Biblioteca exemplar

Inclusão. Essa foi a palavra que ditou o ritmo da reforma de cinco anos da Biblioteca Pública do Amazonas – localizada na Rua Barroso, 57, Centro. Reinaugurado em fevereiro deste ano, o prédio histórico passou por diversas mudanças em sua estrutura física. Porém, são as inovações e novidades tecnológicas, muitas delas que possibilitaram à biblioteca ser frequentada por pessoas com deficiência, que realmente chamam a atenção do público que visita, diariamente, os três andares do prédio histórico.

Biblioteca Pública

Após cinco anos fechada, Biblioteca Pública do Amazonas foi reaberta em fevereiro deste ano. Totem de audiodescrição, mapa tátil e máquina de livros são alguns dos destaques da nova Biblioteca Pública.

" Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, tentou, com essa reforma, adaptar e dotar a biblioteca de toda a infraestrutura e todos os equipamentos necessários para que os usuários pudessem desfrutar de uma boa leitura e de uma boa pesquisa com conforto e qualidade", comentou Sharles Costa, diretor da biblioteca, destacando, ainda, o aumento significativo em seu acervo: atualmente, o prédio conta com 345 mil volumes, que vão desde livros e jornais a CDs e DVDs. Confira abaixo e fique por dentro de todas essas novidades.

Chip antifurto

Para evitar que livros sejam roubados do prédio, foram instalados em todos os títulos chips antifurto, que acionam o alarme ao sair da biblioteca.

Totem de audiodescrição

Localizada no terceiro andar da biblioteca, esta máquina permite que o visitante com deficiência visual fique sabendo um pouco mais sobre a história do prédio. "O deficiente vai ter a opção de ouvir ou, se ele quiser, de ler sobre a biblioteca, em braile", destacou Sharles.

Book Voice

Como nem todos os títulos são encontrados em braile, no Salão Maria Luiza de Magalhães Cordeiro, no terceiro andar, está disponível um scanner que lê o livro para o visitante.

Máquina de livros

Quem chega à Biblioteca Pública pela sua entrada principal, na rua Barroso, se depara com essa miniloja de livros. É só colocar o valor da obra desejada na máquina e retirá-la.

Lupa eletrônica

Também no Maria Luiza de Magalhães, a lupa eletrônica aumenta bastante os caracteres do livro para as pessoas de visão reduzida.

Carteirinha

Para usufruir da "nova" Biblioteca Pública, é necessário dar entrada na carteirinha do usuário – que pode ser requerida no balcão de entrada. O processo para tirá-la é simples: basta ter em mãos a carteira de identidade ou um documento com foto.

Folheador automático

Para os visitantes que possuem apenas uma das mãos ou algum tipo de paralisia nos membros superiores, esse aparelho faz a passagem das páginas dos livros e revistas, mediante o acionamento de um controle remoto.

Mapa tátil

Instalado em todos os andares da biblioteca, o mapa tátil possibilita às pessoas com deficiência visual localizar os departamentos do prédio e ler as informações sobre cada um deles – em braile ou por meio de uma caneta de áudio.

Elevador

Sem dúvida uma das melhorias mais notáveis, um elevador especial foi instalado na biblioteca. O equipamento dará aos portadores de deficiência física acesso aos três andares do prédio.

por GABRIEL MACHADO

Fonte: A Crítica

Mais sobre audiodescrição
A Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM), em parceria com a Comissão Permanente de Apoio a
Para comemorar o Dia da Criança (12), a equipe do Projeto Clarear Guarulhos (Valter Carvalho
A equipe do Projeto Clarear Guarulhos, composta por Valter Carvalho e Araçari Teixeira, promove a


Mais sobre audiodescrição
A Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM), em parceria com a Comissão Permanente de Apoio a
Para comemorar o Dia da Criança (12), a equipe do Projeto Clarear Guarulhos (Valter Carvalho
A equipe do Projeto Clarear Guarulhos, composta por Valter Carvalho e Araçari Teixeira, promove a