Mercado de tradução está em franco crescimento

Os olhares estão voltados para o Brasil, com eventos internacionais como a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, este ano. Além da Copa do Mundo, em 2014 e os Jogos Olímpicos, em 2016. Com isso o País espera um número expressivo de turistas, o que fará com que cresça a demanda por profissionais de tradução e interpretação de línguas estrangeiras. Esses profissionais são fundamentais nas transações das empresas que estão se preparando para esses eventos, embora a profissão ainda não seja regulamentada em nosso País.

Existem cursos de tradução nos mais diferentes níveis, como graduação, pós-graduação lato sensu ou especialização, mestrado, doutorado, cursos de extensão e cursos livres, que podem durar de 6 meses a 3 anos e meio. Os cursos se aprofundam nas áreas do conhecimento humano, trabalhando com os mais diferentes tipos de texto e linguagem, como a tradução de livros, de documentos, de softwares, programas de TV, sites e filmes.

O aluno da graduação terá acesso a todas as disciplinas específicas de tradução, de modo a entrar em contato com as várias subáreas e respectivas linguagens e tecnologias. No último ano do curso, ao fazer os estágios supervisionados, o aluno deverá escolher a modalidade de tradução de sua preferência.

As especializações mais comuns são tradução de patentes, tradução jurídica/juramentada, traduções técnicas e/ou científicas as mais diversas (saúde, engenharias, petróleo e tantas outras), tradução para legendagem ou dublagem de filmes e séries de TV, audiodescrição (para deficientes visuais) e tradução de ficção.

Para os que trabalham em agências de tradução ou empresa, o salário médio inicial é de R$ 1,5 mil. Como freelancer, o valor é normalmente calculado por lauda, contagem de letras, símbolos e espaços digitados ou por palavras, e pode variar de acordo com a área, que pode ser por exemplo, literária, científica e juramentada. Os ganhos mensais giram em torno de R$ 800 a R$ 6 mil. Para interpretação de conferência, esse profissional recebe a partir de R$ 1,4 mil, por dia, segundo o Sindicato Nacional dos Tradutores.

Além dos eventos internacionais, segundo a tradutora e linguista Maria Paula Frota, professora no Departamento de Letras da PUC-Rio, o mercado não para de crescer também devido à multiplicação dos recursos tecnológicos e das políticas de inclusão. "Embora haja estudos nesse sentido, eu diria que para qualquer pessoa da área “salta aos olhos” o fato de a área apresentar um crescimento contínuo e estável", explica.

Segundo Maria Paula, há a necessidade de mais profissionais na área. "Devido a esse crescimento e diversificação existe a necessidade de mais profissionais, sobretudo de tradutores mais competentes, visto que se trata de um mercado que por vezes não é exigente como deveria ser, priorizando um preço mais baixo em detrimento da qualidade. Dada a amplitude e a relevância da tradução, todo e qualquer setor de trabalho, público ou privado, demandará profissionais de tradução. O que vale destacar é essa demanda pode ser atendida através de contratação direta ou terceirizada. Este segundo caso é o mais frequente, razão pela qual o número de empresas de tradução não para de crescer", completa.

A tradutora de inglês e português Samantha Gonçalves, de 27 anos, trabalha há dois anos como freelancer em sua casa. Ela conta que ingressou na profissão por gostar de ler, escrever e aprender sobre culturas diferentes. "Entrei para um curso de inglês e cursei todos os níveis, até o avançado de conversação. Logo depois que entrei na faculdade, cursando Letras, comecei a trabalhar na área de comércio exterior. Tive contato com muitos estrangeiros, muitos documentos e comunicações em inglês. Foi uma ótima experiência, mas a função envolvia muitas outras atividades da área financeira que não me atraíam. Sou uma pessoa da área de Ciências Humanas. Em busca de uma profissão que combinasse melhor com minha personalidade e minha área de estudo, entrei em um curso de formação de tradutores. Quando saí da empresa, decidi atuar como freelancer pela independência e versatilidade. Trabalho em casa e esquematizo meus horários de acordo com meus compromissos", explica.

A tradutora conta que, como a maioria dos profissionais freelancer, trabalha em qualquer área, dependendo do momento, da demanda. "Atualmente, a maioria dos meus trabalhos é voltada para a área midiática. Traduzo muitos textos para publicações em sites, com temas sobre arte, culinária, decoração, medicina alternativa e outros. Também faço traduções literárias. Adoro traduzir. Conheço um mundo novo a cada trabalho", completa.

Segundo Samantha, a tendência do mercado é de crescente procura por profissionais especializados em traduções técnicas para os setores de petróleo, gás e engenharia. A jovem diz ainda que para ser um tradutor de sucesso é preciso ser curioso e ter o hábito de pesquisar, além de gostar de ler, escrever, ser capaz de se concentrar por muito tempo sem perder o foco e a atenção. "Não basta saber gramática. Não traduzimos palavras isoladas, mas sim textos. Na verdade, a língua também é um produto cultural e é preciso compreender esse contexto para ser um bom tradutor. Além disso, a maioria dos tradutores trabalham com textos de áreas distintas. Por exemplo, traduzir um texto literário não é como traduzir um manual técnico. A terminologia do Direito não é a mesma da Medicina. É sempre bom nos especializarmos em uma área, mas é necessário sabermos um pouco de tudo, principalmente se você atuar por conta própria", recomendou.

Fonte: Jornal O Fluminense

Mais sobre audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série
A Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB) é uma entidade de defesa de direitos


Mais sobre audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série
A Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB) é uma entidade de defesa de direitos