Uma cega e uma audiodescritora em um shopping: imagine no que deu!

Entre o primeiro e o segundo dia de um curso de audiodescrição para o CAP-BH, a audiodescritora Lívia Motta e a coordenadora do CAP, Elizabet Dias de Sá, foram jantar em um shopping-center. Imagine só, uma cega e uma audiodescritora passando de vitrine em vitrine…:

Shopping Pátio SAVASSI

Shopping Pátio Savassi

(…) saímos eu e Elizabet de Sá, à noite, para jantar no simpático Shopping Pátio Savassi.
(…)
Andamos proseando pelos corredores, observando os detalhes da decoração, as poltronas estilosas de couro bege com braços de madeira, instaladas sobre piso de tábuas largas de madeira escura, com uma mesinha redonda de tampo de vidro entre elas e, sobre ela, um vistoso vaso de orquídeas. Bet se divertia e se encantava pelos meus olhos atentos de audiodescritora. Embora esse fosse nosso primeiro encontro presencial, já parecíamos velhas conhecidas. E prosa vai e prosa vem, entre uma vitrine e outra, chegamos até a loja Le Lis Blanc, que coincidentemente começava naquele dia sua famosa liquidação de inverno com tentadores 50% de desconto.

Já pode imaginar o que aconteceu, não? Então leia essa história completa no Blog Ver Com Palavras

Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série


Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série