Truks – O Filme

"Todo pernambucano que se preze é ligado em cultura popular, em histórias de contadores e de bonecos", comenta o diretor João Inácio Neto, enquanto reconstrói o percurso que o levou a um feito: será o único brasileiro, com filme em competição, no 15º Olympia Internacional Film Festival for Children and Young People (Grécia) com o título "Truks".

Truks - cartaz do filme

Sem pensar em prêmio para o longa, Neto nem sabe valores de eventuais troféus a serem distribuídos na cidade de Pyrgos, na qual Truks – O filme será mostrado, hoje. "Busco a consolidação do meu nome", explica o diretor de 49 anos que, há dois, deixou o cargo de executivo de multinacional para se dedicar ao cinema.

Com investimento independente de aproximados R$ 30 mil, João Inácio Neto elaborou Truks, voltado não apenas à narração de parte dos 22 anos de ação ininterrupta da companhia paulistana de teatro de bonecos homônima. "Não quis um filme institucional. Se quero uma comunicação, é com o mundo. Até brinquei que eu tinha ‘começo, meio e fim’, para convencer integrantes da companhia a entrar no projeto", conta.

Vários cursos de cinema habilitaram João Inácio para a empreitada. Antes, ele havia se projetado em vídeos institucionais, além de ter se aventurado em curtas com temática religiosa, até 2008. "Não nego minha fé. Ainda tenho minhas convicções", conta. Na nova fase profissional, não abdica do envolvimento com a Igreja Presbiteriana de Brasília. Sal da Terra, o primeiro filme, mostrou andanças de cristãos nordestinos, animados, por trajetória movida a zabumba e sanfona; enquanto Navegando nas águas de Deus deu visibilidade a ações voluntárias de médicos pela região ribeirinha de Manaus.

Conhecer Henrique Sitchin, diretor e cofundador da Truks, num workshop de animação (em Brasília) foi a senha para que João Inácio se encantasse com particularidades do grupo que, há três anos, esteve na programação do Festival Internacional de Bonecos. "Eles conseguem dialogar não apenas com as crianças. Nas peças, os pais levam os filhos e vemos o alcance da comunicação: os pequenos saem pensando um pouco parecido com os adultos, e adultos deixam renascer sensações de criança".

Escalado ainda para a 7ª Miragem — Mostra de Cinema e Vídeo de Miracema (Tocantins), Truks deu oportunidade para que Neto, formado em comunicação, aperfeiçoasse técnicas de pesquisa. "Quem quer que seja, modéstia à parte, sei entrevistar bem. Mas o engraçado é que isso venha da experiência da prática como gerente de vendas", diverte-se. Atento a detalhes fundamentais, entre os quais o cuidado de cercar a produção com o recurso da audiodescrição (a serviço de cegos), João Inácio, seguramente, sabe se comunicar. Prova disso foi o mérito de o brasileiro ter respondido pelo primeiro documentário feito com o principal jogador de rugby da Nova Zelândia, Ali Lauiti’ Ti, em 2003.

Truks — O filme

Documentário de João Inácio Neto. Classificação indicativa livre.
Cópias em DVD à venda, por R$ 35, no site: www.imaginacao.art.br/truks.

Ricardo Daehn

Fonte: Ancine

Mais sobre audiodescrição
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Na próxima sexta-feira (29/07), a Filmes Que Voam lançará gratuitamente em seu portal o filme


Mais sobre audiodescrição
Esplendor" (ou "Hikari", no original) é uma lufada de delicadeza numa safra de filmes pesados.
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Na próxima sexta-feira (29/07), a Filmes Que Voam lançará gratuitamente em seu portal o filme