Audiodescrição em estádios de futebol: parabéns UFMT!

O Centro Oficial de Treinamento (COT) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) teve seu projeto lançado no final de setembro e recebeu diversos elogios do Crea-MT (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) por atender a todas as recomendações de acessibilidade.

Por meio de uma parceria entre a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Secretaria Estadual para Assuntos da Copa (Secopa-MT), o projeto foi elaborado por uma equipe de docentes e estudantes das engenharias, coordenados pelos professores José Afonso Portocarrero (projeto arquitetônico), Lúcio Roberto de Almeida (estrutura de concreto), Manoel Santinho (estrutura metálica), Bismarck Castillo (instalação elétrica), Gonçalo Baicere (instalações hidrossanitárias) e pelo engenheiro Ronaldo Rossi (Custo e Quantificação).

De acordo com o professor José Afonso Portocarrero, o espaço do campo de futebol foi ampliado para atender aos parâmetros da Fifa, o COT conta com seis salas de fisioterapia, dois vestiários, um miniauditório com capacidade para comportar 50 pessoas, sala de exames e quatro camarotes (que também servem como cabine de transmissão). Três COT’s serão construídos para a Copa 2014 e o da UFMT diferencia-se dos demais por ser o único que atende 100% às necessidades de pessoas com deficiência, tanto atletas, como expectadores.

A pedido do Ministério Público, o aspecto acessibilidade foi analisado pelo coordenador dessa área, do Crea-MT, Givaldo Campos, que recomendou poucas alterações no projeto, como telão adaptado, chuveiro para pessoas com deficiência de locomoção e sinalização visual e tátil. O projeto já previa a construção de uma cabine panorâmica, onde cegos terão ajuda de profissionais que farão a audiodescrição do evento. Também consta no projeto a construção de rampas e elevador para acesso a todos os espaços. Outra preocupação dos responsáveis pelo projeto se refere à arquibancada, 3% das 1,5 mil vagas previstas no projeto serão destinadas a pessoas com necessidades especiais.

"O projeto além de completo, é muito bom. O professor Portocarrero foi muito competente e atento à acessibilidade". De acordo com o especialista, todos sairão ganhando com o COT, principalmente o usuário.

Outro diferencial do COT/UFMT é que ele contará com uma pista de atletismo olímpico – será a única no Estado – possibilitando a realização de competições oficiais e o fomento do esporte em Mato Grosso. Todos os espaços do COT atenderão a normas internacionais. A previsão para a conclusão das obras é de um ano. Com essa expectativa, o idealizador do projeto espera que no Natal de 2013, a sociedade possa ser presenteada com a inauguração do espaço.

Valorização local e regional

O arquiteto do COT criou uma concepção um tanto "ousada", com referências regionais. O pórtico de concreto lembra uma árvore e as vigas que sustentam o telhado lembra uma flecha. "Espero que as pessoas vejam", diz Portocarrero.

O professor conta que ficou muito contente porque o COT é um patrimônio do povo, fruto de muitos estudos. Ele destaca que "o projeto ficou muito interessante, mesmo tendo sido feito em curto espaço de tempo e durante o tempo de construção, o espaço será um canteiro de obras para os estudantes realizarem estágios. Além disso, os professores que fizeram o projeto acompanharão toda a execução. É uma vantagem porque é dentro da nossa casa".

"Após a Copa, o COT será gerenciado pela Faculdade de Educação Física (FEF). Os alunos deste curso, além de Medicina, Enfermagem e Fisioterapia (curso que já foi criado pelo Consepe e aguarda providências do MEC para instalação) utilizarão o espaço para aulas, laboratórios e projetos de extensão", afirma o presidente do Comitê Organizador Local (COL), Fabrício Carvalho.

Fabrício destaca que a UFMT, além de ser um bom espaço do ponto de vista operacional, para a Copa, é um local que concentra atrativos turísticos como o Museu Rondon e o Museu de Arte e Cultura Popular, o Teatro Universitário, o Zoológico, o Centro Cultural, entre outros.

Assim como outros espaços da universidade, o COT também poderá receber eventos culturais propostos pela sociedade. Fabrício Carvalho afirma que "o que a sociedade quiser demandar da UFMT, obedecendo às normas de uso, será atendida".

De acordo com o professor Portocarrero, o COT será um "espaço de uso multicultural". A pista de cooper será toda reconstruída e seu trajeto será transferido para o lado da via principal da UFMT. O local será de fácil acesso a todos e terá grande visibilidade, com a abertura da Avenida do Barbado ao lado da UFMT.

O COL

O Comitê Organizador Local (COL) foi pensado pela reitora Maria Lúcia Cavalli Néder como uma forma de a universidade poder opinar e acompanhar os projetos da Copa que se relacionam com a Instituição, como é o caso do Centro de Treinamento. É formado por professores, estudantes e servidores que se reúnem para propor, junto à Secretaria Extraordinária da Copa 2014 (Secopa), ações de melhoria da UFMT que possam servir de apoio na realização da Copa do Mundo de Futebol.

Fabrício conta que a visita da Fifa ao campus teve como objetivo específico a avaliação técnica, que garantiu à UFMT condições de ser um dos espaços oficiais da Copa. Um dos itens da avaliação observou o solo do campo de futebol, que receberá grama compatível com o evento. A UFMT foi escolhida também pela sua localização estratégica em relação ao aeroporto e à Arena Pantanal.

Fonte: Jornal da Universidade Federal de Mato Grosso

Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos


Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos