Secretarias detalham Programa de Acessibilidade Comunicacional em Cultura

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e a Secretaria de Estado da Cultura anunciaram nesta quarta-feira (24/4) o lançamento do Programa Estadual de Acessibilidade em Cultura – uma parceria no valor de R$ 2 milhões para viabilizar a implantação de recursos de acessibilidade comunicacional em produtos culturais diversos.

A parceria foi oficializada durante o I Seminário sobre Cultura e Acessibilidade, realizado nos dias 23 e 24 de abril, na Oficina Oswald de Andrade. Após o anúncio, o público do evento contou, ainda, com apresentação artística do Ballet Fernanda Bianchini, com bailarinas cegas, além de palestras e oficinas.

Do total investido, R$ 1,2 milhão do orçamento da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência será repassado para a Secretaria da Cultura a fim de possibilitar a adaptação de determinados espetáculos no Teatro Sérgio Cardoso, Theatro São Pedro e Teatro de Araras, no Festival Paulista de Circo, assim como a adaptação de produções da São Paulo Companhia de Dança e do programa Ópera Curta.

Este valor inclui, ainda, o lançamento de editais específicos do ProAC – o programa de incentivo à cultura do Estado – para apoiar financeiramente iniciativas independentes que visem promover a acessibilidade a bens culturais. Haverá um edital exclusivo para a promoção da acessibilidade comunicacional para espetáculos e produtos culturais não inéditos e outro complementar, que prevê a circulação de exposições de Artes Visuais para cegos.

Os outros R$ 800 mil serão investidos pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, com apoio técnico da Secretaria da Cultura, em convênios com bibliotecas públicas municipais para possibilitar a compra de equipamentos que promovam acessibilidade e leitura para cegos. As bibliotecas que se candidatarem a receber a verba já devem ser adaptadas para promover acessibilidade física.

Em virtude da parceria, espetáculos de dança, ópera, teatro adulto e infantil no Teatro Sérgio Cardoso e no Theatro São Pedro terão récitas especiais com recursos como audiodescrição, legendagem e libras. O programa de circulação Ópera Curta, que só neste ano atenderá 28 cidades com as obras Carmen, La Traviata e La Bohème, também promoverá espetáculos acessíveis no interior e litoral do Estado.

Já a São Paulo Companhia de Dança realizará a adaptação de espetáculos determinados, com audiodescrição, para apresentações tanto em São Paulo quanto no interior e litoral. No Festival Paulista de Circo, previsto para setembro em Piracicaba, parte da programação também será adaptada para atender a este público específico.

Acessibilidade cultural

A Secretaria de Estado da Cultura adota um conceito mais amplo de acessibilidade em seus equipamentos. Enquadram-se nestas diretrizes projetos que viabilizam o acesso dos bens culturais a pessoas com deficiência, além de ações que promovem o atendimento a idosos, pessoas em situação de vulnerabilidade social e pessoas internadas em hospitais. O horário ampliado de funcionamento é outra medida que se encaixa neste conceito, pois viabiliza a visita daqueles que trabalham em horário comercial aos museus e equipamentos culturais.

Dentro das ações direcionadas a pessoas com deficiência, destacam-se os trabalhos realizados na Biblioteca de São Paulo, que conta com estrutura, equipamentos e pessoal treinado para possibilitar o acesso ao conteúdo disponibilizado, além de acervo de audiolivros e livros em Braille. Na Pinacoteca, a Galeria Tátil de Esculturas conta com 12 obras selecionadas e que podem ser apreciadas ao toque pelo público cego.

No ano passado, a primeira edição da Plataforma Internacional Estado de Dança foi acessível também a deficientes visuais, com a implantação de audiodescrições nas coreografias No Singular, da Quasar Cia de Dança, e Francis Bacon, de Ismael Ivo. Além dos exemplos citados, Museu do Futebol, Museu Afro Brasil, Museu Índia Vanuíre e Museu da Língua Portuguesa também oferecem programação especial para pessoas com deficiência.

Há dois anos, o Programa de Fomento ao Cinema Paulista, realizado em parceria com a Sabesp, exige que os filmes selecionados produzam também cópias com legenda e audiodescrição.

I Seminário sobre Cultura e Acessibilidade

O anúncio aconteceu durante o I Seminário sobre Cultura e Acessibilidade, encerrado ontem (24/4), na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Com o objetivo de democratizar o acesso à cultura, o seminário promoveu mesas redondas e oficinas em que foram discutidos técnicas e recursos tecnológicos capazes de garantir que pessoas com deficiências distintas desfrutem de espetáculos teatrais, balé, óperas, exposições e shows musicais.

Participaram do evento, Camila Benvenuto, do Instituto Mara Gabrilli, Paulo Romeu, do blog da Audiodescrição, Fernanda Wendy, coordenadora do Instituto Educalibras, entre outros. Ao longo de dois dias, o Seminário sobre Cultura e Acessibilidade abordou os seguintes temas: Acessibilidade Comunicacional, suas características, recursos e tecnologias; Acessibilidade Física nos espaços culturais; cases de sucesso e o conceito de Arte Inclusiva.

Fonte: Assessoria de imprensa – SEC

Mais sobre audiodescrição
Com o objetivo de acompanhar a implementação e validar as tecnologias de provimento dos recursos
A poucos dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quando o Brasil espera receber
O Conselho Diretor da Anatel aprovou hoje um regulamento de acessibilidade em telecomunicações com o


Mais sobre audiodescrição
Com o objetivo de acompanhar a implementação e validar as tecnologias de provimento dos recursos
A poucos dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quando o Brasil espera receber
O Conselho Diretor da Anatel aprovou hoje um regulamento de acessibilidade em telecomunicações com o