Nos Parques da Disney, acessibilidade é levada a sério

Como não poderia deixar de ser, a Disney não esqueceu dos seus visitantes com algum tipo de deficiência. Desta forma, todos os seus parques, hotéis, restaurantes, lojas e inclusive o seu sistema de transporte estão adaptados para seus visitantes especiais.

Crianças brincando sobre quatro blocos. Em cada bloco vê-se a seguinte inscrição: o símbolo da audiodescrição, o símbolo do closed caption, uma cadeira de rodas e o desenho de uma orelha

Você encontra no Guest Relations dos parques temáticos um folheto denominado Guidebook for Guests with Disabilities (Guia para Visitantes com Deficiência) que oferece instruções detalhadas a respeito dos serviços que lhes são oferecidos, por exemplo: nformações sobre estacionamento, banheiros, telefones, transporte e procedimentos para embarque nas atrações.

Em relação ao estacionamento é importante ressaltar que existem vagas específicas para visitantes com deficiência localizadas próximas às entradas dos parques. Contudo, é necessário uma autorização de estacionamento válida, ou seja, nos parques, ao passar pelo guichê de pagamento é importante que solicite ao funcionário a autorização especial para que possa estacionar o veículo nas vagas reservadas.

O sistema de transporte da Disney é adaptado para pessoas com restrição de mobilidade

Todo o sistema de transporte da Disney também está adaptado para os guests com deficiência, sejam seus ônibus, monorails e barcos.

O Walt Disney World Resort oferece acomodações para os visitantes com restrição de mobilidade, incluindo o acesso às atrações e oferta de aluguel de cadeiras de rodas e veículos elétricos de conveniência (ECVs).

A Disney sugere "fortemente" (expressão constantemente empregada pela Disney para enfatizar ou ressaltar algo) – que os visitantes com pouca resistência física também utilizem cadeiras de rodas ou mesmo ECV (Electric Convenience Vehicle).

– Deficiência Auditiva

Pessoa acompanha atração portando aparelho especial para deficientes auditivos

Sistemas de Escuta Assistiva, Legendas Reflexivas, Interpretação de Idioma por Sinais, telefones de texto (Typewriter), Legenda Portátil, Legendagem de vídeo e ajudas escritas estão disponíveis para ajudar os visitantes com deficiências auditivas.

– Deficiência Visual.

Pessoa cega acompanhada de um guia

Dispositivos de audiodescrição, guias em Braille e tours digitais em áudio estão disponíveis para ajudar os turistas com deficiência visual.

Antes de ingressar na fila de qualquer atração os visitantes especiais devem indagar aos cast members (denominação utilizada pela Disney para designar todos os seus funcionários) a respeito do procedimento adotado para o seu ingresso na atração.

Destaca-se ainda que os funcionários da Disney não são treinados, nem tampouco possuem permissão para transferir “fisicamente” os visitantes de suas cadeiras de rodas. Deste modo, se o visitante não tiver condições de fazer sua transferência sozinho, será necessário a presença de algum parente ou amigo para lhe auxiliar neste procedimento sob pena de não poder participar da atração.

foto de cartaz onde se lê: Disney For The Handicapable

Na maior parte das atrações é permitido o ingresso do visitante que utiliza cadeira de rodas e de um parente ou amigo que o esteja auxiliando, sem a necessidade de submeter-se a fila.

Por este motivo, mais uma vez enfatizamos a conveniência de indagar – antes de entrar na fila – a qualquer funcionário da Disney responsável pelo funcionamento da atração que deseja desfrutar a respeito do procedimento de embarque.

Saiba mais sobre acessibilidade na Disney:

Fonte: Temporada na Disney

Mais sobre audiodescrição
Foi uma experiência em que todos enxergaram. Na tarde deste sábado, pessoas com e sem
João, Sabrina e Maristela nunca viajaram de avião. Além desse traço em comum, eles são
Inclusão. Esta é a palavra-chave num novo segmento de roteiros rodoviários que a Fresp (Federação


Mais sobre audiodescrição
Foi uma experiência em que todos enxergaram. Na tarde deste sábado, pessoas com e sem
João, Sabrina e Maristela nunca viajaram de avião. Além desse traço em comum, eles são
Inclusão. Esta é a palavra-chave num novo segmento de roteiros rodoviários que a Fresp (Federação