Por uma inclusão efetiva

Estreia esta semana, em São Paulo, o espetáculo "A viagem do capitão". Apesar da distância geográfica, achamos importante destacar essa montagem por um motivo especial: seu elenco é formado exclusivamente por portadores da Síndrome de Down. Uma parceria entre o Sesi São Paulo e a Associação para o Desenvolvimento Integral do Down (ADID), a montagem é mais um resultado do grupo ADID Teatro, que há dez anos promove iniciativas de integração de cidadãos com Down através da arte.

Ações como essa, que procuram sanar uma longa e injusta exclusão de pessoas com deficiência em vários segmentos da sociedade, têm ganhado força recentemente. A necessidade de inclusão, aliás, está amparada pela lei. Segundo o artigo 30 do Decreto Legislativo 186/08, o Estado deve garantir o direito das pessoas com qualquer tipo de deficiência de "participar na vida cultural, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas".

Aqui em Pernambuco, a atriz e pesquisadora Andreza Nóbrega tem sido uma voz importante na luta por esses direitos. Sua pesquisa "Caminhos para inclusão: uma reflexão sobre a áudio-descrição no teatro infanto-juvenil" tem sido de importância não só acadêmica, mas também na cena cultural do Estado. Com o grupo Quadro de Cena, já montou espetáculos como "Nem Sempre Lila" e "Historinhas de dentro", que contavam com recursos de tradução em libras e áudio-descrição.

Eventos de grande porte, como o Palco Giratório, também têm tido a preocupação de aumentar o número de montagens que contem com recursos de acessibilidade, possibilitando assim que um público historicamente excluído do teatro tenha a oportunidade de desfrutar dos produtos artísticos. É importante se preocupar com a longevidade dessas ações, para que a integração social dos indivíduos portadores de deficiência seja efetiva.

Estreia

Se fevereiro foi um mês praticamente morto para as artes cênicas, março promete reverter esse quadro. Está marcada para o dia 11 do próximo mês a estreia de "Cafuringa", do grupo de teatro que leva o mesmo nome do espetáculo. A obra, inclusive, é uma homenagem ao artista recifense Rubens Martins, mais conhecido como Cafuringa, que se apresentava como ventrícolo. A montagem tem incentivo do Funcultura e do Prêmio Myriam Muniz, da Funarte, e, após a estreia, circulará por outras cidades do Estado.

Encontro

Entre os dias 19 e 23 de março, será realizado, no Centro Cultural dos Correios e na sede do Coletivo Lugar Comum, o "Trocadilho: I encontro prático e teórico de pesquisa em danças populares". Idealizado pela pesquisadora e atriz-dançarina Viviane Souto Maior, o evento contará, entre outras atividades, com palestras, aulas demonstrações e oficinas gratuitas. Informações e inscrições pelo e-mail trocadilhooficina@gmail.com.

Fonte: Folha PE

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma