Fiquem atentos, querem prejudicar nosso direito à audiodescrição

Está chegando o 1º de julho de 2013, data em que, de acordo com o que determina a Portaria nº 188 do Ministério das Comunicações, a quantidade de programação audiodescrita veiculada pelas emissoras abertas de televisão deverá passar de ínfimas duas para ínfimas quatro horas semanais.

Já começam a surgir notícias de que os radiodifusores, por intermédio da Abert, voltam a insistir em argumentos requentados para se eximirem do aumento de sua obrigação e impedirem que 35 milhões de expectadores com algum grau de deficiência visual possam usufruir de seu direito à cultura, à informação e ao lazer proporcionados pela televisão, em igualdade de condições com os demais expectadores conforme preconizado pela Convenção Sobre Direitos das Pessoas com Deficiência, que vigora no Brasil com equivalência constitucional.

Os argumentos são os mesmos de sempre: falta de profissionais qualificados em audiodescrição, falta de cursos de formação de audiodescritores, custo elevado para a produção da audiodescrição. Não vamos cansar nossos leitores assíduos rebatendo argumentos que já foram exaustivamente discutidos com o Ministério das Comunicações e apresentados neste blog. Para aqueles que ainda não se inteiraram dessa discussão, recomendamos a leitura do artigo: A SAGA DA AUDIODESCRIÇÃO NO BRASIL.

Estaremos atentos, assim como esperamos que as pessoas com deficiência e suas instituições representativas se mobilizem para evitar novos retrocessos a direitos conquistados a duras penas!

Fonte: Blog da Audiodescrição

Mais sobre audiodescrição
A plenária sobre Acessibilidade: closed caption, libras, audiodescrição e atualização das normas, moderada por Caio
Nem todos os cidadãos conseguem ter acesso ao conteúdo que passa na televisão da mesma
O Ministério Público Federal notificou 11 emissoras de rádio e televisão de Mato Grosso do


Mais sobre audiodescrição
A plenária sobre Acessibilidade: closed caption, libras, audiodescrição e atualização das normas, moderada por Caio
Nem todos os cidadãos conseguem ter acesso ao conteúdo que passa na televisão da mesma
O Ministério Público Federal notificou 11 emissoras de rádio e televisão de Mato Grosso do