Museu Sensorial vai contar cotidiano e história dos cegos

o circuito cultural de São Paulo ganhou um Museu Sensorial chamado centro de memória Dorina Nowil para contar a história, as curiosidades e o modo de vida das pessoas com deficiência visual no Brasil e no mundo.

Museu Sensorial: Deficiente visual caminha, com auxílio de uma bengala, em corredor de um edificio , com piso tatil. As paredes são marrons. De um lado do corredor vê-se posteres

A proposta é oferecer uma viagem sensorial. Na exposição, os visitantes podem sentir aromas, ouvir, tocar e também ver o material exposto no local. Instalado na Fundação Dorina Nowill, que promove atividades e produções voltadas aos cegos, o centro teve investimento de R$ 500 mil.

O Museu Sensorial, localizado na zona sul, guarda desde as primeiras tentativas tecnológicas para dar um instrumento de leitura aos cegos até um busto de Louis Braille -inventor do método usado até hoje.

"O centro nasceu da certeza de que o legado deixado por Dorina de Gouvêa Nowill [1919-2010] deveria ser preservado. E a melhor forma de garantir isso é preservar a história de luta das pessoas com deficiência visual", afirma Adermir Ramos da Silva Filho, diretor-presidente voluntário da fundação.

A visitação ao Museu Sensorial é gratuita, pode ser feita com uma venda e dispõe de recursos auditivos que narram o material. Um dos destaques é a caneta "pentop". Quando ela toca em um ponto das obras, inicia-se a descrição do objeto, em detalhes. "Como tudo pode ser tocado, as pessoas terão uma experiência sensorial inédita", diz a curadora Viviane Sarraf.

Um grupo de deficientes visuais auxilia o público em alguns pontos do passeio.

Museu Sensorial no CENTRO DE MEMÓRIA DORINA NOWILL

QUANDO de seg. a sex., das 8h às 18h;
ONDE rua Diogo de Faria, 558, Vila Clementino (zona sul)
QUANTO grátis
AGENDAMENTO centrodememoria@fundacaodorina.org.br e 0/xx/11/ 5087-0955.

por Jairo Marques

Fonte: Folha de São Paulo

Mais sobre audiodescrição
Quem disse que arte e tecnologia não podem andar de mãos dadas? Para provar que
Os visitantes com deficiência visual que comparecerem ao Museu Pelé, em Santos (SP), contam agora
Os programas de acesso de um dos maiores e mais importantes museus do mundo –


Mais sobre audiodescrição
Quem disse que arte e tecnologia não podem andar de mãos dadas? Para provar que
Os visitantes com deficiência visual que comparecerem ao Museu Pelé, em Santos (SP), contam agora
Os programas de acesso de um dos maiores e mais importantes museus do mundo –