz parte do campo da Tradução Visual e é produzida segundo diretrizes pré-estabelecidas, dentre as quais a da oferta de narração dos elementos visualmente observados, nos intervalos/pausas entre as falas dos personagens.

Como uma importante ação de responsabilidade social, a áudio-descrição se adequa às exigências legais como a Lei 10.098/2000, ao Decreto 5.296/2004 e o Decreto 6949/09, por exemplo, que visam à acessibilidade comunicacional às pessoas com deficiência visual, tanto no lazer quanto na educação e no trabalho – num treinamento/capacitação oferecido aos empregados de uma empresa.

Os Áudio-descritores formados pelo "Curso de Tradução Visual com Ênfase na Áudio-descrição Imagens que Falam" são preparados para produzir roteiros de áudio-descrição para gravação em cinema, teatro ou televisão, bem como para realizar esse trabalho ao vivo em outros ambientes, como museus, mostras de arte, congressos, conferências etc.

Informações gerais sobre o curso

Inicialmente, este curso foi ministrado na modalidade presencial no Centro de Estudos Inclusivos (CEI/UFPE) e depois adaptado para a modalidade de ensino à distância. Será ministrado em 40 horas, com 20 horas presenciais e 20 horas à distância, e contará com ambiente virtual para exercícios e tutoria.

Os alunos terão acesso ao ambiente moodle para o estudo da áudio-descrição, adequadamente preparado com acessibilidade. Neste ambiente estarão disponíveis todos os materiais a serem usados nas aulas. Assim, materiais de fundamentação teórica, slides, vídeos e outros arquivos usados no curso serão antecipadamente disponibilizados para o acesso e uso simultâneo dos alunos. As aulas, podcasts e outros materiais eventualmente utilizados também estarão disponíveis no moodle para estudo. Os tutores e o professor do curso se revezarão na interação com os estudantes através das ferramentas interpessoais de interação educacional, disponíveis nesse ambiente. As aulas à distância serão transmitidas ao vivo pelo sistema de conferência Eluminate, especializado para esse fim. Atividades específicas (tarefas) serão solicitadas para os alunos, os quais deverão respondê-las nos prazos pré-determinados.

Como parte da metodologia de estudo, serão apresentados diversos trabalhos com áudio-descrição, os quais serão discutidos/analisados à luz das mais reconhecidas diretrizes que norteiam o tema.

Os participantes receberão certificado.

Objetivo:

  • Geral- Dar a conhecer o que é Áudio-descrição, divulgar sua aplicabilidade e sua potencialidade na educação, no trabalho e no lazer, como recurso de acessibilidade comunicacional para as pessoas com deficiência, principalmente para as pessoas cegas ou com baixa visão.
  • Específico- Formar áudio-descritores capazes de produzir traduções visuais de eventos dinâmicos e/ou estáticos.

A quem se destina

Profissionais e estudantes de comunicação, das áreas de artes em geral e das áreas de cênicas e plásticas, de turismo e museus, das áreas de RH, Psicologia, Engenharia e Arquitetura, Diretores e Produtores de peças teatrais; Autores de livros; Promotores de eventos culturais e educacionais, bem como todos os que se interessem por teatro, cinema, fotografia e televisão; Professores e alunos de Letras com ênfase em tradução; Educadores em geral e pessoas com deficiência visual.

Ministrante: prof. Dr. Francisco J. Lima.

Pré-requisitos:

Ensino médio completo (no mínimo); bom conhecimento da língua portuguesa padrão.

Data: 02 a 06 de julho.

Horários: 1ª turma (das 08:30h às 12:30h) – 2ª turma (das 14:00h às 18:00h ).

Local: Palácio das Convenções do Anhembi -Avenida Olavo Fontoura, 1209, São Paulo – SP.

Inscrições e informações:

  • Por e-mail – contato@iris.org.br ou limafj.br@gmail.com.
  • Por telefone – (11) 7811-9527 ou (81) 9997-9339.

Investimento: R$300,00.

Forma de pagamento:

50% no ato da inscrição. O restante, podendo ser pago no cartão de crédito, no 1º dia do curso.

Enviar comprovante de depósito para: contato@iris.org.br constando nome, endereço, telefone e e-mail.

Banco Bradesco 237 – Agência: 1945-3 – Conta Corrente: 101.400-5

Titular: Instituto IRIS – Razão Social: Instituto IRIS – de Responsabilidade e Inclusão Social Entidade

CNPJ: 05.295.189/0001-00.

Avaliação:

A avaliação será graduada de uma a cinco estrelas, sendo considerado aprovado aquele que obtiver três ou mais estrelas. Será recomendado, para trabalhos com áudio-descrição, o aluno que obtiver cinco estrelas. Terá a graduação máxima aquele que, na avaliação do professor responsável pelo curso, obtiver êxito de 90 a 100% nas atividades propostas. Quantitativa e qualitativamente, a participação do estudante, seja no ambiente virtual, seja no presencial, será consideravelmente valorada.

Sobre o ministrante:

Professor Francisco Lima é autor de vários artigos no campo da áudio-descrição, editor chefe da Revista Brasileira de Tradução Visual e docente da disciplina de áudio-descrição no curso de Rádio, TV e Internet da UFPE. Pesquisador na área da produção e reconhecimento de imagens hápticas pela pessoa com deficiência visual. Desde 1996, já palestrou no Brasil e nos Estados Unidos em diversos eventos, inclusive no encontro internacional de formadores de áudio-descritores, ocorrido em Phoenix, USA, em julho de 2010. É formador de áudio-descritores diplomado, em dois anos consecutivos, pelo Audio Description Project (ADP), nos Estados Unidos.

Informações extraídas do Portal Ler Para Ver

Mais sobre audiodescrição
A Universidade Estadual do Ceará (UECE) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferecem cursos
O Itaú Cultural promove em dezembro a segunda edição do "Entre Arte e Acesso", evento
Objetivos: o curso de audiodescrição Da Imagem Estática a Palavra Falada tem por objetivo fornecer


Mais sobre audiodescrição
A Universidade Estadual do Ceará (UECE) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferecem cursos
O Itaú Cultural promove em dezembro a segunda edição do "Entre Arte e Acesso", evento
Objetivos: o curso de audiodescrição Da Imagem Estática a Palavra Falada tem por objetivo fornecer