Um belo dia apareceu um projeto chamado audiodescrição

Muitas vezes os cegos, em sua maioria, têm a curiosidade de acompanhar a um filme que muito o interessa. Mas os recursos audiodescritivos ainda não se encontravam em funcionamento.

Então, era aquela luta. Uma pessoa com visão tinha que ficar descrevendo para o cego as cenas do filme, como as pessoas estavam vestidas, etc. Muitas das vezes, a pessoa com visão acabava por se perder durante o filme tendo que fazer tais descrições.

Os cegos então viam-se meio que incomodados frente a essa situação. Muitas pessoas com a visão não se importavam em contar as cenas mas, acredito que mesmo fazendo isso de boa vontade, no fundo no fundo, acabavam por incomodar-se.

Um belo dia, apareceu então um projeto de audiodescrição. Tal projeto veio para facilitar a vida dos cegos pois, os filmes feitos dessa forma, remetem descrições muito importantes para quem não vê, talvez descrições estas que nem eram feitas pelas pessoas com visão.

Acredito que um filme bem feito e bem descrito faz com que o cego viaje na história, imaginando os acontecimentos. Enfim foi algo muito valioso e importante para nós pois, a pessoa cega precisa de uma descrição detalhada para conseguir imaginar tudo que está a sua volta. Acredito que quanto mais descrições melhor, pois assim o mundo de quem não vê torna-se rico e cheio de informações, tão importantes para quem vê quanto para quem não vê.

Por Josiele Cássia de Lima.

Fonte: Telecine Brasil

Mais sobre audiodescrição
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar
Um mundo sem imagem, mas não sem poesia! Estou sentado, sozinho, na sala escura. Uma


Mais sobre audiodescrição
Estive em uma Oficina de Audiodescrição, em Porto Alegre, que além de recarregar as energias,
Com o avanço tecnológico e a mudança de hábitos, atividades tradicionais desaparecem e cedem lugar
Um mundo sem imagem, mas não sem poesia! Estou sentado, sozinho, na sala escura. Uma