Projeto Cineco leva o cinema para pessoas com deficiência visual

O Projeto Cineco leva cultura aos deficientes visuais de Lins, SP. São 200 títulos exibidos de uma maneira diferente, com audiodescrição, para ajudar no entendimento do filme.

Na tela do cinema, a adaptação de um grande sucesso da literatura portuguesa. Ensaio sobre a cegueira conta a estória de uma epidemia. De repente, pessoas começam a perder a visão e aos poucos todo mundo vai ficando cego. Os personagens da ficção vivenciam uma realidade que é o dia-a-dia de pessoas como o aposentado José da Silva Nunes.

Ele é deficiente visual e foi ao cinema para assistir o filme. Só que desse jeito especial. Todos tem que prestar atenção no áudio, que conta a estória sem precisar da imagem. "É muito especial, porque sem esse recurso a pessoa está ouvindo o filme, mas não sabe o que está acontecendo, agora com um narrador falando com a gente, é fácil localizar onde o personagem está, o cenário, uma sala, um quarto. Achei muito interessante", conta o aposentado.

Cineco: projeto que leva cinema para deficientes

Projeto leva cinema com audiodescrição para deficientes visuais. Foto: reprodução/TV Tem)

Sem poder ver nada, é com a ajuda de um narrador que os deficientes visuais assistem aos filmes no cinema. A fala dos personagens é dublada normalmente, mas um narrador descreve as ações e o que acontece nas cenas sem diálogo.

Por mais que seja de extrema importância àqueles que necessitam, a audiodescrição ainda é uma novidade, por isso, nem sempre é fácil de encontrar filmes com esse recurso. "A audiodescrição é um recurso novo para pessoa com deficiência visual, além disso não é muito divulgado. Para eles faz uma diferença enorme, o que a gente vê nas imagens, eles vão imaginar por meio das descrições. Entre a fala de um personagem e outro, entra a audiodescrição que vai explicar onde a cena acontece, figurino, expressões faciais e corporais, assim eles podem entender o filme com mais clareza", explica a pedagoga Daniela da Silva.

Uma dificuldade que está sendo superada no cinema da Casa da Cultura e Cidadania de Lins, onde as sessões com áudio-descrição são de graça e para todo mundo. "Esse projeto já veio para nós com toda essa instalação. Estamos com um acervo de mais ou menos 200 filmes, com títulos e gêneros diferentes e também faixas etárias variadas, para atender a esse público", afirma Célia Bossonaro, diretora da Casa de Cultura e Cidadania.

Cineco - recurso ajuda a compreender a trama

Com o recurso pessoas com deficiência visual conseguem entender melhor as estórias. (Foto: reprodução/TV Tem)

A voz que serve de guia para os deficientes visuais não tira a graça do filme pra quem pode enxergar. Ao mesmo tempo, a audiodescrição é uma revolução para os deficientes visuais que gostam de cinema. Que o diga a estudante Carla Teixeira, que assistiu tudo da primeira fila. "Para o deficiente visual é o óculos 3D, a gente entra no filme. A riqueza de detalhes da descrição possibilita que a gente entenda muito bem o filme. Diminui aquela ansiedade de saber o que está acontecendo, achei mágico", conta.

A Casa de Cultura fica na Rua Regente Feijó, número 52 no centro de Lins. As sessões são às 9 horas. Mais informações pelo telefone (14) 3522-1598.

Fonte: G1 Bauru e Marília

Mais sobre audiodescrição
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Em 2017, 50% dos cinemas das redes com mais de 21 salas deverão estar equipados


Mais sobre audiodescrição
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Em 2017, 50% dos cinemas das redes com mais de 21 salas deverão estar equipados