Eventos com audiodescrição da Iguale na 3ª Virada Inclusiva

Temos o prazer em convidá-los para conferir as atividades culturais do próximo dia 2 de dezembro que integram a programação da 3a Virada Inclusiva e as quais a Iguale está produzindo a acessibilidade com audiodescrição e Open Caption. E tem para todo mundo, na capital e no interior!

Vamos lá então, anotem na agenda!

  • SÃO PAULO

2 de Dezembro.

CINESESC.
11H – PEIXONAUTA- Agente Secreto da O.S.T.R.A.
Com Audiodescrição e Open Caption.
Direção: Celia Catunda, Kiko Mistrorido. Brasil, 2012, 95 min, Animação).
O mais simpático peixinho do Brasil, Peixonauta, está pronto para mais uma aventura e se tornar agente especial da O.S.T.R.A. Para conquistar a insígnia, terá que cumprir sete complicadas missões, sempre com a ajuda de seus amigos Marina e Zico.
Grátis. (retirada de ingressos 1 hora antes).

ITAU CULTURAL

20H – DEVIR COISAS – espetáculo de dança com COLETIVO MR
Concepção de Luiz Ferron. Com Hélio Feitosa, Jaqueline Souza, Luis Ferron e Teo Ponciano.
Duração: aprox. 50min. [indicado para maiores de 14 anos].
Distribuição de ingressos 30 minutos antes do início do evento.
Sala itaú cultural. 247 lugares

COLETIVO MR – Dança, pessoas, corpos e criação
O Coletivo MR – 2008, é uma extensão de aprofundamento e pesquisa em criação do Projeto Mão na Roda – 1999, projeto da Secretaria Municipal de Cultura de Diadema, o qual utiliza a linguagem da dança como dispositivo para fissurar pragmatismos acerca de singularidades corporais envolvendo pessoas com e sem deficiência.

DEVIR COISAS – EXPOSIÇÃO 06
A obra é um desdobramento do atual processo de criação, Devir Alma, do Coletivo MR, o qual tem como mote de pesquisa a instabilidade do corpo no tempo.
A partir desta proposta, Devir Coisas pretende atualizar memórias num presente que se apropria delas no sentido de parir possibilidades inéditas em sua atualização. Um corpo em Ser e Estar, o corpo TO BE, num profundo estado gerúndio, sendo e estando em acontecimento e poroso para o que pode vir a ser: constante Devir.
Corpos e imagens de repertórios passados são aceitos como forma de materializarem a idéia de uma memória sempre presente.
Nesse sentido Devir Coisas é aceitar um corpo mosaico de sua própria historicidade.

  • BAURU

2 de Dezembro

SESC BAURU

Exposição OLHOS DE BARROS: A poesia de Manoel.
Manoel de Barros é um poeta que vive, em sua poesia, o hiato entre o homem culto e o homem primitivo que é. Ao mesmo tempo em que bebeu da fonte do erudito, também se entregou a uma força a que muitos resistem: a abstração, capaz de levar uma pessoa a lugares muito além do senso comum. A obra genial de Manoel não nasce da planificação das coisas, mas de uma linguagem própria e inusitada, embolada com as coisas da terra, os musgos, muros de pedra, passarinhos e sapos. A exposição explora o rico universo imagético que Manoel de Barros desvenda em cada poema, cada frase ou palavra, através de instalações artísticas, cenográficas e audiovisuais, oficinas, sessões de histórias e espetáculos inspirados em sua obra. Aprecie a grandiosidade de suas miudezas e experimente ver o mundo com "Olhos de Barros".
Hall de Exposições – Grátis.

  • SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

2 de Dezembro

SESC – RIO PRETO

15h30- A BONEQUINHA DE PANO- Espetáculo teatral (infantil)
A bonequinha Pitucha, há muitos anos esquecida no sótão da casa, relembra os momentos marcantes da vida da menina Leninha, sua dona. As brincadeiras de criança, o primeiro beijo, a separação dos pais são alguns dos acontecimentos da vida de Leninha narrados pela bonequinha, que conta ainda para o público o seu próprio (e inusitado) nascimento.
No Teatro. Grátis.

Esperamos todos vocês!!!

Fonte: Iguale – Comunicação de Acessibilidade

Mais sobre audiodescrição
Pelas redes sociais, cegos e surdos reclamam contra decisão da Ancine. As pessoas cegas ou
Cerca de 60 pessoas acompanharam a exibição do filme ‘Colegas’ na tarde de quarta-feira (7),
Meu nome é Estefany, moro em Belém, tenho 10 anos, sou cega e adorei ir


Mais sobre audiodescrição
Pelas redes sociais, cegos e surdos reclamam contra decisão da Ancine. As pessoas cegas ou
Cerca de 60 pessoas acompanharam a exibição do filme ‘Colegas’ na tarde de quarta-feira (7),
Meu nome é Estefany, moro em Belém, tenho 10 anos, sou cega e adorei ir