Sem audiodescrição, Copa 2014 não será acessível

Para Cid Torquato, coordenador de Relações Institucionais da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado, a Rio + 20 entrou para a história como o evento de maior acessibilidade já realizado pela ONU. Audiodescrição, estenotipia e interpretação em língua de sinais, impressoras em braile, transporte público acessível e voluntários preparados para atendimento especializado de pessoas com deficiência, foram algumas das medidas adotadas pela organização do evento.

Logotipo da Copa do Mundo de Futebol 2014

Por iniciativa do Governo de São Paulo e da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, foi realizado como evento paralelo à Conferência o "Fórum Paralelo Promovendo o Desenvolvimento Inclusivo para um Futuro Sustentável", também no Rio de Janeiro. "Um grande passo no sentido de incluir a temática dos direitos da pessoa com deficiência na agenda de sustentabilidade nacional e internacional", afirmou Torquato.

Nessa semana, logo após o evento da ONU, duas iniciativas em São Paulo, uma do Governo do Estado, e outra da Associação de Hotéis, tiveram como foco a inclusão das pessoas com deficiência.

Na segunda-feira, 25/06, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência formou a 1ª turma do curso de Qualificação Básica de Cuidadores de Pessoas com Deficiência, uma parceria com o Centro Paula Souza, a Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo e o Hospital das Clínicas. As aulas duraram três meses e abordaram temas como direitos e saúde de pessoas com deficiência, hospitalidade doméstica e pública, entre outros.

"Há perto de um bilhão de pessoas com deficiência no mundo, sendo 42 milhões no Brasil e quase nove milhões em São Paulo. Há necessidade de termos pessoas preparadas, com formação, comportamento e conhecimento para poder trabalhar e prestar serviço importantíssimo em escolas, hospitais e residências", disse o governador Geraldo Alckmin durante o evento de formatura dos alunos do curso.

Na terça-feira, 26/06, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo (Abih/SP) e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) lançaram o Selo de Acessibilidade e Inclusão Social. O objetivo é oferecer ao mercado hoteleiro e de turismo um amplo programa de informação e orientação visando à eliminação de barreiras arquitetônicas e de comunicação em prédios destinados a hospedagem.

Até a Copa, todo o transporte público administrado pelo Governo do Estado será acessível para pessoas com deficiência. Hoje, todas as 64 estações e os 164 trens do Metro de São Paulo são adaptados. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e a Empresa de Transportes Metropolitanos (EMTU/SP) trabalham para atingir esse objetivo até 2014. Dos 12 terminais da EMTU, seis já foram adaptados, enquanto que das 89 estações da CPTM, 37 já contam com adequação à acessibilidade.

A Arena de São Paulo, além de todas as adaptações arquitetônicas necessárias, contará com uma área de 500 m2 para apoio de pessoas com mobilidade reduzida, necessidades especiais e idosas. Eles receberão um cartão de identificação para que possam ser localizados e retirados pela brigada de incêndio em caso de emergência. Além disso, os assentos destinados aos cadeirantes permitirão a visão do campo mesmo que a pessoa sentada à frente esteja em pé.

Segundo Cid Torquato, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência prepara algumas ações com foco específico para a Copa do Mundo de 2014. "As pessoas com deficiência podem vir assistir aos jogos porque teremos infraestrutura para atendê-las", disse. Sem duvida, o mundial de futebol será uma grande oportunidade para São Paulo mostrar que é acessível para todos.

Nota do Blog:

Nas Copas da Alemanha, Japão/Coréia e África do Sul, constou uma exigência no Caderno de Obrigações da FIFA que obrigou os países-sede a disponibilizarem audiodescrição nos estádios. Certamente esta exigência também deve existir para o Brasil.

No entanto, até este momento, só lemos notícias falando sobre adaptações arquitetônicas, nenhuma providência sobre as adaptações na comunicação por parte dos organizadores.

Fonte: Comitê Paulista da Copa do Mundo FIFA 2014

Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos


Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos