Logotipo do Blog da Audiodescrição: letras A e D. A letra D forma grafismo lembrando ondas sonoras se propagando

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ballet para Cegos Fernanda Bianchini apresenta-se no Ibirapuera, com audiodescrição

A Associação de Ballet para Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo, apresenta o espetáculo "Olhando para Estrelas", no Ibirapuera, no dia 27/06, quinta-feira, às 20h.

Ballet A Bela Adormecida

Os ingressos estão à venda na bilheteria do local, por telefone e também pelo site Ingresso Rápido e custam R$ 20. Estudantes pagam meia.

"Olhando para Estrelas" será apresentado por cerca de 50 bailarinos em 1h30. Serão duas partes: um ballet em três atos de "A Bela Adormecida" e um divertissiment - números variados de diferentes estilos de dança, inclusive uma performance de ballet apresentada nas Paralimpíadas de Londres 2012.

O espetáculo recebeu este nome em homenagem a um documentário que está sendo feito com os bailarinos da associação e que será finalizado no dia da apresentação.

Inclusão e acessibilidade. Estas são as palavras que diferenciam o ballet. A começar pelos bailarinos: a maioria deficientes visuais, com outros tipos de deficiências ou sem deficiência alguma.

Para poder receber de forma adequada os deficientes visuais que irão prestigiar a dança, haverá audiodescrição: tradução em palavras de toda imagem necessária à compreensão do conteúdo audiovisual pelas pessoas que estejam definitiva ou temporariamente impossibilitadas de ver.

Cia. de Ballet para Cegos Fernanda Bianchini

A Associação Ballet de Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo, existe há 18 anos. Tem como objetivo principal a integração social de deficientes visuais, de baixa renda, através da dança, principalmente do Ballet Clássico. A entidade é mantida pelo belo trabalho voluntário realizado pela fisioterapeuta Fernanda Bianchini cujo lema é: aprender a ver a dança com o coração. "É um método pioneiro que permite ao deficiente visual aprender dançar ballet de forma graciosa como qualquer outro bailarino. O aprendizado se inicia no toque, o passo é ensinado a cada aluno pelo contato", explica Fernanda.

A maioria dos bailarinos tem deficiência visual e uma pequena porcentagem com outros tipos de deficiências. Outros poucos bailarinos estão na "inclusão às avessas", no qual pessoas com nenhuma deficiência participam e interagem. Cerca de 60 bailarinos portadores de deficiência visual são atendidos e mais de 300 bailarinos formados.

Nestes anos ganhou reconhecimento nacional e internacional. Por enquanto, são mais de 100 prêmios em competições e festivais e duas apresentações no exterior. A recente atuação foi no encerramento das paralimpíadas de Londres.

Além da magnitude do projeto, o que chama atenção é o fato da associação ter professores também deficientes visuais. "É uma prova de que não há limites para quem se dedica e acredita", afirma Fernanda Bianchini. "É maravilhoso ver a alegria de nossos bailarinos em sentirem que podem fazer algo único e especial, superando todos os limites que a sociedade normalmente impõe aos deficientes", completa.

A Cia. sobrevive das apresentações e arrecadação de recursos junto às empresas e parceiros.

Serviço:

Olhando para estrelas
Data: 27 de junho de 2013.
Horário: às 20h.
Local: Auditório do Ibirapuera.
End.: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº - Ibirapuera - zona Sul.

Fonte: Revista Paulista

0 comentários:

Postar um comentário

Olá, obrigado por deixar seu comentário. Ele estará disponível no blog após liberação do moderador.